conecte-se conosco


Política Nacional

Frota rebate Onyx sobre união da direita: “Superar divergências é o c******”

Publicado

source
Alexandre Frota falando no microfone da Câmara dos Deputados arrow-options
Michel Jesus/Câmara dos Deputados
Alexandre Frota saiu recentemente do PSL após críticas a Bolsonaro

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) rebateu neste sábado (12) uma fala do ministro da Casa Civil , Onyx Lorenzoni , sobre a defesa de união da direita feita durante a Cpac, uma conferência conservadora que está sendo realizada em São Paulo. “Superar divergências é o caralho”, respondeu Frota pelo Twitter após Lorenzoni pedir que “precisamos nos unir superando divergências”.

Frota disse que respeita o chefe da Casa Civil e que vai “preservá-lo”, mas que sabe “de tudo”, “como foi feito” e “porque estamos passando por isso”. “Fiquei cinco anos dentro dessa merda”, completou.

Em seu discurso na Cpac, Onyx disse que a direita precisa se unir para uma eventual volta da esquerda ao poder. “Pelo amor de Deus, temos a chance de nossas vidas. Para nunca mais permitir que essa gente [a esquerda] volte e faça o que eles fizeram”,  afirmou.

Recentemente o campo conservador tem passado por uma turbulência que tem como pivôs o presidente nacional do PSL, Luciano Bivar , e o presidente Jair Bolsonaro .

Leia mais:  “Continuamos na fila”, diz ministra da Agricultura sobre o Brasil entrar na OCDE

Leia também: Frota usa redes para lembrar da história de Queiroz


Em resposta a um apoiador que disse ser pré-candidato pelo PSL de Recife, Bolsonaro pediu para que ele “esquecesse” o partido e ainda disse que Bivar “está queimado pra caramba”. O diálogo ocorreu na saída do Palácio da Alvorada. “Esquece o PSL . Tá ok? Esquece”, comentou Bolsonaro ao ouvido do apoiador.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
publicidade

Política Nacional

Inquérito de Flávio Bolsonaro vai recomeçar do zero, diz colunista

Publicado

por

source
Flávio Bolsonaro arrow-options
Pedro França/Agência Senado – 25.9.19
Flávio Bolsonaro é investigado por supostamente ter se apropriado de parte do salário de seus assessores enquanto era deputado estadual

O colunista da revista Veja Ricardo Noblat afirmou que já há maioria no Supremo Tribunal Federal (STF) para confirmar a decisão do presidente Dias Toffoli de suspender inquéritos abertos com base em informações fiscais compartilhadas com o Ministério Público sem prévia autorização judicial.

Leia também: Derrotado ao Senado deve ser candidato do PT para a prefeitura de São Paulo

Essa decisão significa que os inquéritos como o de Flávio Bolsonaro , que se iniciou a partir de informações fornecidas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras ( Coaf ) ao MP deverão recomeçar do zero. A suspeita sobre Flávio é de que ele, enquanto era deputado estadual pelo Rio de Janeiro, se apropriava de parte do salário dos funcionários de seu gabinete. O esquema seria operado pelo seu ex-assessor, Fabrício Queiroz .

Leia também: Militantes do Escola Sem Partido são agredidos após debate na USP


Segundo Noblat, o próprio presidente Jair Bolsonaro já estaria a par desta informação. No entanto, ainda não há data prevista para que a decisão de Toffoli seja levada para o plenário do Supremo.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Leia mais:  Governo publica resolução que determina fiscalização de barragens
Continue lendo

Política Nacional

Derrotado ao Senado deve ser candidato do PT para a prefeitura de São Paulo

Publicado

por

source
Jilmar Tatto arrow-options
Vitor Sorano/iG
Jilmar Tatto foi secretário de Transportes de São Paulo em duas oportunidades em que o PT esteve na prefeitura


O PT começa a se movimentar na escolha de seu candidato para as eleições de 2020 em São Paulo. Com Fernando Haddad já em campanha para novamente tentar a Presidência da República em 2022, o o partido deve apostar em um outro nome e o ex-secretário de Transportes Jilmar Tatto é o favorito a ser lançado.

Leia também: Presidente do PSL é alvo de mandados de busca e apreensão da Polícia Federal

Ex-deputado estadual e federal pelo PT , Jilmar Tatto, 54, foi um dos candidatos derrotados do partido ao Senado por São Paulo no ano passado. Nas eleições que elegeram Major Olímpio (PSL) e Mara Gabrilli (PSDB), Tatto terminou na sétima colocação, com 6% dos votos.

Deputado federal eleito nas eleições de 2006 e 2010, Jilmar Tatto foi um grande aliado do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva na articulação com o Congresso. Em 2010, último ano do mandato do petista na presidência, foi líder da bancada do PT.

Leia também: Joice Hasselmann garante que será candidata por outro partido se PSL não a quiser


O PT tenta retomar a prefeitura de São Paulo após quatro anos. Fernando Haddad foi eleito em 2012, mas não conseguiu a reeleição em 2016, sendo derrotado por João Doria (PSDB). Além do candidato do Partido dos Trabalhadores, outros nomes já são cotados para a eleição, como o atual prefeito Bruno Covas (PSDB), a deputada federal Joice Hasselmann (PSL), o apresentador de televisão José Luiz Daqtena (sem partido) e o deputado federal Celso Russomano (Republicanos).

Leia mais:  Governo publica resolução que determina fiscalização de barragens


Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana