conecte-se conosco


Esportes

Libertadores, a competição que adora passar vergonha. Infelizmente

Publicado

Colunista do iG, Guilherme Pallesi lamenta pelo episódio envolvendo a torcida do River e os jogadores do Boca Juniors. De acordo com o jornalista, o time de Tévez e Darío Benedetto deveria ser declarado campeão da edição de 2018 da Libertadores; confira o vídeo.

Leia também: Desculpa, Deyverson

Após a confusão em Buenos Aires, na Argentina, e o adiamento do jogo decisivo da Copa Libertadores
da América, entre River Plate e Boca Juniors, a Conmebol ainda não definiu a nova data da histórica final da competição.

De acordo com a imprensa argentina, os membros da entidade que rege o futebol sul-americano vão realizar amanhã (27) uma reunião para decidir a nova data da final. Segundo o jornal “La Nación”, o confronto entre River e Boca
 deverá ser disputado no dia 8 de dezembro.

A final da Libertadores não será ser disputada no próximo fim de semana por conta da cúpula do G20, que será realizada em Buenos Aires, entre os dias 30 de novembro e 1º de dezembro, evento que exigirá um esquema de segurança especial para acolher líderes como o norte-americano Donald Trump e o russo Vladimir Putin.

Além disso, o campeão da Libertadores será conhecido poucos dias antes do início do Mundial de Clubes, que começará no dia 12 de dezembro. O representante da Conmebol vai estrear na competição internacional no dia 18 de dezembro.

Leia também: Técnico quando é bom não precisa de tempo para trabalhar

Leia mais:  Peça importante no Ajax, lateral faz sucesso nas redes sociais com desenhos

Confusão antes de River x Boca pela Libertadores


O ônibus do Boca Juniors foi apedrejado por torcedores do River Plate na chegada para final da Libertadores
Reprodução
O ônibus do Boca Juniors foi apedrejado por torcedores do River Plate na chegada para final da Libertadores

A tão aguardada final foi adiada após o ônibus que levava os jogadores do Boca ter sido apedrejado por torcedores do River, nos arredores do estádio Monumental de Núñez. Dois atletas da equipe xeneize acabaram feridos, incluindo o capitão Pablo Pérez, atingido no olho por estilhaços de uma janela.

Outros jogadores do Boca foram afetados por gás de pimenta, usado pelas forças de segurança para tentar conter os torcedores argentinos.

O prefeito de Buenos Aires
, Horacio Rodríguez Larreta, responsabilizou os torcedores pela confusão e acusou eles de pertencerem a “máfias infiltradas no futebol há mais de 50 anos”. “Isto é uma mostra de que a estupidez humana está muito presente ao redor do futebol e muitas vezes não tem limites.”, disse Larreta.

O ex-atacante do Boca Juniors Darío Cvitanich, lamentou o ocorrido e declarou que preferia ver Grêmio e Palmeiras na final da Libertadores, ao invés dos dois clubes argentinos.

Leia também: Respeita o moço. Bigode grosso!

“Tinham que ter jogado Grêmio e Palmeiras. É lamentável o que aconteceu, acredito que deu uma tristeza grande e uma sensação de impotência em todos nós. Como sempre digo, acredito que chegamos ao fundo do poço”, disse o jogador do Banfield em entrevista ao jornal “Olé”.

Leia mais:  Após título na Australia, Naomi Osaka é a nova número um do tênis feminino

Já o técnico do Palmeiras, Luis Felipe Scolari, afirmou que o Boca Juniors deveria ser declarado campeão da Libertadores
. “O Boca tem razão em não jogar. Se eu estivesse no Boca, não jogaria. Não sei como está Pablo, não sei como está do problema da vista. Se eu estivesse lá, não jogaria. Há um precedente disto, que ocorreu há três anos e foi dada a vitória ao River. Para ser correto, deveria ser declarado vencedor o Boca “, declarou o técnico campeão do Campeonato Brasileiro de 2018. 

Comentários Facebook
publicidade

Esportes

Xô, zica! Fluminense busca primeira vitória em casa no Brasileirão

Publicado

por

Lance


yony gonzález
NetFlu/Divulgação
Fluminense e Cruzeiro voltam a se enfrentar no Rio três dias depois de um duelo válido pela segunda fase da Copa do Brasil

O Fluminense ainda não conseguiu transformar o apoio dos torcedores e o ambiente caseiro no Brasileirão em vitórias. Até aqui, o Tricolor ainda não conquistou nenhum resultado positivo nas partidas com mando de campo. Neste sábado (18), a equipe de Fernando Diniz terá mais uma oportunidade, já que vai enfrentar o Cruzeiro, no Maracanã, às 18h.

Leia também: Há 15 anos sem ganhar títulos de expressão, Luxemburgo tenta renascer no Vasco

As duas equipes voltam a se enfrentar três dias depois de um duelo válido pela segunda fase da Copa do Brasil, também no Maracanã
. Na ocasião, a partida terminou empatada, com Pedro Rocha abrindo o placar para o Cruzeiro e João Pedro, já nos minutos finais, igualando o marcador em 1 a 1.

Este duelo representou um dos problemas do Fluminense na temporada até aqui: a falta de efetividade das jogadas criadas. No Maracanã, o Cruzeiro deu uma finalização e saiu de campo com a mesma quantidade de gols do Tricolor, que, por sua vez, teve o controle da posse de bola, pressionou o adversário, mas pouco criou no quesito de oportunidades claras de marcar.

“É uma coisa que incomoda a todos [a falta de vitórias]. Sabemos que Fluminense
não fez um começo bom, mesmo com boas atuações. Uma vitória em quatro jogos está nos incomodando. Sabemos que temos que ganhar, melhorar isso”, afirmou Nino, zagueiro da equipe.

Leia mais:  Goleiro Bruno comete falta grave na prisão e não poderá sair antes de 2023

Até aqui, o Fluminense jogou contra Goiás, na primeira rodada, e Botafogo, no último sábado. Em ambas, o Tricolor saiu derrotado por 1 a 0, apesar de ter criado mais chances do que os rivais. Falta à equipe transformar a posse de bola em balançar a rede adversária.

Leia também: Neymar está proibido de comemorar em campo o título francês do PSG

Fernando Diniz
terá problemas para a partida. Pedro, que sofreu uma lesão no joelho após a partida contra o Botafogo, ainda não está 100% fisicamente, não treinou e está fora do duelo. Além do camisa 9, o volante Airton e o lateral-esquerdo Mascarenhas também não vão entrar em campo.

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Há 15 anos sem ganhar títulos de expressão, Luxemburgo tenta renascer no Vasco

Publicado

por


Luxemburgo em apresentação no Vasco
Reprodução / Vasco da Gama
Luxemburgo reinicia sua carreira no Vasco

Há quase dois anos longe do futebol, o técnico Vanderlei Luxemburgo assume o comando do Vasco com duas missões específicas: a primeira é ajudar o clube carioca a fazer uma boa campanha no Campeonato Brasileiro, a segunda é reconstruir sua imagem como um dos principais treinadores do país.

Leia também: Luxemburgo critica Neymar: “Está esquecendo que é jogador de futebol”

Luxemburgo
é o técnico
com mais jogos e vitórias no Brasileirão
, com 330 resultados positivos em 712 partidas, além de ser o maior campeão da história, com cinco conquistas. O “pofexô” tem em seu currículo também a melhor campanha da história dos pontos corridos, com o Cruzeiro, em 2003.

Luxa é sem dúvidas um dos maiores treinadores da história do futebol brasileiro, mas após uma sequência de trabalhos ruins, viu sua carreira ir ladeira abaixo, enquanto sua fama como “ultrapassado” só crescia.

Para se ter noção, o último título de expressão conquistado por Luxemburgo foi em 2004, quando comandou Robinho e Diego na campanha do título brasileiro do Santos. Desde então, o treinador
só levantou troféus em estaduais.

Leia também: Vanderlei Luxemburgo critica Eduardo Bolsonaro: “um ser humano não pensa assim”

Mesmo sem obter grandes resultados nos seus últimos trabalhos, Luxa sempre fez questão de mostrar confiança e autoestima, chegando a discutir algumas vezes com os críticos que o chamavam de ultrapassado
.

Leia mais:  Retrospectiva: Confira os principais memes do esporte que viralizaram em 2018

“Como eu sou desatualizado
, se a maioria das coisas que acontecem hoje no futebol eu iniciei como um cara de vanguarda?”, disse o técnico em uma participação no “Bem, Amigos”, do SporTV, em outubro de 2016.


Luxemburgo
Divulgação
O último trabalho de Vanderlei Luxemburgo foi no Sport

O último trabalho de Luxemburgo foi de maio a outubro de 2017, no Sport. Depois disso, ele até chegou a negociar com o Santos, por exemplo, mas não avançou. Clubes como Palmeiras e São Paulo, que optaram por treinadores experientes recentemente, renegaram o treinador.

No Vasco
, Luxemburgo terá um dos maiores desafios de sua carreira. Com apenas um ponto em quatro rodadas e dez gols sofridos, o Cruz-maltino, que já foi rebaixado três vezes no Campeonato Brasileiro, tem seu pior início de campanha na era dos pontos corridos.

A estreia de Vanderlei Luxemburgo
no comando do clube carioca acontece domingo (19), às 19h, contra o Avaí, no estádio São Januário.

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana