conecte-se conosco


Política Nacional

Fachin pede que Dodge se manifeste em até dez dias sobre impeachment de Salles

Publicado

source
Salles arrow-options
Paulo Guereta/Photo Premium/Agencia O Globo – 26.8.19

Fachin pede que Dodge se manifeste em até dez dias sobre impeachment de Salles

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, pediu que a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, se manifeste em até dez dias sobre o  pedido de impeachment do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles (Novo). A informação publicada pela jornalista Mônica Bergamo em sua coluna no jornal Folha de S.Paulo .

A ação contra Salles foi protocolada no STF no dia 22 de agosto pelos parlamentares da Rede Sustentabilidade, Fabiano Contarato (ES) e Randolfe Rodrigues (AP) e Joenia Wapichana (RR). Entre outras justificativas, eles dizem que o ministro descumpriu o “dever constitucional de proteção ao meio ambiente e dos compromissos internacionais assumidos pelo Brasil”.

No pedido, os parlamentares dizem que “estatísticas de todas as fontes – governamentais e não governamentais – indicam retrocessos significativos nos indicadores ambientais no período sob a gestão do atual ministro do Meio Ambiente “.

“Resta evidente a relação de causalidade entre a omissão intencional da pasta ambiental e a irreversível degradação desse bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, para a presente e futuras gerações. A despeito do cenário desolador, o Ministro determinou o corte de 24% no orçamento do IBAMA, o que tem afetado diretamente as ações de fiscalização”, cita o pedido.

Leia mais:  “Parente bom é parente longe”, diz Bolsonaro sobre família de Michelle

Leia também: Alckmin depõe em processo que investiga enriquecimento de Ricardo Salles


Na peça, os senadores citam ainda como crime de responsabilidade: “conduta incompatível com o a dignidade, honra e decoro do cargo”. “O primeiro fato a ser apontado como crime de responsabilidade foi a exoneração do servidor José Olímpio Augusto Morelli, responsável pela lavratura do auto de infração ambiental cometido pelo então Deputado Federal e atual Presidente da República, Jair Bolsonaro”, dizem os parlamentares.

Em março, o Ibama exonerou Morelli. Ele havia multado Bolsonaro em R$ 10 mil, em 2012, depois de ser flagrado na Estação Ecológica de Tamoios, área protegida que não permite a presença humana, em Angra dos Reis.

A peça contra Salles é assinada pelos senadores Randolfe Rodrigues (AP) e Fabiano Contarato (ES) e a deputada Joenia Wapichana (RR). Segundo eles, o pedido de impeachment de um ministro ao Supremo é inédito. Na peça, eles dizem que a Constituição de 1988 deu “competência para julgamento de crimes de responsabilidade de ministros de Estado passou a ser também do Supremo”.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook

Política Nacional

‘Acredito em príncipe encantado’, diz Damares Alves sobre busca por marido

Publicado

por

source
Damares alves arrow-options
Divulgação/Presidência da República

Ministra Damares Alves

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos , Damares Alves , disse que está em busca de um marido durante uma entrevista ao programa SBT Mulher . A declaração foi feita diante da apresentadora Rachel Sheherazade, que questionou a ministra sobre ela participar de um aplicativo de namoro.

Leia também: Em entrevista, Damares esclarece e nega suposto sequestro da filha Lulu

“Acredito muito na família, na relação homem e mulher. Acredito no amor, acredito em príncipe encantado. Estou procurando, mas não estou no Tinder. Foi uma brincadeira”, comentou a ministra do governo Bolsonaro durante a entrevista. 


Em novembro de 2019, a ministra Damares fez declarações informando que estaria em um aplicativo em busca de um marido. A ministra também contou que está em busca de aproveitar a terceira idade “dançando muito, brincando e namorando”. 

Leia mais: Governo defende abstinência sexual contra gravidez precoce

“Acho o Tinder muito pouco para mim. Vou abrir um site, vou começar a receber currículo. Minha assessoria vai analisar, inclusive olhando a conta bancária”, brincou na época.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Leia mais:  Decisão do STF levou à soltura de oito condenados na Lava Jato de Curitiba
Continue lendo

Política Nacional

‘Você não acredita na Justiça?’, diz Bolsonaro sobre denúncia contra Glenn

Publicado

por

source
Bolsonaro comentou denúncia a Glenn Greenwald arrow-options
Jorge William / Agência O Globo

Bolsonaro comentou denúncia a Glenn Greenwald

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (21) acreditar na Justiça, ao ser questionado sobre a denúncia contra o jornalista Glenn Greenwald , pela invasão do Telegram de autoridades públicas. Bolsonaro chegou a se equivocar, dizendo que a “Justiça” foi responsável pela denúncia, mas depois corrigiu-se, ao ser avisado de que o responsável pela denúncia era o Ministério Público Federal (MPF).

Leia também: Advogado de Glenn diz que denúncia ‘é tosca’

“Quem denunciou foi a Justiça. Você não acredita na Justiça?”, disse Bolsonaro , ao sair do Palácio da Alvorada, corrigindo depois: “MP”.

Inicialmente, ao ser questionado sobre o caso, Bolsonaro questionou se Greenwald estava no Brasil. O jornalista é americano, mas mora no Brasil desde 2005. Ele é casado com o deputado federal David Miranda (PSOL-RJ), com quem tem dois filhos adotivos. “O que, o Greenwald, que foi? Não devia nem estar…Onde que está esse cara? Está no Brasil, ele?”

O caso é investigado na Operação Spoofing . Para o procurador Wellington Divino Marques de Oliveira, da Procuradoria da República no Distrito Federal, Glenn Greenwald foi “partícipe” nos crimes de invasão de dispositivos informáticos e monitoramento ilegal de comunicações de dados, além de ter cometido o crime de associação criminosa.


Em julho, quando o site The Intercept Brasil , fundado por Glenn Grenwald , começou a publicar mensagens de autoridades ligadas à Operação Lava Jato , Bolsonaro chegou a dizer que Bolsonaro poderia “pegar uma cana”. O presidente fez a afirmação enquanto comentava a edição de uma portaria, depois prevista, que permitia deportação sumária de estrangeiros.

Leia mais:  Câmara e Senado estão prontos para eleições internas e posses

Leia também: Decisão de Gilmar Mendes proíbe investigação sobre Glenn no caso da “Vaza Jato”

“Eu teria feito um decreto porque quem não presta tem que mandar embora. Tem nada a ver com esse Glenn. Nem se encaixa na portaria o crime que ele está cometendo. Até porque ele é casado com outro homem e tem meninos adotados no Brasil. Malandro para evitar um problema desse, casa com outro malandro ou adota criança no Brasil. O Glenn não vai embora, pode ficar tranquilo. Talvez pegue uma cana aqui no Brasil, não vai pegar lá fora não”.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana