Connect with us

  • banner_Lorenzetti_1250x250

BemRural

EXPORT/CEPEA: Agronegócio brasileiro segue expandindo as vendas externas

Publicado em

Clique aqui e baixe release completo em word

 

Cepea, 05/06/2018 – Mesmo diante das turbulências enfrentadas no âmbito das relações comerciais internacionais neste início de ano, o agronegócio brasileiro continuou expandindo suas vendas externas, segundo indicam pesquisas do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP.

 

O bom resultado em volume no primeiro quadrimestre esteve atrelado à elevação dos embarques da maioria dos produtos do agronegócio, com destaque para milho, cuja quantidade exportada mais que dobrou entre o primeiro quadrimestre de 2017 e o mesmo período de 2018. Os principais destinos do milho brasileiro foram Irã, Egito, Espanha e Malásia. Outros produtos do agronegócio que tiveram destaque no volume exportado foram algodão, suco de laranja, farelo de soja, carne bovina, frutas e óleo de soja. Os valores médios em dólar caíram um pouco, mas alguns produtos conseguiram preços mais altos, como os florestais, as frutas, o suco de laranja, algodão, farelo e soja em grão.

 

No agregado, de janeiro a abril de 2018 frente ao mesmo período de 2017, os embarques dos produtos do agronegócio cresceram quase 6%. Já os preços em dólar caíram 6% na mesma comparação, mas mostraram maior sustentação em abril. Pesquisadores do Cepea indicam que, ainda assim, o maior volume garantiu aumento de 2% no faturamento em dólar das exportações do setor nos primeiros quatro meses deste ano frente ao mesmo período de 2017 – em Reais, o faturamento cresceu mais de 11%. A receita acumulada com as exportações do agronegócio foi de US$ 30 bilhões, representando mais de 40% das exportações totais do País.

 

DESTINO – A China segue como principal parceira comercial do setor, mas têm uma pauta muito concentrada nos produtos do complexo da soja, com destaque para soja em grão. A Europa continua na segunda posição e os Estados Unidos, na terceira. Pesquisadores do Cepea indicam que chamam a atenção os países que compõem o grupo “outros”, com participação de 30% nas exportações brasileiras totais, com destaque para os asiáticos.

 

2018 – Após ter colhido a maior safra de sua história em 2017, o país caminha para uma boa colheita também em 2018, o que mantém elevada a disponibilidade de produtos, tanto para consumo doméstico quanto para exportação. Pesquisadores do Cepea alertam que o que não se pode estimar ainda é o efeito sobre a oferta brasileira da recente paralisação logística (greve dos caminhoneiros). Há, também, o efeito do câmbio (a desvalorização do Real), que, ao que tudo indica, deve se manter ao longo de 2018.

 

Esse contexto, segundo pesquisadores do Cepea, tende a elevar a atratividade das vendas externas e, consequentemente, as exportações. Os preços também podem se manter acima dos observados no ciclo anterior, dados os efeitos climáticos que já afetaram a oferta dos produtos agrícolas em importantes países produtores e exportadores, como a Argentina. A se confirmarem preços mais elevados e um Real mais desvalorizado, o faturamento em dólar do setor pode continuar crescendo em 2018, desde que haja oferta suficiente para atender a uma demanda externa que continua firme.

   

Clique aqui e baixe relatório completo em PDF

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA: Outras informações sobre as pesquisas do Cepea a respeito do mercado de exportação agro aqui e por meio do Laboratório de Informação do Cepea com a pesquisadora Andréia Adami: (19) 3429-8836 / 8837 ou [email protected]

BemRural

Após “luta” de 1h30, jaú de 150 kg é pescado e solto novamente no rio em Tangará

Published

on

Foto: G1

Uma “luta” travada entre pescador e peixe levou cerca de uma hora e meia. Mas não era qualquer peixe. O animal em questão trata-se de um jaú que pesa cerca de 150 quilos. Essa história, que não é conversa de pescador, aconteceu em Tangará da Serra no rio Sepotuba e foi destaque no noticiário de Mato Grosso.

O empresário Lucas Torrente e seus amigos é que pescaram o jaú de 150 kg. Entre fisgar o bicho e levá-lo ate um barranco, se passaram uma hora e meia. Depois de toda essa peleia, o peixão foi solto e voltou para as águas do Sepotuba.

De acordo com o biólogo da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat), Valdo Troy, em entrevista concedida ao portal G1, um peixe deste peso é uma exceção e tem um papel essencial, que é controlar a população de peixes.

“Seria humanamente impossível brigar sozinho com um peixe daquele tamanho. Foi essencial a experiência junto com meus parceiros, porque o jaú é um peixe muito forte”, disse Lucas, que fisgou o bicho, ao portal. “Ele passava tranquilamente uns 150 kg. Se a gente submetesse ele a uma balança, poderia machucá-lo. Então, nós o soltamos e a dúvida ficou”, completou.

Continue Reading

BemRural

FRANGO/CEPEA: Demanda externa cresce; preços sobem no Brasil

Published

on


Cepea, 08/04/2022 – A maior demanda internacional pela carne de frango motivou altas nos preços domésticos da proteína, segundo informações do Cepea. Com menor disponibilidade interna de muitos produtos, como peito e filé, vendedores seguem elevando as cotações, buscando garantir a margem frente ao custo de produção ainda alto. Além das exportações, o período de início de mês, com o recebimento do salário por parte da população, também favoreceu as altas nos preços. De acordo com dados da Secex, 385 mil toneladas de carne de frango foram exportadas em março, quantidade 13,3% acima da observada em fevereiro e ainda 4,8% maior que a exportada em março/21. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Fonte: CEPEA

Continue Reading

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana