conecte-se conosco


Economia

Governo acaba com multa de 10% paga pelo empregador em demissão sem justa causa

Publicado

source
Jair Bolsonaro, do PSL arrow-options
Alan Santos/PR

Jair Bolsonaro, do PSL

O presidente Jair Bolsonaro acabou com a multa de 10% do FGTS paga pelo empregador ao governo em caso de demissão sem justa causa. A Lei n° 13.932 publicada nesta quinta-feira (12) no Diário Oficial da União passa a valer a partir do de 1° de janeiro, e não interfere nos 40% que devem ser pagos trabalhador dispensado.

LEIA MAIS: FGTS poderá distribuir mais que 50% ds lucros, informa governo

De acordo com Bolsonaro, a medida provisória convertida em lei reduzirá o custo de um trabalhador para a empresa (abrindo uma folga de R$ 6,1 bilhões no orçamento), sem afetar o valor que deve ser recebido em caso de demissão.

A multa de 10% foi implementada durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, em 2001, pela compensação e reparação de perdas históricas – incluindo a era Collor. Ainda que a fatura já estivesse liquidada, o governo brasileiro manteve a cobrança ao empregador.

LEIA MAIS: Grandes cidades perdem participação no PIB brasileiro ano a ano, diz IBGE


O governo espera que a redução de encargos trabalhistas possa servir de estímulo para reaquecer a economia e amenizar o desemprego . De acordo com a última pesquisa divulgada pelo IBGE no fim de novembro, a taxa de desemprego no Brasil voltou a recuar; em outubro caiu para 11,6%, atingindo 12,4 milhões de pessoas.

Leia mais:  Governo quer reduzir pela metade o preço do gás de cozinha, diz Guedes

LEIA MAIS: Atividade econômica cresce 0,17%, diz Banco Central

Os dados do IBGE mostram que o resultado do desemprego foi influenciado pelo aumento do trabalho informal ou por conta própria e do número de pessoas que trabalham menos horas do que gostaria.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook

Economia

Bolsonaro diz que proposta de reforma administrativa está quase pronta

Publicado

por

source
Bolsonaro cochichando no ouvido de Paulo Guedes arrow-options
Antonio Cruz/Agência Brasil

Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes

O presidente Jair Bolsonaro declarou neste domingo que a reforma administrativa que o governo vai enviar ao Congresso está praticamente pronta. Sinalizou também que uma abertura comercial do país será gradual para não quebrar a indústria nacional. Em visita oficial à Índia, Bolsonaro participou, como convidado de honra, das celebrações do Dia da República, que celebra os 70 anos de Constituição da Índia.

Leia também: Uma nova reforma da Previdência será necessária em dez anos

“A Índia está na economia à nossa frente. O que falta para a gente crescer? Onde está o problema? Eu poderia falar, mas não vou falar para não dar manchete aos jornais amanhã”, disse à imprensa.

Mas, pouco depois, acrescentou: “Com essa sinalização da menor taxa de juro no Brasil, melhorando o ambiente para negócios, abrindo um pouco, desburocratizando, desregulamentando, a saída é por aí”.

Ao ser perguntado se poderia seguir a decisão do governo da Índia de reduzir o imposto sobre as companhias, em meio à insatisfação indiana com ”apenas” 5% de crescimento da economia, Bolsonaro citou o ministro Paulo Guedes.

“O Guedes já me disse que se fizer de uma hora para outra ele quebra a indústria nacional. Tem que ser devagar. Impostos não sou eu, governo federal, tem os estados e municípios. Aqui tem muita gente humilde com celular na mão. Porque tem empresas nacionais, e o imposto é muito baixo em cima disso”, afirmou.

Leia mais:  Reforma trará economia de R$ 807,9 bilhões em dez anos para o INSS, diz governo

E acrescentou: “Temos uma dívida interna monstruosa, uma folha de ativos e inativos muito grande, e não podermos fazer essas coisas de uma hora para outra”.

No ano passado, no Fórum Econômico Mundial, o ministro da Economia, Paulo Guedes , prometeu corte pela metade do imposto sobre as empresas, inclusive para atrair mais investimentos e lembrando que os EUA tinham baixado também a taxa.

O presidente destacou que continuará a promover a desburocratização, citando como exemplo a demora de quase seis meses para “desembaraçar” uma moto náutica que vem do exterior.

Reforma administrativa

Bolsonaro foi indagado sobre qual seria a prioridade do governo já que os parlamentares, a partir do segundo semestre, estarão focados nas eleições municipais de outubro. O presidente afirmou que a reforma administrativa está praticamente pronta, “só falta a última palavra do Paulo Guedes”.

“A reforma tributária também é importante. Temos que aproveitar porque a partir de junho tem as eleições municipais”.


Bolsonaro não disse qual projeto de reforma será enviado primeiro, respondendo que ”tanto faz a ordem, o Paulo Guedes decide lá”. Sobre a reforma tributária, limitou-se a dizer que é para simplificação de impostos”.

Leia também: Brasil e Índia se comprometem a dobrar comércio bilateral até 2022

Fontes do governo tem sinalizado que a reforma administrativa que o governo pretende encaminhar ao Congresso será feita em fases, ou seja, composta por Proposta de Emenda Constitucional (PEC), projetos de leis e decretos. A expectativa é de que tudo esteja aprovado e implementado até 2022.

Leia mais:  Governo demite chefe da inteligência da Receita Federal

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Perfil paulistano: veja as profissões com mais oportunidades em São Paulo

Publicado

por

source
avenida paulista arrow-options
Marcelo Camargo/ABr

São Paulo é a terra das oportunidades para profissionais como vendedores e analista de sistemas

A cidade de São Paulo comemorou seus 466 anos neste sábado (25). Para marcar a data, a Catho preparou um levantamento e identificou oito profissões que tiveram aumento maior na oferta de vagas no último ano em relação a outras cidades brasileiras.

As carreiras na área de Tecnologia se destacam, com elevação, em alguns cargos, de mais de 36%.

Segundo a pesquisa, que compara a divulgação de novas vagas entre 2018 e 2019, além das oportunidades no setor tecnológico, funções no segmento comercial e de serviços também registraram avanços significativos, com números que variam entre 13% e 18%.

Esses índices e carreiras diversos espelham a pluralidade de São Paulo, além de sinalizar um pequeno aquecimento da economia.

Como conseguir um emprego no mercado digital em 2020

Programador ocupou o primeiro lugar na lista da Catho arrow-options
shutterstock

Programador ocupou o primeiro lugar na lista da Catho

Para Rafael Stille, diretor de Produtos e Estratégia da Catho, “São Paulo é conhecida como a cidade das oportunidades, onde tudo acontece antes. Os cargos levantados como destaque reforçam esse conhecimento comum, pois vemos diversidade de segmentos e de oportunidades para todo tipo de profissional”, afirma.

Conheça abaixo os oito cargos que mais cresceram na cidade no último ano:

Programador C# (36%): A linguagem de programação cresceu no último ano e está em alta no segmento de TI. Com salários atrativos, esses profissionais encontram oportunidades nas área de informática, indústria e prestação de serviços.

Leia mais:  Joice diz que governo busca margem de votos e vai alterar parecer da reforma

Analista de Segurança da Informação (27%): Com a expansão de novas tecnologias, aumento-se também a violação de dados, o que permitiu o crescimento desse profissional, que protege informações comerciais e indica as melhores práticas para reduzir ameaças.

Programador PHP (26%): Dentro da área de Tecnologia, o analista atua nos “bastidores” de sites e servidores web, buscando interações entre o banco de dados e usuários.


Analista de Business Intelligence – BI (21%): Um dos usos da informação se dá por meio do profissional de BI que, por meio de coleta de dados, transforma números em suporte na tomada de decisões de uma empresa.

Esteticista (18%): Profissão da área de beleza, saúde e bem-estar, é uma das que mais movimentam a economia, tendo grande procura durante todo o ano.

Técnico em Segurança do Trabalho (18%): Com a preocupação das empresas em relação à segurança no ambiente de trabalho, abre-se espaço para esse profissional, que realiza ações preventivas voltadas diretamente para os funcionários como programas de atenção à saúde, aos acidentes de trabalho, entre outros.

Programador Back-end (15%): Responsável por dinamizar sites, organiza informações invisíveis para melhorar a experiência dos usuários. Com a participação crescente de empresas no meio digital aumentou a busca por esse profissional.

Vendedor (13%): Segundo levantamento realizado pela Catho em 2019, a área comercial cresceu 5% no último ano, refletindo diretamente na procura por este profissional no mercado.

Leia mais:  Governo demite chefe da inteligência da Receita Federal

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana