conecte-se conosco


Nacional

EUA e Rússia disputam apoio na ONU para resolver situação da Venezuela

Publicado


Os EUA pedem que a Venezuela facilite o acesso de ajuda humanitária internacional e realize novas eleições presidenciais
Reprodução/Flickr
Os EUA pedem que a Venezuela facilite o acesso de ajuda humanitária internacional e realize novas eleições presidenciais

Os Estados Unidos apresentaram uma projeto com medidas para resolver a situação na Venezuela ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). Os norte-americanos pedem que o país de Nicolás Maduro facilite o acesso de ajuda humanitária internacional e realize novas eleições presidenciais. Em resposta, a Rússia propôs outra resolução.


Leia também: Trump confirma reunião com Kim Jong-Un para o final de fevereiro

Na última sexta-feira (8), Moscou enviou aos membros do Conselho um “texto alternativo” ao apresentado por Washington, segundo diplomatas. A proposta russa expressaria preocupação com “tentativas de intervenção em questões que estão essencialmente sob jurisdição doméstica” e “ameaças de uso da força contra a integridade territorial e a independência política” da Venezuela
.

O projeto apresentado pelos EUA, ao contrário, expressa “pleno apoio” do Conselho de Segurança à Assembleia Nacional Venezuelana, controlada pela oposição, definindo-a como a “única instituição democraticamente eleita no país”. Manifestando “preocupação com a violência e o uso excessivo da força contra manifestantes pacíficos”, o texto também pede um processo político que conduza a eleições presidenciais “livres, justas e credíveis”.

O projeto norte-americano ressalta a necessidade de evitar uma “deterioração adicional da situação humanitária” na Venezuela, assolada por grave crise econômica
e política, e de facilitar a entrega de ajuda aos que necessitam.


A Rússia, que apoia Nicolás Maduro na Venezuela, deve utilizar seu direito de veto para barrar o projeto dos EUA na ONU
Divulgação/Kremlin
A Rússia, que apoia Nicolás Maduro na Venezuela, deve utilizar seu direito de veto para barrar o projeto dos EUA na ONU

Washington ainda não indicou uma data para que o texto seja votado. Fontes diplomáticas afirmam que a Rússia – que endossa a presidência de  Nicolás Maduro
 e acusa os EUA de apoiarem um golpe de estado no país – utilizará seu direito de veto para barrar a resolução.

Leia mais:  MBL entra com ação popular contra a aprovação do aumento de salário do STF

Para ser aprovada, uma resolução do Conselho de Segurança da ONU precisa de nove votos entre seus 15 membros e não pode ser vetada por nenhum dos cinco integrantes permanentes do grupo: Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia e China.

Moscou e Washington estão em lados opostos na atual disputa pelo poder na Venezuela. Enquanto os EUA declaram apoio ao presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó
, que se autoproclamou presidente interino em 23 de janeiro, a Rússia segue apoiando Maduro.

Leia também: Esquerda terá que engolir queda de Maduro, diz Ernesto Araújo

Além dos EUA, mais de 40 países já declararam apoio ao oposicionista Guaidó, entre eles Brasil, Alemanha e uma série de outras nações sul-americanas. Maduro ainda conta com o apoio não apenas de Moscou, mas também das Forças Armadas venezuelanas e da China, entre outros aliados.


*Com informações da Agência Brasil e da Deutsche Welle

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
publicidade

Nacional

Bolsonaro comenta terror no Sri Lanka: “Extremismo deixa rastros de morte e dor”

Publicado

por


Bolsonaro
Alan Santos/PR
Bolsonaro comentou a onda de ataques terroristas no Sri Lanka

O presidente Jair Bolsonaro comentou a onda de ataques terroristas que já  mataram mais de 200 pessoas
no Sri Lanka neste domingo (21). O brasileiro se solidarizou com as vítimas do terrorismo e condenou o “extremismo”.


Leia também: Líderes mundiais falam sobre atentado que deixou mais de 100 mortos no Sri Lanka

“Mesmo neste dia sagrado, o extremismo deixa rastros de morte e dor. Em nome dos brasileiros, condeno os ataques que deixaram centenas de vítimas no Sri Lanka, inclusive em igrejas, onde se celebrava a Ressurreição de Cristo. Que Deus possa confortar os que agora sofrem”, escreveu Bolsonaro
.

Outros líderes mundiais como Donald Trump, Theresa May, Emmanuel Macron, Angela Merkel e Justin Trudeau também fizeram comunicados oficiais para lamentar os ataques terroristas
.

Até agora, já foram contabilizados 207 mortos e mais de 400 feridos em oito explosões em diversas áreas do Sri Lanka
. Três igrejas cristãs e três hoteis de luxo estão entre os alvos. Nenhum grupo reividicou o ataque até o momento. Sete pessoas já foram presas em conexão com os ataques.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Leia mais:  Joice Hasselmann nega interesse em se candidatar à Prefeitura de São Paulo
Continue lendo

Nacional

Líderes mundiais falam sobre atentado que deixou mais de 100 mortos no Sri Lanka

Publicado

por

Pelo menos 185 pessoas morreram e cerca de 400 ficaram feridas neste domingo (21) após uma série de explosões registradas em três igrejas e hotéis de luxo no Sri Lanka, onde vários cristãos comemoravam o Domingo de Páscoa.  Fontes hospitalares afirmam 469 feridos. O governo decretou um toque de recolher de 12 horas no país a partir das 18h no horário local (9h30, em Brasília) devido ao atentado.


Leia  também: Atentado em escola deixa ao menos 18 mortos na Crimeia; autor era um aluno


Líderes mundiais. Papa, Trump e Erdogan
Divulgação
Líderes mundiais falam sobre atentado que aconteceu no Sri Lanka

O presidente do Sri Lanka,  Maithripala Sirisena
, pediu calma ao país após o atentado
. “Por favor, fiquem calmos e não sejam enganados por rumores”, declarou ele em mensagem à nação. 

Leia também: Número de mortos em atentado com carro-bomba na Colômbia sobe para 21

Após o posicionamento do presidente, uma série de líderes mundiais e personalidades de destaque mandaram mensagens de apoio ao país. Entre eles estão o Papa e Donald Trump.

  • Papa

Papa
Divulgação
Líderes mundiais falam sobre atentado que aconteceu no Sri Lanka

O Papa Francisco expressou a sua “tristeza” perante o ataque no país governado por Maithripala Sirisena neste domingo de Páscoa, mostrando-se próximo de “todas as vítimas de tal violência cruel”.

“Soube com tristeza e dor as notícias sobre os graves ataques, que precisamente hoje, Páscoa, levou luto e dor às igrejas e outros lugares onde as pessoas estavam reunidas no Sri Lanka”, disse ele diante de uma multidão que acompanhava as celebrações na Praça de São Pedro, no Vaticano.

  • Donald Trump
Leia mais:  Embaixadora do Brasil bate boca com Jean Wyllys em debate na ONU

Trump
Divulgação
Líderes mundiais falam sobre atentado que aconteceu no Sri Lanka

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump
, também prestou “condolências” sobre o ocorrido: “138 pessoas foram mortas, com mais de 600 gravemente feridas, em um ataque terrorista em igrejas e hotéis. Os Estados Unidos oferecem sinceras condolências ao grande povo do Sri Lanka. Estamos prontos para ajudar!”

  • Frank-Walter Steinmeier

Frank-Walter Steinmeier
Divulgação
Líderes mundiais falam sobre atentado que aconteceu no Sri Lanka

O presidente-federal da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, mandou mensagens de apoio ao Presidente de Sirisena. “Atordoado e horrorizado… assim acompanho as terríveis notícias dos covardes ataques terroristas no Sri Lanka, que mataram tantas pessoas inocentes e feriram muitas outras”, disse ele em sua conta do Twitter.

  • Recep Tayyip Erdoğan

Presidente da Turquia
Divulgação
Líderes mundiais falam sobre atentado que aconteceu no Sri Lanka

O Presidente da Turquia falou sobre o assunto em sua conta oficial do Twitter. Em seu comunicado, ele se soladarizou com o ocorrido. “Desejo a paz para todos os cristãos, os nossos cidadãos cristãos em particular, e sinceramente cumprimentá-los pela ocasião da Páscoa”.

  • Theresa May

Theresa Mayu
Divulgação
Theresa May, primeira-ministra do Reino Unido

A primeira-ministra do Reino Unido e Líder do partido conservador desde 2016, Theresa May, falou sobre os ataques no Sri Lanka, como todos, por meio de sua conta oficial do Twitter.

Leia mais:  Toffoli decide aguardar relator para definir futuro de denúncia contra Temer

“Os atos de violência contra as igrejas e os hotéis no Sri Lanka são verdadeiramente terríveis, e as minhas mais profundas condolências saem a todos os afetados neste momento trágico. Temos de nos unir para garantir que ninguém tenha de praticar a sua fé com medo”, disse.

Leia também: Atentado terrorista deixa ao menos três feridos frente ao Parlamento de Londres

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), ainda não se posicionou sobre o atentado
no Sri Lanka.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana