conecte-se conosco



Política MT

Jaciara e Juscimeira inauguram quadras poliesportivas com emendas de Max Russi

Publicado

Foto: JOSÉ MARQUES / ASSESSORIA DE GABINETE

Nesta segunda-feira (10/12), duas escolas estaduais do Vale do São Lourenço vão receber, respectivamente cada uma, quadra poliesportiva coberta entregue pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc). As obras fazem parte de um pacote viabilizado por emenda parlamentar de autoria do deputado Max Russi (PSB).

No município de Jaciara, o complexo esportivo está sendo esperado há mais de 18 anos pela comunidade da Escola Estadual Milton da Costa Ferreira, que hoje atende 664 alunos. "Nossos estudantes estão tão felizes, que vamos comemorar essa inauguração com um campeonato interclasses", confirmou a diretora da unidade, Délia Moura.

Já em Juscimeira, onde 267 estudantes são atendidos, foram mais de 10 anos de espera, conforme a diretora da Escola Estadual João Matheus Barbosa, Rosimeiry Ferreira da Silva. Lá, a comemoração será com apresentações artísticas, leitura de agradecimento e jogo inaugural, disputado entre professores e alunos. A entrega será realizada no aniversário de 39 anos de emancipação político-administrativa do município.

"Um sonho de muito tempo. Solicitamos emendas a diversos deputados, porém o Max teve essa sensibilidade e graças a essa emenda dele, esse sonho estará se tornando realidade", ressaltou.

São mais e R$ 1 milhão de reais de aporte parlamentar sendo executados, junto ao convenio da Seduc, para a construção dos complexos.

Max Russi comemorou a concretização do trabalho conjunto, que teve ampla participação da comunidade escolar de ambos os municípios. Ainda no início do ano, foram contabilizados mais de R$ 4,5 milhões em recursos direcionados pelo deputado as unidades escolares estaduais do Vale.

Leia mais:  Assembleia se antecipa para evitar situação de insegurança jurídica no Estado

"É uma imensa satisfação poder trabalhar pela região do Vale, principalmente com o total suporte dos educadores, que não pouparam esforços para chegarmos até aqui. É tempo de comemorar, mas também é tempo de trabalhar muito, pois Educação de qualidade é um direito de todos",  assegurou.

 

 

 

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Em crise, Estado perde fornecedor de água mineral

Publicado

Nesta segunda-feira (10) um ofício emitido pela Secretaria de Educação, informou que o fornecimento de água mineral foi interrompido pela empresa prestadora de serviço, não esclarecendo os motivos da decisão da empresa, mas apontadas nos bastidores por falta de pagamento.

Nos últimos dias, foi anunciado pelo Governo do Estado, o escalonamento de salários dos servidores referente ao mês de novembro, em quatro datas, agora, produtos básicos para funcionamento dos órgãos públicos estão em falta. Segundo nota: “Considerando as atribuições da Superintendência Administrativa, informo que o fornecimento de água mineral foi suspenso pela empresa prestadora dos serviços. Estamos a disposição para quaisquer esclarecimentos adicionais”, diz ofício assinado por Lívia Lorena Mendes Oliveira, superintendente administrativa da Seduc. O documento foi destinado aos secretários adjuntos e superintendentes da pasta. Para se hidratarem, os servidores da pasta terão que “fazer cota” para comprar o líquido.

Na última semana, o governador eleito Mauro Mendes (DEM) relatou que a situação do Estado é crítica e que o equilíbrio das contas será seu principal desafio no início de mandato. Ele informou que assumirá o Palácio Paiaguas com o déficit de R$ 1,5 milhão.

 

 

Fonte: FolhaMax

Comentários Facebook
Leia mais:  AL entrega Prêmio Estadual de Direitos Humanos Padre José Ten Cate nesta segunda
Continue lendo

Política MT

Audiência pública debate balanço administrativo do Complexo da Salgadeira

Publicado

por

Foto: HELDER FARIA / ALMT

Após cinco meses administrando o Complexo Turístico da Salgadeira, a empresa responsável pelo serviço apresentou um balanço do funcionamento do terminal e os projetos arquitetônico e geológico que devem ser implementado no local. A audiência pública foi solicitada pelo deputado Wilson Santos (PSDB) e reuniu o trade turístico, comerciantes, Ministério Público, empresários e outros interessados. No evento foram lançados os projetos citados acima do futuro Complexo Turístico do Portão do Paraíso, hoje chamado de Portão do Inferno, que tem R$ 2,5 milhões para a sua implantação. Ao final, o resultado mostrado pela administração e os investimentos previstos agradaram os participantes.

“O objetivo dessa audiência é analisar quais são os erros e as falhas cometidas nestes primeiros cinco meses para fazermos as correções necessárias, buscarmos alternativas condizentes e receber os turistas. Quanto à área conhecida como Portão do Inferno, já existem recursos na ordem de dois milhões e meio de reais para serem investidos”, relatou o deputado Wilson Santos.

O Complexo Turístico da Salgadeira está localizado na MT-251, que liga Cuiabá a Chapada dos Guimarães (65 km da capital). A concessão foi feita por 10 anos, podendo ser prorrogada pelo mesmo período. Anteriormente ao contrato, o complexo  estava fechado pois foi interditado em 2010 devido a problemas ambientais como disposição de resíduos a céu aberto. Agora, funciona a partir de obras de revitalização.

“Temos que comemorar muito esse período de atendimento aos turistas. Primeiro, porque a Salgadeira ficou fechada durante sete anos e meio, um absurdo total. Depois, a modelagem de administração foi entregue à iniciativa privada. A administração mudou para melhor, principalmente, no quesito de limpeza e organização. Hoje é o ponto turístico mais visitado do estado, mas não podemos descuidar”, destacou Santos.

Leia mais:  Assembleia se antecipa para evitar situação de insegurança jurídica no Estado

O administrador do Complexo da Salgadeira, Bruno Souza, fez uma explanação sobre os trabalhos durante o período de reabertura. Ele apresentou dados de como estão sendo realizadas a administração, operacionalização, manutenção, conservação e fiscalização da área, bem como a estrutura lá existente.

“A Salgadeira possui, atualmente, toda infraestrutura para receber visitantes. Essa audiência é muito importante, principalmente, para mostrar os resultados positivos conquistados durante esses primeiros cinco meses de reabertura”, falou Souza. O administrador comentou também que empresa poderá futuramente, explorar o espaço com a sublocação de ambientes e demais serviços.

“Neste período de reabertura da Salgadeira temos uma avaliação muito positiva. Mas com o tempo temos propostas de investir numa mini-pousada para acolher as pessoas e outros empreendimentos que estão sendo analisados para que se instalem lá”, destacou ele.

O secretário de Estado de Turismo, Luis Carlos Nigro, frisou a responsabilidade da empresa em manter toda a parte estrutural do complexo funcionando e fazer adequações e reformas quando elas forem necessárias.

“Depois de quase oito anos fechado, o Complexo da Salgadeira foi reaberto para ser um dos pontos turísticos mais procurados pelos turistas em Mato Grosso. Neste período reaberto, tivemos muitas falhas que estão sendo corrigidas, e a audiência demonstra a preocupação em mostrar á sociedade o que está sendo feito”, falou o secretário.

Atuando há anos na área, a presidente do Sindicato dos Agentes e Guias do Estado de Mato Grosso, Suzy Miranda, admite que a modernidade da Salgadeira impulsionou o fluxo de pessoas em conhecer o local. 

“Com a nova remodelagem do complexo, a situação impulsionou o turismo naquela região. Temos que admitir que houve uma evolução na organização e limpeza do local”, revelou ela.

Leia mais:  Instituto Memória do Poder Legislativo comemora 31 anos preservando a história de Mato Grosso

Complexo Turístico Portão do Paraíso – Na segunda parte da audiência pública, o professor-chefe de Departamento da Faculdade de Geociência da Universidade Federal de Mato Grosso, Prudêncio Castro, apresentou informações de como será o futuro Complexo Turístico do Portão do Paraíso.

Ele iniciou sua explanação dizendo sobre a característica geofísica da área. Castro enfatizou que o local é um mirante situado em um perímetro de curva acentuada, à beira da rodovia e a um nível de 150 metros de altura.

“No local existia uma lanchonete, mas infelizmente essa bela vista foi interditada, por risco de desmoronamento, pois a lanchonete ficava à beira do paredão. Algumas pessoas ainda se arriscam parando para tirar fotos”, justificou o professor.

Para Castro, será necessário implantar uma estrutura que proteja a natureza e dê segurança às pessoas visitantes ao atual Portão do Inferno. “Trata-se de uma área de alto risco geológico, tanto para os veículos que circulam naquela ponte, que está instala num local de dinâmica natural muito grande devido a queda de blocos, movimentos de massa e mesmo a erosão”, afirmou ele.

Com o objetivo de reverter o quadro e dar mais segurança aos visitantes, Castro fez um alerta para os motoristas que costumam estacionar seus veículos nas imediações da via.

“Uma das alternativas encontradas é que os veículos não parem mais na curva, que não tem estacionamento e sem condições de segurança. O projeto prevê o estacionamento distante 200 metros de do mirante, em um local seguro e de fácil locomoção para os visitantes”, destacou ele.  

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana