conecte-se conosco


Mulher

Hímen complacente causa mais dor na hora do sexo? Delas responde

Publicado

O hímen é algo que ainda causa muitas dúvidas entre as mulheres. Como saber se ainda tenho? Ele causa dor durante o sexo? Como romper? São alguns questionamentos mais comuns. Recentemente, uma leitora do Delas  nos enviou uma pergunta sobre hímen complacente.

Leia também: Presença de hímen diz mesmo algo sobre a virgindade da mulher?


Existem diferentes tipos de hímen, entre eles, o hímen complacente, que apresente um tecido mais elástico que o habitual
Pinterest

Existem diferentes tipos de hímen, entre eles, o hímen complacente, que apresente um tecido mais elástico que o habitual

Ela fala que tem um hímen complacente e que não consegue rompê-lo, pois sente uma dor muito forte, quase que insuportável, no sexo. “Tenho medo de não conseguir romper um dia e desapontar o meu parceiro”, fala. A leitora ainda completa perguntando qual é a forma mais fácil de romper a membrana. Para responder a questão, conversamos com a ginecologista e sexóloga Nelly Kobayashi.

O primeiro passo para entender como romper o hímen, e o motivo pelo qual ele causa dor na hora do sexo, é saber o que de fato é esse tecido e qual a sua função no corpo da mulher. “Trata-se de uma prega da membrana mucosa presente na entrada da vagina. Pode recobrir apenas uma parte em toda a superfície, ou mais raramente, recobrir toda a entrada da vagina”, explica Nelly.

Segundo a ginecologista, atualmente o hímen não apresenta nenhuma função no organismo. “Sua presença ou não, não afeta em nada a vida de uma pessoa”, fala. Nelly explica que existem teorias de que o hímen ajudaria a evitar infecções, já que diminui a entrada da vagina. “Com o passar do tempo e com o uso de roupas, essa função acabou sendo menos relevante”, completa.

Tipos de hímen e quando eles se rompem – ou não


Hímen complacente (mais próximo do imperfurado) é apenas um dos tipos dessa membrana. Como mostra a ilustração acima, o hímen pode ter formatos variados e também diferentes tipos de aberturas. Também pode romper ou não no sexo
Shutterstock/iG

Hímen complacente (mais próximo do imperfurado) é apenas um dos tipos dessa membrana. Como mostra a ilustração acima, o hímen pode ter formatos variados e também diferentes tipos de aberturas. Também pode romper ou não no sexo


Existem diferentes tipos de membrana, com diferentes formas e resistências. Entre elas, há o hímen complacente, que é o caso da leitora que enviou a dúvida. Nelly explica que o caracteriza este tipo é um tecido mais elástico que o habitual, não se rompendo durante a relação sexual ou introdução de objetos equivalentes ao pênis, como um dildo ou vibrador.

Leia mais:  “Ovários de cavalo”? Erro hilário em roteiro de casamento repercute na web

A forma mais fácil e indicada de saber qual o seu tipo de hímen e se ele já se rompeu ou não é em uma consulta com um ginecologista. Se você quer saber mais sobre o assunto, releia a reportagem “Rompimento do hímen ainda é causa de dúvidas: Delas responde”.

A ginecologista ainda explica que, ao contrário do que pensa a leitora em relação ao rompimento, o hímen complacente não costuma se romper, afinal, suas fibras são mais elásticas, tendo a capacidade de se alargar e voltar ao tamanho anterior.

“Não é possível dizer se algum dia ele vai se romper, apenas que é mais difícil se romper por apresentar mais elasticidade. Isso vai depender de qual é a capacidade elástica, podendo, por exemplo, se romper em situações onde a vagina deve se alargar mais, como em um parto vaginal”, fala.

Por isso, se o seu hímen é desse tipo, não é preciso se preocupar com o rompimento ou não dele. Na verdade, o rompimento do hímen pouco diz a respeito do corpo da mulher. Aquela ideia de que a perder a virgindade acontece só quando o hímen é rompido já não faz mais tanto sentido, afinal, o sexo é algo além do que apenas a penetração vaginal.

“[Deixar de ser virgem] deve ser entendido como o início da vida sexual, porque, a partir do momento em que há contato entre genitais, já há riscos inclusive de contrair doenças sexualmente transmissíveis. Uma relação sexual pode envolver inúmeras atividades além da penetração vaginal: sexo oral, masturbação mútua e/ou sexo anal”, explica a ginecologista Bárbara Murayama, coordenadora da Clínica da Mulher do Hospital 9 de Julho, em São Paulo, em entrevista prévia ao Delas .  

Hímen complacente e dor na hora do sexo


Ginecologista explica que, na verdade, o hímen complacente não é uma das causas de dor na hora do sexo
shutterstock

Ginecologista explica que, na verdade, o hímen complacente não é uma das causas de dor na hora do sexo

A leitora se queixa de muita dor na hora do sexo e comenta que sente dificuldade de seguir com a penetração. No entanto, provavelmente essa dor não está relacionada ao fato do hímen dela ser complacente.

Leia mais:  Maternidade real: “Eu amo meu filho, mas a maternidade…”

De acordo com Nelly, na verdade, esse tipo de hímen costuma causar menos dor, justamente por ser mais elástico. “Porém, a dor varia de pessoa pra pessoa, principalmente na primeira relação sexual, que depende muito mais de a pessoa estar tranquila e relaxada do que se o hímen é complacente ou não”, fala.

Como a ginecologista comenta, a  dor na hora do sexo pode ser consequência da tensão e do nervosismo que muitas mulheres sentem nas primeiras relações sexuais. Além disso, a falta de lubrificação e o vaginismo podem ser causas desse desconforto. Nesse sentindo, a leitora ainda questiona: “é possível ter hímen complacente e vaginismo ao mesmo tempo?”.

De acordo com Nelly, sim, é possível. “Isso porque o hímen é apenas uma prega da mucosa, um tipo de pele que reveste tecidos úmidos do corpo. Já o vaginismo, é causado por contrações involuntárias dos músculos do períneo, que ficam ao redor na vagina, na sua entrada, geralmente de causa psicológica, relacionada ao medo e dor”, fala.

Ou seja, o hímen faz parte do nosso corpo, diferente do vaginismo, algo que não é biológico e só acontece se houver contrações desses músculos.

Como amenizar a dor na hora do sexo de forma geral?


Hímen complacente geralmente não causa dor no sexo. Veja outros fatores que podem atrapalhar e dicas para lidar com isso
Shutterstock

Hímen complacente geralmente não causa dor no sexo. Veja outros fatores que podem atrapalhar e dicas para lidar com isso

Existem algumas formas de amenizar a dor sentida na hora do sexo. O primeiro passo é consultar um ginecologista para avaliar a situação e encaminhar a mulher para o melhor tratamento.

Geralmente, em relação à falta de lubrificação vaginal natural, é indicado adotar um lubrificante à base de água para combater o ressecamento.

No caso de vaginismo ou questões emocionais, os tratamentos variam. A terapia, por exemplo, é bastante indicada para quem precisa trabalhar o medo, trauma e outros transtornos psicológicos que podem desencadear o vaginismo.

Por fim, um ponto que sempre comentamos no Delas  é a importância do autoconhecimento. Quando a mulher conhece o próprio corpo e sabe o que gosta na hora do sexo, é mais fácil sentir-se tranquila e relaxada na hora da relação a dois. Para isso, a masturbação pode ser bastante útil nesse processo.

Tem alguma dúvida sobre sexo, sexualidade ou até mesmo posições sexuais? Faça como a leitora que nos mandou a dúvida sobre hímen complacente e dor na hora do sexo e entre em contato conosco pelo e-mail [email protected] Nós traremos uma especialista para respondê-la com sigilo total!

Fonte: IG Delas
Comentários Facebook
publicidade

Mulher

Justin e Hailey Bieber não fizeram sexo antes do casamento: vale a pena esperar?

Publicado

por

No início do mês, Hailey e Justin Bieber deram uma entrevista à revista “Vogue” contando os segredos do relacionamento. Na reportagem, eles revelam que quando se reencontraram, em junho de 2018, o cantor estava há um ano em uma espécie de jejum do sexo, segundo ele, uma escolha que surgiu de um acordo com Deus. Dessa forma, o casal decidiu não fazer sexo antes do casamento. 

Leia também: Abstinência sexual pode levar a uma vida mais longa, segundo estudo


Justin e Hailey Bieber escolheram não fazer sexo antes do casamento por motivos religiosos e causaram muita polêmica
Reprodução/Instagram

Justin e Hailey Bieber escolheram não fazer sexo antes do casamento por motivos religiosos e causaram muita polêmica

Não se trata de um casal que escolheu esperar até o casamento para ter a primeira relação sexual. Na verdade, eles escolheram dar um tempo de sexo antes do casamento e retomaram as relações após a oficialização da união. A declaração de Hailey e Justin causou polêmica. Será que dar um tempo do sexo é algo positivo para o casal? Como funciona isso? 

Para entender um pouco melhor a forma como o casal lidou com o sexo antes de se casar e quais os impactos disso no relacionamento, conversamos com a sexóloga Virgínia Gaia. Segundo ela, antes de qualquer coisa é preciso entender que as motivações de Justin e Hailey foram religiosas. “É bem conhecida na história da humanidade a interferência da religião na maneira como as pessoas vivem a sua sexualidade”, comenta.

No caso do casal em questão, essa escolha pelo celibato foi uma opção ligada à religião. Poupar-se ou não fazer sexo foi a forma que eles encontraram de construir um relacionamento melhor. Por isso, tantos casais preferem esperar até o casamento para ter uma relação sexual com o parceiro ou parceira. No fundo, são questões delicadas e que devem ser respeitadas. Afinal, cabe a cada casal definir o que é melhor para si.

Leia também: Confira 6 dicas para tornar a primeira vez no sexo incrível

Leia mais:  “Ovários de cavalo”? Erro hilário em roteiro de casamento repercute na web

Vale a pena esperar e não fazer sexo antes do casamento?


Optar ou não por fazer sexo antes do casamento deve ser uma escolha consciente e confortável para ambos da relação
shutterstock

Optar ou não por fazer sexo antes do casamento deve ser uma escolha consciente e confortável para ambos da relação

No entanto, apesar de ser algo bastante pessoal e que diz respeito apenas ao casal, é possível avaliar a questão de forma mais ampla. De acordo com a sexóloga, a questão pode ser vista pelo ponto de vista puramente sexual e, nesse caso, como tudo na vida, apresenta pontos tantos positivos quanto negativos.

Em relação às vantagens de esperar e não fazer sexo antes do relacionamento, Virgínia cita a tensão e o suspense criados, o que pode aumentar a excitação e tornar a relação mais prazerosa. “Isso pode vir a ser como um estímulo para os dois”, fala. 

Do ponto de vista dos impactos negativos, a sexóloga fala sobre como existem hoje uma série de estudos que comprovam os benefícios do sexo para a saúde. “O sexo estimula a produção de neurotransmissores, como a serotonina”, diz.

“Então, uma vida sexual regular e saudável melhora o humor, dá mais disposição e até reforça o sistema imunológico”, completa. Porém, quando o casal opta esperar até o casamento ou decide dar um tempo do sexo, eles estão perdendo esses benefícios.

Ainda assim, não significa que é condenável se abster de sexo por alguns períodos. Como já comentamos, isso vai depender das crenças e objetivos de cada um em relação ao sexo. “É uma questão de escolha, de estilo de vida e de que forma se acredita naquilo”, comenta a sexóloga. O importante é cultivar um relacionamento saudável com o outro.

Em relação a isso, Virgínia lembra que existem religiões que trazem o culto a um período de abstinência. Então, pode ser essa a escolha de um casal e não há problema algum nisso. “Pode ser de fato que, quando eles finalmente puderem ter uma relação, essa abstinência pode servir como um impulso de excitação e suspense”, fala.

Leia mais:  Paraíso e inferno astral: o que é cada período e como encará-los da melhor forma

Ou seja, não é tão simples assim falar se vale ou não a pena fazer ou não sexo antes do casamento. “Tudo é uma questão de escolha e valor. Para Justin Bieber , dentro do que ele está acreditando, dentro do que está vivendo e dentro da crença religiosa que ele tem, pode, sim, ser algo positivo”, comenta. “Eu só acho que isso não deve valer como regra para ninguém”, fala.

E você, acha que vale a pena dar um tempo do sexo?


Vale a pena ficar um tempo sem fazer sexo?


Leia também: Por que esperei até depois dos 50 anos para perder a virgindade

Sexo como algo positivo


É comum acreditar que o celibato está ligado à ideia de que sexo não é algo bom, mas é preciso ir contra a esse pensamento
shutterstock

É comum acreditar que o celibato está ligado à ideia de que sexo não é algo bom, mas é preciso ir contra a esse pensamento

Virgínia ainda toca em um ponto importante quando o assunto é dar um tempo das relações sexuais. Geralmente, quando as pessoas escolhem por essa pausa ou optam por fazer sexo só depois do casamento, é comum ter uma motivação negativa por trás dessa decisão. Como se o sexo fosse prejudicial e ruim à espiritualidade, ao bem-estar energético de cada um.

“Esse é um conceito que vem caindo em desuso, mas eles [Justin e Hailey] estão resgatando uma ideia bastante comum alguns séculos atrás. Existe aí um caráter de atribuir algo negativo, uma ideia pejorativa em relação ao sexo”, explica a sexóloga.

No entanto, se o casal colocar o sexo como algo negativo e que atrapalha a vida a dois, as consequências são serão boas no futuro. Afinal, a sexualidade é um dos pilares de uma relação saudável. E quando o sexo é visto como ruim, algo está errado ali. Se você sente culpa ou vergonha do sexo, pode ter certeza, é hora de repensar a sua relação com a sexualidade.

A sexóloga finaliza dizendo que o mais importante de toda essa discussão é a pessoa estar tranquila e confortável em relação a essa escolha de fazer ou não sexo antes do casamento , desde que isso não levante um tom negativo ou pejorativo, desde que não seja um peso em suas vida.

Fonte: IG Delas
Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

Revista “Sports Illustrated” traz pela primeira vez modelo com vitiligo

Publicado

por

A edição anual de biquíni da revista norte-americana “Sport Isllustraded”, a “Swimsuit Issue”, derruba padrões em 2019. Isso porque a publicação, pela primeira vez, dá destaque para uma modelo com  vitiligo em suas páginas. 


Winnie Harlow, modelo de sucesso que tem vitiligo desde a infância, aparece estonteante no ensaio para a Sports Illustraded
Reprodução/Instagram/@si_swimsuit

Winnie Harlow, modelo de sucesso que tem vitiligo desde a infância, aparece estonteante no ensaio para a Sports Illustraded

A escolhida para a edição desse ano é a modelo canadense Winnie Harlow, que viu os primeiros sinais do vitiligo , condição de pele que provoca manchas sem pigmentação pelo corpo, ainda na infância. Winnie já mostrou que está acima de qualquer preconceito ou padrão e vem arrasando nos últimos anos em campanhas e  desfiles para marcas famosas como Marc Jabocs, Desigual, Moschino, Diesel, Nike e muitas outras. 

Mesmo com a fama, a modelo se mostrou bastante emocionada ao saber que posaria para a revista norte-americana. Em um vídeo publicado no Instagram da publicação, Winnie chora ao agradecer o convite. “Obrigada a todos na SI (Swimsuit Issue). Estou muito empolgada! Mal posso esperar [pelas fotos]”, diz a top model. 

Bastidores e fotos da modelo com vitiligo 


Modelo com vitiligo exibe as curvas e se diverte nos bastidores de ensaio para revista
Reprodução/Instagram/@sportsillustrated

Modelo com vitiligo exibe as curvas e se diverte nos bastidores de ensaio para revista


As fotos de Winnie já foram feitas e o cenário escolhido foi uma praia na Bahamas. A revista mostrou detalhes do ensaio e dos basitidores em mais vídeos na rede social. Veja um deles abaixo: 

Leia mais:  Paraíso e inferno astral: o que é cada período e como encará-los da melhor forma

Por essa prévia podemos esperar fotos lindas e sensuais, como já é a marca da edição especial da Sports Illustraded. Nas imagens divulgadas, Winnie aparece usando biquíni e também apenas uma espécie de vestido de correntes douradas, sem nada por baixo. 


Revista segue quebrando padrões


Modelo com vitiligo não foi a primeira a quebrar padrões. Em 2016, Ashley Graham foi a primeira plus size na capa da revista
Reprodução/Sports Illustrated

Modelo com vitiligo não foi a primeira a quebrar padrões. Em 2016, Ashley Graham foi a primeira plus size na capa da revista

Não é a primeira vez que a revista norte-americana busca diversidade e quebrar padrões em suas páginas. Em 2015, por exemplo, quem estampou um ensaio foi a não tão conhecida naquele momento Ashley Graham , hoje renomada modelo plus size. 

O sucesso das fotos de Ashley foi tanto que, no ano seguinte, ela foi uma das capas da revista. Naquele ano a edição de biquíni contou com três capas: a modelo plus size, a lutadora Ronda Rousey e a também modelo Hailey Clauson. 

Em breve a edição com Winnie, a top que exibe de forma exuberante as marcas do vitiligo , estará disponível. Geralmente a revista é lançada em janeiro, mas este ano os editores optaram por publicá-la em meados de maio. 

Fonte: IG Delas
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana