conecte-se conosco

  • banner_Lorenzetti_1250x250

Nacional

Japão anuncia saída de comissão de proteção às baleias e retoma caça comercial

Publicado


Japão anuncia saída da IWC e retomada da caça comercial às baleias
Reprodução/ Kyodo News

Japão anuncia saída da IWC e retomada da caça comercial às baleias

O Japão informou, nesta quarta-feira (26), que vai deixar a Comissão Internacional da Baleia (IWC), retomando a caça comercial ao memífero nas águas territoriais e na zona econômica a partir de julho de 2019. A decisão foi divulgada pelo secretário-geral do gabinete do governo do Japão, Yoshihide Suga, que também anunciou que cessará a prática polêmica na Antártida.

Leia também: Calor e poluição matam 55 toneladas de peixes na Lagoa Rodrigo de Freitas, no RJ

O porta-voz afirmou que há mais de 30 anos o país procura maneiras sustentáveis de realizar a prática, porém, sem sucesso nas negociações com os países contrários à medida. Segundo ele, a caça será limitada somente em águas de zonas econômicas exclusivas do território japonês, sem expansão para o Oceano Antártico e para o hemisfério Sul. Além disso, o país ainda pretende seguir os métodos da IWC para calcular as cotas e determinar a quantidade de baleias
capturadas.

O Japão tem até o dia 1° de janeiro para notificar aos Estados Unidos – país encarregado de aceitar pedidos de adesão e retirada da comissão – e realizará oficialmente a saída no dia 30 de julho do ano que vem.

Leia também: Japão anuncia saída da IWC e retomada da caça comercial às baleias

O Japão
era integrante da IWC desde o dia 21 de abril de 1951, a fim de garantir a preservação desses mamíferos e frear sua caça indiscriminada. Na década de 1980, o país suspendeu a caça comercial e alegou capturar as baleias apenas para fins científicos. Nos últimos anos, representantes japoneses propuseram a retomada da atividade mais de 20 vezes, com o argumento de que algumas espécies não se encontravam mais em risco de extinção.

Suga afirmou que o país se manterá como observador dentro da IWC
, após a sua saída, e assegurou que o governo continuará realizando a gestão dos recursos marinhos, mesmo com a retomada da pesca.

A decisão japonesa foi condenada pelo Greenpeace, que contrariou o argumento do país, dizendo que o número de baleias no mar ainda não havia se recuperado, já que os mamíferos estão ameaçados pela poluição e pesca excessiva. Outros países como a Austrália e a Nova Zelândia também se pronunciaram contra a decisão – apesar de terem elogiado o abandono da prática na Antártica.

Leia também: Ambientalistas cobram mais avanços sobre “livro de regras” do Acordo de Paris

Em busca de compreensão em relação à decisão de retomada da caça às baleias
, o governo japonês pretende enviar delegações aos países anti-caça.

*Com informações da Agência Brasil. 

Comentários Facebook

Nacional

Doria diz que não há perspectiva de novas medidas restritivas em SP

Publicado

por


source
Governador João Doria (PSDB)
Governo do Estado de São Paulo/Divulgação

Governador João Doria (PSDB)

O governador de São Paulo, João Doria, afirmou nesta quinta-feira (27) que não há perspectiva para adoção de novas medidas restritivas no estado. Mesmo com o avanço da pandemia e o aumento de casos, Doria reforçou que o importante é seguir com a vacinação.

“Quero deixar bem claro aqui que não há nenhuma perspectiva de medidas restritivas ao comércio, ao setor de serviços, ou a indústria ou a qualquer outro setor. O que é importante é que as pessoas sigam se vacinando, e vacinem os adolescentes e as crianças. E usem máscaras e álcool em gel. Não há nenhuma perspectiva neste sentido”, disse.

A fala aconteceu durante um discurso na cidade de Bauru, no interior de São Paulo. O evento aconteceu para anunciar um novo chamamento público para contratar uma Organização Social de Saúde (OSS) que irá gerir o Hospital das Clínicas da cidade.

Continue lendo

Nacional

Eduardo Paes garante carnaval no Rio: “Vai ter de qualquer jeito”

Publicado

por


source
 Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD)
REPRODUÇÃO/AGÊNCIA BRASIL

Prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD)

Com o feriado de Tiradentes (21/04) escolhido como a nova data para a realização do Carnaval no Rio de Janeiro,  o prefeito da cidade Eduardo Paes (PSD) , afirmou que “vai ter Carnaval este ano de qualquer jeito”. No entanto, a festa em abril só indica a realização dos desfiles na Marquês de Sapucaí, o Carnaval de rua ainda não tem data confirmada.

Devido ao avanço da variante ômicron da Covid-19 no país, o Rio adiou o Carnaval no final do mês de fevereiro. No dia 21/01, após um encontro virtual entre os prefeitos do Rio e de São Paulo, com os secretários de Saúde e os presidentes das ligas das escolas de samba das duas cidades, os desfiles nos sambódromos foram adiados para abril.

No início de janeiro, Paes decidiu, juntamente com as ligas dos blocos de rua e as autoridades sanitárias, que os desfiles de rua também deveriam ser cancelados .

Na última terça-feira (25), o prefeito da cidade do Rio assegurou que continuará a fazer os repasses para as escolas, que poderão manter seus funcionários trabalhando, com salários em dia e mantendo os ensaios nas quadras. “Eu acredito na ciência”, disse Paes ao programa Bar Apoteose.

Leia Também

Em relação ao combate contra o coronavírus, o secretário municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, classificou o atual momento como ”preocupante” por conta da quantidade de pessoas sem o esquema vacinal completo ou sem nenhuma dose da vacina.

”Estamos vendo o número de pessoas sendo internadas aumentando. Infelizmente, pessoas que não se vacinaram, que não foram tomar a dose de reforço no momento correto. É triste ver uma pessoa internada por uma causa que poderia ter sido evitada pela vacina”, disse Soranz na última quarta-feira (26).


Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana