conecte-se conosco



Economia

Funcionários dos Correios fazem greve nacional por tempo indeterminado

Publicado

source
Correios arrow-options
Divulgação / Sintect-MA
Greve nacional foi iniciada na madrugada desta quarta-feira

No início da madrugada desta quarta-feira (11), os trabalhadores dos Correios entraram em greve nacional por tempo indeterminado. Os funcionários dizem que o governo e a direção da estatal querem reduzir salários e benefícios para diminuir custos e privatizar os Correios.

Leia também: Frota diz que Carlos Bolsonaro age como se fosse o presidente e deveria se calar

A categoria é contra a proposta de reajuste salarial de 0,8% feita pelos Correios . Além disso, os funcionários criticam retirada de pais e mães do plano de saúde, a exclusão do vale cultura, a redução do adicional de férias de 70% para 33% e o aumento da mensalidade do convênio médico e da coparticipação em tratamentos de saúde.

“A empresa quer retirar benefícios que vão trazer um prejuízo anual ao trabalhador entre 7 e 8 mil reais. Não estamos nem pedindo aumento real do salário, apenas a reposição da inflação e a manutenção dos benefícios”, diz Pedro Alexandre, diretor de imprensa dos sindicato dos Correios no Rio.

A federação nacional do sindicato dos Correios diz que assembleias em São Paulo, Rio de Janeiro, Bauru, Tocantins e Maranhão aprovaram a greve .

Em nota, os Correios dizem que participaram de dez encontros na mesa de negociação com os representantes dos trabalhadores , quando foi apresentada a real situação econômica da estatal e propostas para o Acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado na ordem de R$ 3 bilhões. Mas as federações, no entanto, expuseram propostas que superam até mesmo o faturamento anual da empresa, “algo insustentável para o projeto de reequilíbrio financeiro em curso pela empresa”.

Leia mais:  Está na hora de sair da crise

Leia também: Dodge defende cassação de mandato da senadora “Moro de saias”


“No momento, o principal compromisso da direção dos Correios é conferir à sociedade uma empresa sustentável. Por isso, a estatal conta com os empregados no trabalho de recuperação financeira da empresa e no atendimento à população”, finaliza a nota.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook

Economia

Pagamento de abono do PIS/Pasep é liberado: veja quem tem direito

Publicado

por

source

Agência Brasil

carteira de trabalho arrow-options
Reprodução
Parte dos saques do abono do PIS/Pasep começam nesta quinta-feira e vão até 30 de junho de 2020

O abono salarial dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) do calendário 2019/2020 começa a ser pago nesta quinta-feira (14) para os beneficiários nascidos em novembro e servidores públicos com final de inscrição 04.

A Caixa Econômica Federal é responsável pelo pagamento do abono salarial do PIS. Os pagamentos são disponibilizados de forma escalonada conforme o mês de nascimento do trabalhador.

Caixa e BB perdem exclusividade de pagar seguro-desemprego e abono PIS/Pasep

Os titulares que possuem conta individual na Caixa com cadastro atualizado já receberam o crédito automático antecipado na última terça-feira (12).

Os primeiros a receber o abono foram os nascidos em julho, no caso dos trabalhadores da iniciativa privada. Quanto aos servidores públicos, os que têm inscrição iniciada em zero.

Os trabalhadores que nasceram até dezembro recebem o PIS ainda este ano. Os nascidos entre janeiro e junho terão o recurso disponível para saque em 2020.

Os servidores públicos com o dígito final de inscrição do Pasep de 0 e 4 também recebem este ano. Já no caso das inscrições com o final entre 5 e 9, o pagamento será no próximo ano.

Saque do FGTS aumentou para R$ 998: saiba quando você poderá tirar o dinheiro

O limite para sacar os recursos do exercício 2019/2020 será no dia  30 de junho  de 2020.

Quem tem direito

O benefício é pago ao trabalhador inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos , que tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias ao longo de 2018 com remuneração mensal média de até dois salários mínimos .

Para ter direito ao abono também é necessário que o empregador tenha informado os dados do empregado na Relação Anual de Informações Sociais (Rais) 2018.

Para os trabalhadores que tiverem os dados declarados na Rais 2018 fora do prazo e entregues até 25 de setembro de 2019, o pagamento do abono salarial ficou disponível no último dia 4. Após esse prazo de entrega da declaração, o abono será pago no calendário seguinte.

Leia mais:  Está na hora de sair da crise

Os trabalhadores que tiverem os dados dos últimos cinco anos corrigidos e declarados pelos empregadores na Rais também terão seu abono liberado conforme o calendário regular . Se os empregadores encaminharem correções do cadastro a partir de 12 de junho de 2020, os recursos serão liberados no próximo calendário.

O teto pago é de até um salário mínimo (R$ 998), com o valor calculado na proporção de 1/12 do salário. A quantia que cada trabalhador vai receber é proporcional ao número de meses trabalhados formalmente em 2018.

Governo extingue multa adicional de 10% do FGTS em demissões sem justa causa

Os herdeiros também têm direito ao saque. No caso de falecimento do participante, herdeiros têm que apresentar documentos que comprovem a morte e a condição de beneficiário legal.

Como sacar o PIS

O pagamento do PIS é feito pela Caixa e o do Pasep, pelo Banco do Brasil. Os clientes da Caixa e do Banco do Brasil recebem o dinheiro diretamente na conta.

Segundo a Caixa, beneficiários que não têm conta no banco, mas possuem Cartão do Cidadão com senha cadastrada podem pegar o recurso em casas lotéricas, ponto de atendimento Caixa Aqui ou terminais de autoatendimento da Caixa.

Caso não tenha o Cartão do Cidadão, o valor pode ser retirado em qualquer agência do banco. Nesse caso, é preciso apresentar um documento de identificação oficial .

O valor do benefício pode ser consultado no aplicativo Caixa Trabalhador , no site da Caixa ou pelo Atendimento Caixa ao Cidadão pelo 0800 726 0207.

De acordo com o banco, o total disponibilizado para o pagamento do PIS no atual calendário é de R$ 16,4 bilhões, beneficiando 21,6 milhões de trabalhadores .

Leia mais:  Petrobras já perdeu R$ 91 milhões desde interferência de Bolsonaro no diesel

Como receber o Pasep

No caso do Pasep, pago pelo Banco do Brasil , mais de 2,9 milhões de trabalhadores têm direito ao abono, totalizando R$ 2,6 bilhões.

Este ano, a novidade é que correntistas de outras instituições financeiras podem enviar transferência eletrônica disponível (TED) sem custos. Para os clientes Banco do Brasil, o crédito automático em conta será feito dois dias antes da liberação dos pagamentos.

Entre os servidores públicos e militares, com direito ao saque do abono no exercício 2019/2020, cerca de 1,6 milhão não têm conta no Banco do Brasil. Para facilitar o recebimento, esse público não precisará se deslocar a uma das agências do banco.

Na página da internet criada pelo BB para o pagamento do benefício, o servidor poderá solicitar a transferência bancária do valor do seu abono, de acordo com o calendário de pagamento. A transferência também pode ser feita em qualquer terminal de autoatendimento do Banco do Brasil.

Os demais beneficiários (cerca de 1,3 milhão de trabalhadores) são correntistas do banco. Para saber se tem direito ao abono, o trabalhador pode consultar o site  www.bb.com.br/pasep ou telefonar para a Central de Atendimento do Banco do Brasil, nos telefones 4004-0001 e 0800-729-0001.

Histórico

As leis complementares nº 7 e 8 de 1970, respectivamente, criaram o PIS e o Pasep . A partir de 1976, foi feita a unificação dos programas no Fundo PIS/Pasep.

Até outubro de 1988 os empregadores contribuíam ao Fundo de Participação PIS/Pasep, que distribuía valores aos empregados na forma de cotas proporcionais ao salário e tempo de serviço.

Após a promulgação da Constituição de 1988 , as contribuições recolhidas em nome do PIS/Pasep não acrescentam saldo às contas individuais.

Os recursos passaram a compor o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) , para o custeio do Programa do Seguro-Desemprego, do Abono Salarial e a financiamento de programas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).


O abono salarial que não for retirado dentro do calendário anual de pagamentos será devolvido ao FAT.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

No primeiro dia de reforma da Previdência, INSS enfrenta crises no atendimento

Publicado

por

source
previdencia arrow-options
Agência Brasil
Alterada durante pouco mais de oito meses, reforma da Previdência foi aprovada no último dia 13

Publicadas no Diário Oficial da União (DOU) na última quarta-feira (13) as novas regras da Previdência já começaram a valer no Brasil. As centrais de atendimento do INSS , porém, ainda não estão adaptadas à mudança e enfrentam crises nesta quinta-feira. Tanto a plataforma virtual Meu INSS quanto o atendimento por telefone divulgam regras desatualizadas para obtenção dos benefícios.

Com enorme fluxo de acesso nesta manhã, o  Meu INSS – recurso virtual que também possui um aplicativo com a mesma funcionalidade – é a plataforma que oferece informações rápidas sobre a Previdência e tem como principal ferramenta a “Simulação de Aposentadoria ”, que leva em conta a situação de cada trabalhador e estima o tempo que falta para se aposentar. 

Leia mais: Conheça as regras de transição para cada categoria

Quem buscou pela ferramenta nesta quinta-feira, porém, encontrou um campo vazio no lugar onde costumava haver um botão pelo qual antes era possível saber o tempo que faltava para obter o benefício por idade ou tempo de serviço. Além disso, devido aos muitos acessos, o site apresenta instabilidade desde o início da manhã, com muitos momentos fora do ar. 

Problema parecido é enfrentado por quem busca informações por telefone, por meio da central 133. Com muitas linhas congestionadas e bastante tempo de espera para o contato com atendentes, as regras divulgadas pela mensagem eletrônica do serviço ainda estão desatualizadas em relação à reforma vigente desde ontem. 

Leia mais:  Mais de 11 milhões sacarão valores menores ou nada de FGTS por falta de depósito

Em nota à imprensa, o INSS informou que “os sistemas de concessão já estão sendo preparados para que as novas regras sejam implementadas” – referindo-se tanto às plataformas de atendimento quanto às agências – mas não ofereceu detalhes sobre quando exatamente as mudanças estarão acessíveis. 


Veja as principais mudanças da reforma da Previdência 

– A emenda constitucional fixa idade mínima de aposentadoria de 65 anos para os homens e de 62 anos para as mulheres;
– O cálculo do benefício também mudou. Agora, vai se basear na média de todos os salários do trabalhador e não nos 80% maiores, como acontecia até o dia 12 de novembro;
– Com 20 anos de contribuição, os trabalhadores homens terão 60% da média. Esse percentual sobe 2 pontos por cada ano de trabalho a mais;
– Para as mulheres, o tempo de contribuição mínimo é de 15 anos; 
– Redução da  pensão por morte em 40% quando o único dependente é o cônjuge. A acumulação de pensão com aposentadoria também é restringida.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana