conecte-se conosco


Nacional

Força-tarefa da Lava Jato fala em possibilidade de hacker fabricar diálogos

Publicado

Força-tarefa da Lava Jato está preocupada com ataque hacker
Geraldo Bubniak/AGB/Estadão Conteúdo – 28.4.16
Força-tarefa da Lava Jato está preocupada com ataque hacker


No mesmo dia em que Integrantes do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) foram surpreendidos por mensagens enviadas, aparentemente, a partir do número de um dos conselheiros ao grupo do colegiado no aplicativo Telegram, a força-tarefa da Lava Jato emitiu uma nota em que sugere a possibilidade de hackres fabricarem diálogos.

Leia também: Deputado do PSL propõe convocar Greenwald, mas recua após euforia da oposição

De acordo com informação publicada pelo jornal  O Estado de São Paulo , um invasor usou o número do conselheiro Marcelo Weitzel Rabello de Souza para provocar apreensão nos procuradores ao afirmar que as mensagens publicadas no último fim de semana pelo site The Intercept Brasil são apenas “uma amostra do que vocês vão ver na semana que vem”. Instaurada confusão entre os conselheiros, alguns ligados a Lava Jato , o invasor decidiu se identificar: “aqui é o hacker”.

Leia também: Deputado do PSL propõe Lei Sergio Moro para combater invasão em aplicativos

“A divulgação de supostos diálogos obtidos por meio absolutamente ilícito, agravada por esse contexto de sequestro de contas virtuais, torna impossível aferir se houve edições, alterações, acréscimos ou supressões no material alegadamente obtido. Além disso, diálogos inteiros podem ter sido forjados pelo hacker ao se passar por autoridades e seus interlocutores. Uma informação conseguida por um hackeamento traz consigo dúvidas inafastáveis quanto à sua autenticidade, o que inevitavelmente também dará vazão à divulgação de fake News”, informa a força-tarefa.

Leia mais:  TRF-4 confirma juiz experiente para substituir Moro na Operação Lava Jato

Leia também: Indícios mostram que ataque hacker no ‘coração’ da Lava Jato foi planejado


A primeira denúncia sobre ataque hacker foi feita pelo hoje ministro da Justiça e ex-juiz federal Sergio Moro há duas semanas. No domingo, o site The Intercept revelou conversas entre Moro e procuradores da Lava Jato . O portal, porém, garante que os diálogos não foram obtidos através de um ataque virtual e sim por meio de uma fonte.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
publicidade

Nacional

Bolsonaro volta atrás e revoga decreto das armas para evitar nova derrota

Publicado

por

Bolsonaro
Isac Nóbrega/PR
Bolsonaro volta atrás e revoga decreto das armas para evitar nova derrota

Horas depois do porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, negar a possibilidade de revogação do decreto das armas, o presidente Jair Bolsonaro voltou atrás e acabou anulando a legislação. Ele também editou três novos textos para substituir os decretos anteriores.

Leia também: Governo não revogará decreto de armas, diz porta-voz de Bolsonaro

 O recuo ocorre no mesmo dia em que a Câmara dos Deputados poderia derrubar as medidas do governo, uma semana depois de o Senado aprovar decretos anulando os atos presidenciais.

Na mesma edição do DOU, há um despacho de Bolsonaro informando o encaminhamento ao Congresso de um projeto de lei que altera normas sobre registro, posse e comercialização de armas de fogo e munição e sobre o Sistema Nacional de Armas (Sinarm), além de definir crimes. O teor do texto ainda não foi divulgado.

Os decretos são assinados apenas por Bolsonaro e por Lorenzoni, enquanto os anteriores também tinham os ministros da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro.

Mais cedo o  porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros,   informou que o governo não iria revogar e nem atuarpara impedir a votação na Câmara. Segundo Otávio do Rêgo Barros , o presidente Jair Bolsonaro “já enfatizou que não irá interferir nas questões do Congresso Nacional”.

Leia mais:  Deputado do PSL diz que tiraria “homem que se sente mulher” a tapas do banheiro

Apesar da declaração, o ministro da Casa Civil avisou ao comando da Câmara que o governo iria revogar decreto que trata do porte de armas.  


O Senado aprovou projetos que derrubaram o decreto de armas na última terça, com 47 votos favoráveis e 28 contrários. Para ter validade, a decisão precisaria passar pelo plenário da Câmara, o que estava previsto para ocorrer nesta terça-feira.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Maia comemora revogação do decreto das armas: “Melhor caminho”

Publicado

por

Rodrigo Maia
Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
Rodrigo Maia comemorou a revogação do decreto das armas


O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta terça-feira (25) que negociou com  o governo a revogação do decreto de porte de armas editado pelo presidente JairBolsonaro . Ao chegar à Casa, Maia disse que foi avisado na manhã desta terça-feira sobre o assunto pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni . De acordo com Maia, ficou acordado que o Senado votaria dois projetos de lei sobre o posse de arma rural e o porte de arma para colecionadores. Além disso, o governo reeditaria três decretos.

Leia também: Bolsonaro volta atrás e revoga decreto das armas para evitar nova derrota

 “Foi o que ele me falou mais cedo (que o governo revogaria o decreto). Nós conversamos nos últimos dias que o melhor encaminhamento era um acordo que preservasse aquilo que é constitucional no decreto e, aquilo que não coubesse no decreto, encaminhasse por projeto de lei. O governo compreendeu que é o melhor caminho para que não pareça que é um movimento contra aqueles que defendem o uso de arma, mas é um tema muito difícil e polêmico, como a questão do porte de armas para várias profissões sem a (comprovação da) efetiva necessidade, questão, rural”, disse Maia .  

Leia também: Congresso prepara nova lei de armas para substituir decreto de Bolsonaro

O presidente acrescentou que espera não não ver novas inconstitucionalidades nos novos decretos editados pelo governo .


“O presidente do Senado deve votar hoje ou amanhã dois projetos importantes, apesar de um dos (novos) decretos tratar do assunto, que é a questão dos CACS (colecionadores). Deve tratar da questão rural, tratando da posse estendida. E o governo encaminha um projeto de lei e reedita os três decretos. E eu espero que nos decretos a gente não encontre nenhuma inconstitucionalidade. E o melhor é que a harmonia prevaleça”, disse Maia .

Leia mais:  Temer sanciona MP que beneficia montadoras e contraria ‘mantra’ de Paulo Guedes

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana