conecte-se conosco


Nacional

Juíza que condenou Lula no caso do sítio, Gabriela Hardt tem celular invadido

Publicado

Gabriela Hardt
Reprodução/Twitter
Gabriela Hardt também teve o seu celular invadido por hackers


A juíza federal substituta da Operação Lava Jato na 13ª Vara Federal do Paraná, Gabriela Hardt, foi mais uma vítima dos ataques de hackers a celulares. Nesta quarta-feira (12), a magistrada informou que teve o seu celular invadido e acionou a Polícia Federal. O caso será investigado em integração com o Ministério Público Federal.

Através de uma nota, a Justiça Federal confirmou que Gabriela Hardt teve o seu celular invadido por meio do aplicativo de mensagens Telegram, o mesmo pelo qual Sergio Moro foi atacado há duas semanas.


Mais informações em instantes.


Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Leia mais:  Prazo para renovação do Fies foi prorrogado até a próxima sexta-feira
publicidade

Nacional

Bolsonaro volta atrás e revoga decreto das armas para evitar nova derrota

Publicado

por

Bolsonaro
Isac Nóbrega/PR
Bolsonaro volta atrás e revoga decreto das armas para evitar nova derrota

Horas depois do porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, negar a possibilidade de revogação do decreto das armas, o presidente Jair Bolsonaro voltou atrás e acabou anulando a legislação. Ele também editou três novos textos para substituir os decretos anteriores.

Leia também: Governo não revogará decreto de armas, diz porta-voz de Bolsonaro

 O recuo ocorre no mesmo dia em que a Câmara dos Deputados poderia derrubar as medidas do governo, uma semana depois de o Senado aprovar decretos anulando os atos presidenciais.

Na mesma edição do DOU, há um despacho de Bolsonaro informando o encaminhamento ao Congresso de um projeto de lei que altera normas sobre registro, posse e comercialização de armas de fogo e munição e sobre o Sistema Nacional de Armas (Sinarm), além de definir crimes. O teor do texto ainda não foi divulgado.

Os decretos são assinados apenas por Bolsonaro e por Lorenzoni, enquanto os anteriores também tinham os ministros da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro.

Mais cedo o  porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros,   informou que o governo não iria revogar e nem atuarpara impedir a votação na Câmara. Segundo Otávio do Rêgo Barros , o presidente Jair Bolsonaro “já enfatizou que não irá interferir nas questões do Congresso Nacional”.

Leia mais:  Bolsonaro monitora confrontos na fronteira da Venezuela, mas mantém ajuda

Apesar da declaração, o ministro da Casa Civil avisou ao comando da Câmara que o governo iria revogar decreto que trata do porte de armas.  


O Senado aprovou projetos que derrubaram o decreto de armas na última terça, com 47 votos favoráveis e 28 contrários. Para ter validade, a decisão precisaria passar pelo plenário da Câmara, o que estava previsto para ocorrer nesta terça-feira.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Maia comemora revogação do decreto das armas: “Melhor caminho”

Publicado

por

Rodrigo Maia
Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
Rodrigo Maia comemorou a revogação do decreto das armas


O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta terça-feira (25) que negociou com  o governo a revogação do decreto de porte de armas editado pelo presidente JairBolsonaro . Ao chegar à Casa, Maia disse que foi avisado na manhã desta terça-feira sobre o assunto pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni . De acordo com Maia, ficou acordado que o Senado votaria dois projetos de lei sobre o posse de arma rural e o porte de arma para colecionadores. Além disso, o governo reeditaria três decretos.

Leia também: Bolsonaro volta atrás e revoga decreto das armas para evitar nova derrota

 “Foi o que ele me falou mais cedo (que o governo revogaria o decreto). Nós conversamos nos últimos dias que o melhor encaminhamento era um acordo que preservasse aquilo que é constitucional no decreto e, aquilo que não coubesse no decreto, encaminhasse por projeto de lei. O governo compreendeu que é o melhor caminho para que não pareça que é um movimento contra aqueles que defendem o uso de arma, mas é um tema muito difícil e polêmico, como a questão do porte de armas para várias profissões sem a (comprovação da) efetiva necessidade, questão, rural”, disse Maia .  

Leia também: Congresso prepara nova lei de armas para substituir decreto de Bolsonaro

O presidente acrescentou que espera não não ver novas inconstitucionalidades nos novos decretos editados pelo governo .


“O presidente do Senado deve votar hoje ou amanhã dois projetos importantes, apesar de um dos (novos) decretos tratar do assunto, que é a questão dos CACS (colecionadores). Deve tratar da questão rural, tratando da posse estendida. E o governo encaminha um projeto de lei e reedita os três decretos. E eu espero que nos decretos a gente não encontre nenhuma inconstitucionalidade. E o melhor é que a harmonia prevaleça”, disse Maia .

Leia mais:  Ursal, Barbie fascista, Temer youtuber… Os memes que tomaram conta de 2018

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana