conecte-se conosco



Carros e Motos

GM fechará fábricas e vai tirar o Chevrolet Cruze de linha nos EUA

Publicado


Chevrolet Cruze: modelo médio deixa de ser produzido nos Estados Unidos a partir de março do ano que vem
Divulgação

Chevrolet Cruze: modelo médio deixa de ser produzido nos Estados Unidos a partir de março do ano que vem

A GM anuncia o fechamento de fábricas nos EUA e uma redução de 15% nos gastos com folha de pagamento. Além disso, uma série de modelos da marca americana deixarão de serem fabricados a partir de março de 2019, o que inclui o Chevrolet Cruze e o elétrico Volt, primeiro modelo do gênero que a marca lançou, em 2011.

LEIA MAIS: GM lança linha 2019 do Cruze com série especial Black Bow Tie

A lista de carros da GM que deixarão ser fabricados não inclui apenas o Chevrolet Cruze e continua com a picape GMC Sierra, Cadillac CT6 e o Chevrolet Impala. Além disso, fábricas de peças de componentes serão fechadas, como a que faz itens do sistema de transmissão, em Warren (Michigan), que encerrará suas atividades em agosto de 2019. Antes disso, em abril, será fechada a unidade de produção de Baltimore. 

Além das fábricas norte-americanas, a GM irá fechar duas fábricas fora dos Estados Unidos em 2019. Uma delas será a de Gunsan, na Coréia do Sul. Tudo isso em função da readequação à nova realidade do mercado de automóveis no mundo, que tem mostrado queda de demanda e mudança na preferência dos consumidores que têm comprado menos sedãs, mais SUVs e modelos elétricos. Veja abaixo quais modelos deixarão de ser feitos.

Leia mais:  Fiat Strada ganha novos equipamentos no Salão do Automóvel 2018

LEIA MAIS:  Por que o Chevrolet Cruze não empolga os brasileiros?


GM vai tirar vários modelos de linha a partir do início de 2019. Um deles será o Chevrolet Cruze
Divulgação

GM vai tirar vários modelos de linha a partir do início de 2019. Um deles será o Chevrolet Cruze

Com as novas medidas, a GM espera economizar US$ 6 milhões até o final de 2020. O custo da folha de pagamento será reduzido em 15% e o quadro de executivos sofrerá uma queda de 25%. De acordo com a CEO da GM, Mary Barra, “as medidas que estamos tomando fazem parte das mudanças na empresa para torná-la lucrativa, sólida e pronta para investir no futuro que bate à nossa porta”.

Com isso, a GM planeja dobrar os investiumentos em carros autônomos e elétricos, otimizar seu portifólio de modelos oferecidos atualmente e aumentar o volume de componentes intercambiáveis do seu portifólio. Para reduzir custos, terá uma estrutura mais enxuta e usará mais ferramentas virtuais para o desenvolvimento de novos produtos.

LEIA MAIS: Chevrolet Tracker 2019 chega com controle de estabilidade em todas as versões

As estimativas da GM indicam que já no começo da próxima década mais de 75% das suas vendas globais virão do modelos fabricados de apenas cinco diferentes plataformas.

No Brasil, GM começa a vender o Bolt


Chevrolet Bolt EV chega ao Brasil por R$ 175 mil. Representa uma nova era na GM, que tira o Chevrolet Cruze de linha
Divulgação

Chevrolet Bolt EV chega ao Brasil por R$ 175 mil. Representa uma nova era na GM, que tira o Chevrolet Cruze de linha

 O Bolt EV é um dos modelos mais importantes da General Motors em todo o mundo e acaba de chegar ao Brasil por R$ 175 mil. A marca se diz a primeira fabricante a transformar a relação entre o custo do veículo e o quanto o consumidor irá economizar em combustível em algo palpável. Dessa forma, o Bolt virá ao Brasil para “democratizar” a categoria dos carros elétricos.

Leia mais:  Honda HR-V Sport europeuantecipa o novo Touring 1.5 turbo do Brasil

De acordo com Carlos Zarlenga, presidente da marca na América Latina, serão 30 lançamentos até 2022. Entre os esportivos, o Camaro estreia novo visual para manter a competitividade contra o Mustang. O Chevrolet Bolt EV , por sua vez, é o futuro rival de Nissan Leaf, já contando com os incentivos do Rota 2030. 

LEIA MAIS: Chevrolet Bolt revela um futuro brilhante sobre carros elétricos. Veja vídeo

Serão 383 km de autonomia com carga completa, a maior da categoria. A recarga pode ser feita em tomadas com opções diferenciadas para cada tipo de consumidor. De acordo com a GM, uma hora de recarga doméstica proporciona 40 km de autonomia. Carregadores de eletropostos são mais eficientes, bastando apenas 30 minutos para rodar mais 145 km, vantagem que o Chevrolet Cruze não tem. 

Comentários Facebook
publicidade

Carros e Motos

Ford Ranger Storm tem chegada ao Brasil confirmada para o fim de 2019

Publicado

por


Ford Ranger Storm de produção será praticamente igual à versão conceitual, com uma série de itens exclusivos
Divulgação

Ford Ranger Storm de produção será praticamente igual à versão conceitual, com uma série de itens exclusivos

A Ford confirma que vai lançar no Brasil a versão Storm da picape Ranger no final de 2019. Trata-se da versão de produção feita a partir do protótipo mostrado no Salão do Automóvel, no São Paulo Expo, entre 8 e 18 de novembro. De acordo com a fabricante, o utilitário terá estilo diferenciado das demais versões, com pintura em duas cores, alargadores de para-lama, snorkel entre outros itens.

LEIA MAIS: Ford vai lançar Ranger Raptor na Argentina em meados de 2019

O motor da Ford Ranger Storm será o mesmo 3.2, turbodiesel, de 200 cv já oferecido hoje em dia, que funciona com câmbio automático de seis marchas. E entre os itens de série, a picape terá central multimídia Sync 3, sete air bags, câmera de ré, sensores de estacionamento, piloto automático com limitador de velocidade e controle eletrônico de estabilidade e tração, entre outros itens.


Ford Ranger Storm vem com tampa da caçamba pintada de preto fosco e lanternas fumês entre as diferenças
Guilherme Menezes/iG

Ford Ranger Storm vem com tampa da caçamba pintada de preto fosco e lanternas fumês entre as diferenças

Mas, enquanto isso, na Argentina, a Ford vai lançar a versão Raptor da Ranger, em meados de 2019. O utilitário será importado da Tailândia, com um conjunto estrutural e mecânico mais impressionante. O motor é um 2.0 turbodiesel, desenvolvido pela Ford Performance, de 213 cv 51 kgfm de torque ante 47,9 kgfm da Storm . Outra diferença é o câmbio da Raptor, de 10 marchas, bem como a suspensão e o sistema de tração com “Baja Mode”,próprio para uso em trechos off-road.

Leia mais:  Veja 5 ensinamentos que o Salão do Automóvel deixará para o futuro

LEIA MAIS: Ford Ranger 2019 chega com redução de preço em todas as versões

Acima da Ranger


Maior que a Ranger, Ford F-150 Raptor vem com V8 de 457 cavalos que funciona com câmbio automático de 10 marchas
Guilherme Menezes/iG

Maior que a Ranger, Ford F-150 Raptor vem com V8 de 457 cavalos que funciona com câmbio automático de 10 marchas

Tanto a Ranger Storm quanto a Raptor são inspiradas na versão mais potente da F-150, que a reportagem de iG Carros teve a oportunidade de acelerar na pista da Ford, em Tatuí (SP). A picape tem dimensões gigantescas e visual que desbanca qualquer  rival. São 2.582 kg, quase seis metros de comprimento, tem dois metros de altura, 2,2 metros de largura, seu câmbio automático tem 10 marchas e o motor V6 biturbo, entrega 456 cv e brutais 70,5 kgfm.

LEIA MAIS: Aceleramos o Ford Raptor, veloz como o Mustang e bruto como um fuzileiro

A Special Vehicle Team (SVT), divisão esportiva da Ford, se inspirou nos Baja usados em competição para criar sua versão. É por isso que, em vez de ser rebaixada e usar pneus de perfil menor, a F-150 Raptor utiliza enormes BFGoodrich All Terrain que fazem as rodas de 17 polegadas parecerem 14 (que por sinal é o diâmetro dos discos dianteiros). Além disso, seus amortecedores de competição da Fox Racing, duplos na traseira, garantem 33 cm de curso na frente e 35 cm atrás. Ou seja, uma picape mais poderosa que qualquer versão da Ranger .

Leia mais:  Mercedes-AMG GLA 45 tem o motor 4 cilindros mais potente do mundo

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Sucessor do Touareg, VW Atlas Cross Sport é revelado antes da estreia

Publicado

por


VW Atlas Cross Sport: Entrerá no lugar do Touareg para entregar discrição e sofisticação dos SUVs grandes
Reprodução/Autohome

VW Atlas Cross Sport: Entrerá no lugar do Touareg para entregar discrição e sofisticação dos SUVs grandes

Apenas oito meses após aparecer publicamente no Salão de Nova York (EUA), o VW Atlas Cross Sport surge nesta semana na China sem qualquer disfarce e praticamente pronto para chegar às lojas, como mostram as imagens do site Autohome. O design geral se manteve fiel às linhas antecipadas pelo protótipo, embora tenha se tornado mais convencional. O estilo da carroceria segue caracterizado pela traseira com inspiração em modelos cupê, mas que não abandona os ares de robustez dos SUVs e conservadores dos modelos da VW em geral.

LEIA MAIS: Vazam fotos e detalhes do Volkswagen Tarek, futuro rival do Jeep Compass

O interessante é que, apesar de derivar o Atlas grandalhão de 7 lugares, o VW Atlas Cross Sport teve a dianteira praticamente toda redesenhada. Olhando atentamente, é possível notar que o formato dos faróis é exclusivo do modelo, os filetes que formam a grade são novos e o para-choque foi inteiramente remodelado.

LEIA MAIS: Dupla Polo e Virtus recupera imagem da VW e projeta busca pela liderança


Visual do VW Atlas Cross Sport é bastante similar ao do novo Tiguan Allspace, primeiro da linha a estrear o design
Reprodução/Autohome

Visual do VW Atlas Cross Sport é bastante similar ao do novo Tiguan Allspace, primeiro da linha a estrear o design

Nas laterais, as caixas-de-rodas continuam salientes e bem definidas, mas a maçanetas mudaram em relação ao conceito — agora estão em posição mais elevada e não mais sincronizadas com o vinco que atravessa as portas. Na traseira, as lanternas conservaram o desenho e os detalhes cromados foram mantidos.

Leia mais:  Toyota Yaris e Hilux ganham novas versões em 2019. Saiba mais detalhes

LEIA MAIS: Nova plataforma equipará todo o tipo de Volkswagen elétrico e reduzirá custos

Virá com uma série de dispositivos eletrônicos, como alertas de ponto cego e de iminência de colisão, controle de velocidade de cruzeiro adaptativo, entre outros. Entretanto, será um carro bem mais em conta que rivais alemães da BWW e Mercedes, uma vez que não carrega a grife de marca premium.

LEIA MAIS: Ninguém mais compra o Gol, mas ele ainda brilha. Entenda as razões

Mais detalhes técnicos do VW Atlas Cross Sport


Imprensa chinesa registrou detalhes do VW Atlas Cross Sport, mercado que promete garantir volume de vendas
Reprodução/Autohome

Imprensa chinesa registrou detalhes do VW Atlas Cross Sport, mercado que promete garantir volume de vendas

De acordo com a imprensa chinesa CNBeta, o SUV mede 4,90 metros de comprimento, 1,98 metro de largura, 1,71 metro de altura e possui 2,98 metros de entre-eixos. Em relação ao Atlas convencional, a distância entre-eixos e a largura são idênticas, mas o comprimento total diminuiu e o teto foi obviamente rebaixado. Sob o capô, o modelo oriental terá motores 2.0 TSI de 186 cv ou 220 cv e 2.5 VR6 de 299 cv. O câmbio será automatizado DSG, de 7 marchas, e dupla embreagem, com tração integral 4Motion como opcional.

LEIA MAIS: Volkswagen responde ao Ford EcoSport com o T Cross 16 anos depois

Além da China, o VW Atlas Cross Sport será produzido também no Tennessee, Estados Unidos, ao lado do irmão maior. A chegada ao Brasil ainda não foi confirmada, mas os planos da Volkswagen para o segmento de utilitários são bastante ambiciosos. A própria marca já adiantou que lançará 5 novos SUVs por aqui até 2020 e o Cross Sport pode estar incluído nessa conta como opção mais cara ao Tarek e ao  Tiguan Allspace , substituindo o Touareg .

Leia mais:  Chevrolet Spin da linha 2019 ganha nova versão para PCD

Fonte: Autohome

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana