conecte-se conosco


Política Nacional

Governo está determinado a mudar os rumos do país, diz Bolsonaro

Publicado

O presidente Jair Bolsonoro disse hoje (17), no Twitter, que o governo está determinado a mudar os rumos do país.

“Assumimos um Brasil ainda em crise em todos os sentidos. Sabemos a dificuldade que é tentar consertar tudo isso. O sistema não desistirá, mas estamos determinados a mudar os rumos do país e fazer diferente dos anteriores, já que são eles os responsáveis pelo que estamos passando”, escreveu.

Bolsonaro listou as ações de início de governo. “Estamos fiscalizando recursos, diminuindo gastos, propondo endurecimento penal, Previdência. Tudo isso em pouquíssimo tempo.”

O presidente acrescentou que os objetivos são “claros”. “Resgatar nossa segurança, fazer a economia crescer novamente e servir a quem realmente manda no país: a população brasileira”.

Edição: Talita Cavalcante

Comentários Facebook

Política Nacional

Pazuello cobra “ressalva regional” nos números da Covid-19 no Brasil

Publicado

por


source
Ministro interino da Saúde Eduardo Pazuello
Erasmo Salomão/MS

Ministro interino da Saúde Eduardo Pazuello

O ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, cobrou que sua equipe técnica faça uma “ressalva regional” todas vez que foram divulgados os números da Covid-19 , doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2).

A mudança na forma como as informações são divulgadas pela pasta ocorre no período em que o Brasil registra mortes diárias iguais ou superiores a mil e se aproxima dos 100 mil casos confirmados de contaminação pelo novo coronavírus. A cobrança foi feita pelo general durante reunião com secretários estaduais e municipais no último dia 30.

Segundo Pazuello, o objetivo da alteração é fazer com que estados e municípios que estão em melhores condições de combate à Covid-19 não tomem medidas mais drásticas contra a doença.

Na ocasião, o chefe da pasta interrompeu a apresentação de Eduardo Macário, diretor do Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças não Transmissíveis.

“Todas as santas vezes que o ministério falar de dados de Brasil, eu quero a ressalva. Todas as vezes. Abriu a planilha, eu quero a ressalva. Todas as vezes que falar de dados do Brasil eu quero a ressalva regional. Tá bom? Obrigado”, disse Pazuello.

Macário concordou com o ministro, afirmando que seria importante reforçar o “caráter dimensional” dos números. Pelos dados apresentados pela pasta no encontro, o número de novos casos pela covid-19 cresceu 36% entre 19 e 25 de julho na comparação com a semana anterior. Já o registro de mortes aumentou 5%.

“Claro que pode mostrar o número do Brasil, mas com as ressalvas necessárias”, disse o ministro interino em outro no momento no qual ele reforçou a orientação para considerar os números regionalmente.

Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Delação de Palocci é excluída de ação contra Lula

Publicado

por


source
Lula
RICARDO STUCKERT / PT

Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo, foi o último local no qual ex-presidente deu discurso antes de ser preso

A delação do ex-ministro petista Antonio Palocci será retirada da ação penal contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), devido à decisão tomada nesta terça-feira (4) pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF). A ação diz respeito ao apartamento em São Bernardo do Campo.

Lula é acusado, neste caso, de receber da Odebrecht, de forma indevida, um apartamento em São Bernardo do Campo, um imóvel em São Paulo para uso do Instituto Lula e pagamentos ilícitos para ele e para o Partido dos Trabalhadores (PT).

A retirada da delação de Palocci do caso foi aprovada pela Segunda Turma do STF por dois votos, os de Ricardo Lewandowski e de Gilmar Mentes, a um, o de Edson Fachin.

A defesa de Lula afirma que houve quebra de imparcialidade ao utilizar a delação no caso, já que o então juiz da Lava Jato Sergio Moro teria incluído as informações do depoimento do ex-ministro dias antes das eleições presidenciais de 2018.

Para Ricardo Lewandowski, Moro teve intenção de gerar um fato político e constrangimento ilegal a Lula, o que leva a exclusão das provas.

Gilmar Mendes afirma que a demora para usar a delação “parece ter sido cuidadosamente planejada pelo magistrado para gerar verdadeiro fato político “.

“Verifica-se que o acordo foi juntado aos autos da ação penal cerca de três meses após a decisão judicial que o homologara. Essa demora parece ter sido cuidadosamente planejada pelo magistrado para gerar verdadeiro fato político na semana que antecedia o primeiro turno da eleições presidenciais de 2018″, diz Mendes.

Já Fachin, que votou contra, afirma que a forma da defesa de Lula de questionar o uso da delação – por meio de um habeas corpus- não foi adequada. “Enfatizo que o habeas corpus consubstancia garantia processual vocacionada ao direito de locomoção e não se presta a tutelar regularidade de atos processuais”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana