conecte-se conosco


Nacional

Força-tarefa acelera processos contra policiais militares do Rio

Publicado


source
Polícia Militar
Jovem Pan/Divulgação

Polícia Militar

A Secretaria de Estado da Polícia Militar do Rio de Janeiro (PMRJ) criou uma força-tarefa para acelerar a conclusão de centenas de procedimentos disciplinares envolvendo PMs. Na prática, os trabalhos foram iniciados na última sexta-feira (24).

Por determinação do secretário Rogério Figueredo de Lacerda, a força-tarefa será formada por assessores de Justiça e Disciplina. O objetivo é analisar, com a Corregedoria da corporação, todos os processos administrativos que podem resultar na expulsão ou absolvição de policiais militares. Em caso de absolvição, o PM volta ao serviço.

Os processos administrativos disciplinares serão separados por grau de gravidade. Os policiais que cometeram infrações menos graves serão liberados para o policiamento nas ruas, considerado atividade-fim.

Segundo o regulamento interno, quando o agente é submetido a Conselho de Disciplina ou Comissão de Revisão Disciplinar, ele é automaticamente afastado das rotinas de policiamento, perdendo inclusive a autorização para portar arma.

De acordo com a secretaria, a força-tarefa começou a trabalhar na última sexta-feira (24), com a criação do primeiro grupo de assessores do 2º Comando de Policiamento de Área (CPA), composto pelo chefe da Seção de Disciplina e Justiça de cada uma das cinco unidades operacionais subordinadas e pelos auxiliares diretos.

Policiamento

Para o secretário Rogério Figueredo, a medida possibilitará a conclusão mais rápida de avaliação dos casos de policiais que cometeram desvios de conduta graves e inaceitáveis, acelerando o processo de exclusão. Além disso, irá liberar o contingente que tiver julgamento favorável para reforçar o policiamento nas ruas.

“Reincorporando o grupo habilitado a atuar na atividade-fim e eliminando os maus policiais, estaremos ampliando nossa capacidade operacional e desonerando a folha de pagamento do estado”, declarou o coronel Figueredo.

Comentários Facebook

Nacional

Joice diz que Nordeste grita por fim da Lava Jato “para painho” Bolsonaro

Publicado

por


source
Deputada Joice Hasselmann
Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Deputada Joice Hasselmann

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) escreveu em seu Twitter nesta quinta-feira (30) que “no Nordeste, o povo grita para o painho: ‘fim da Lava Jato, fim da Lava Jato!'”, em referência à visita do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao município de São Raimundo Nonato, no Piauí, nesta manhã.

A publicação de Joice acompanha um vídeo da chegada do presidente ao município. No vídeo, apoiadores de Bolsonaro gritam pelo fim da Lava Jato ao recebê-lo no aeroporto. Ao escrever “para o painho” ela se refere a Bolsonaro.

“Bolsonaro quer terminar o q Lula não conseguiu. Bolsonaro é hoje a personificação do movimento ANTI LAVA-JATO , pela impunidade de corruptos. Tragédia”, afirmou a deputada.

A chegada de Bolsonaro ao município, que fica no nordeste , causou aglomeração de apoiadores do presidente. Desde o começo da pandemia, ele tem gerado aglomerações em suas aparições públicas.

Joice era aliada de Bolsonaro até o final do ano passado, chegando até ser líder do governo no Congresso. Em dezembro, o presidente rompeu com PSL e acabou entrando em conflito com a deputada também.

Veja a publicação feita por Joice :

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Irmãs de 100 e 96 anos vencem Covid-19 no Mato Grosso do Sul

Publicado

por


source
Irmãs, idosas de 100 e 96 anos se recuperam da Covid-19
Redes sociais/Reprodução

Irmãs, idosas de 100 e 96 anos se recuperam da Covid-19

Dirce Bastos Hass, 100, e Myrthes Bastos, 96, são irmãs e contraíram o novo coronavírus (Sars-Cov-2) ao mesmo tempo.  Exemplos de superação, são vizinhas, residentes de Corumbá (MS), se visitam diariamente e costumam se juntar na varanda para conversar e observar o movimento.

Segundo a prefeitura da cidade, Myrthes, a mais nova, apresentou os primeiros sintomas da doença, como febre, tosse e cansaço, e as duas fizeram o teste para detectar a doença.

Dois dias após, em 29 de junho, o resultado de ambas deu positivo. De acordo com Franz Martins Eger, enfermeiro que coordena a equipe de Home Care e que assiste as irmãs, “Elas foram tratadas com muita hidratação, repouso, e vitamina C.” “Não fizeram uso de outros medicamentos, apenas tratou-se os sintomas. Claro que, devido à idade, elas demoraram mais dias para se recuperar”, conta.

Myrthes afirmou que ficou mais de 15 dias com sintomas. Os principais: fraqueza e perda de olfato e paladar. No entanto, nunca achou que perderia a vida para a doença.

“Nunca fui pessimista. Enquanto há vida há esperança, nem lembro a minha idade, não se pode ficar desanimada”, afirmou.

Até o último boletim divulgado ontem às 15h pela prefeitura de Corumbá , a cidade registrava 1.166 casos oficiais de Covid-19 e 35 vítimas fatais.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana