conecte-se conosco


Política Nacional

Justiça francesa mantém condenação de Maluf por lavagem de dinheiro

Publicado

source
Maluf em discurso no Congresso arrow-options
Gustavo Lima/Câmara dos Deputados – 15.9.15
Maluf foi condenado junto com a esposa e o filho mais velho

O ex-prefeito Paulo Maluf teve uma ação penal encerrada pela justiça francesa e sua condenação de três anos de prisão por lavagem de dinheiro mantida. São alvos também sua esposa e seu filho mais velho, que foram condendados a cumprir dois e três anos, respectivamente.

Segundo reportagem do jornal O Estado de São Paulo , os juízes da Câmara Criminal da Corte de Cassação disseram que o ex-prefeito agiu “em desprezo da exigência de probidade ligada às suas funções”. A decisão foi proferida no último dia 25 e não cabe mais recurso. Isso siginifica que só resta o cumprimento da pena.

Leia também: Justiça condena três filhos de Maluf por lavagem de dinheiro

A defesa de Maluf, no entanto, disse que vai apelar à Corte Europeia, sediada na Bélgica , e que foi pega de surpresa com a decisão, já que o advogado-geral Renaud Salomon afirmou que a Suprema Corte do Brasil havia requalificado o status de lavagem de dinheiro objeto do presente processo em razão da ausência de infração anterior”.

“A partir de então, diante da ausência de fundamentos relativos à decisão da Suprema Corte Brasileira de 24 de novembro de 2015, a Corte de Apelação não teria fundamentado legalmente sua decisão”, completou Salomon, concluindo que “o recurso é, portanto, procedente”.

Leia mais:  Marinho diz que governo não vai fazer reestruturações salariais

Leia também: Lei barra homenagem a Lula e Maluf como nomes de rua em São Paulo


A Câmara Criminal da Corte de Cassação concluiu pela rejeição do recurso de Maluf.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
publicidade

Política Nacional

Inquérito de Flávio Bolsonaro vai recomeçar do zero, diz colunista

Publicado

por

source
Flávio Bolsonaro arrow-options
Pedro França/Agência Senado – 25.9.19
Flávio Bolsonaro é investigado por supostamente ter se apropriado de parte do salário de seus assessores enquanto era deputado estadual

O colunista da revista Veja Ricardo Noblat afirmou que já há maioria no Supremo Tribunal Federal (STF) para confirmar a decisão do presidente Dias Toffoli de suspender inquéritos abertos com base em informações fiscais compartilhadas com o Ministério Público sem prévia autorização judicial.

Leia também: Derrotado ao Senado deve ser candidato do PT para a prefeitura de São Paulo

Essa decisão significa que os inquéritos como o de Flávio Bolsonaro , que se iniciou a partir de informações fornecidas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras ( Coaf ) ao MP deverão recomeçar do zero. A suspeita sobre Flávio é de que ele, enquanto era deputado estadual pelo Rio de Janeiro, se apropriava de parte do salário dos funcionários de seu gabinete. O esquema seria operado pelo seu ex-assessor, Fabrício Queiroz .

Leia também: Militantes do Escola Sem Partido são agredidos após debate na USP


Segundo Noblat, o próprio presidente Jair Bolsonaro já estaria a par desta informação. No entanto, ainda não há data prevista para que a decisão de Toffoli seja levada para o plenário do Supremo.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Leia mais:  Câmara excluirá BPC e trabalhadores rurais da reforma da Previdência
Continue lendo

Política Nacional

Derrotado ao Senado deve ser candidato do PT para a prefeitura de São Paulo

Publicado

por

source
Jilmar Tatto arrow-options
Vitor Sorano/iG
Jilmar Tatto foi secretário de Transportes de São Paulo em duas oportunidades em que o PT esteve na prefeitura


O PT começa a se movimentar na escolha de seu candidato para as eleições de 2020 em São Paulo. Com Fernando Haddad já em campanha para novamente tentar a Presidência da República em 2022, o o partido deve apostar em um outro nome e o ex-secretário de Transportes Jilmar Tatto é o favorito a ser lançado.

Leia também: Presidente do PSL é alvo de mandados de busca e apreensão da Polícia Federal

Ex-deputado estadual e federal pelo PT , Jilmar Tatto, 54, foi um dos candidatos derrotados do partido ao Senado por São Paulo no ano passado. Nas eleições que elegeram Major Olímpio (PSL) e Mara Gabrilli (PSDB), Tatto terminou na sétima colocação, com 6% dos votos.

Deputado federal eleito nas eleições de 2006 e 2010, Jilmar Tatto foi um grande aliado do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva na articulação com o Congresso. Em 2010, último ano do mandato do petista na presidência, foi líder da bancada do PT.

Leia também: Joice Hasselmann garante que será candidata por outro partido se PSL não a quiser


O PT tenta retomar a prefeitura de São Paulo após quatro anos. Fernando Haddad foi eleito em 2012, mas não conseguiu a reeleição em 2016, sendo derrotado por João Doria (PSDB). Além do candidato do Partido dos Trabalhadores, outros nomes já são cotados para a eleição, como o atual prefeito Bruno Covas (PSDB), a deputada federal Joice Hasselmann (PSL), o apresentador de televisão José Luiz Daqtena (sem partido) e o deputado federal Celso Russomano (Republicanos).

Leia mais:  “Tic tac Bolsonaro” vira um dos assuntos mais comentados nas redes


Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana