conecte-se conosco


Mato Grosso

Escola de Cuiabá recebe projeto que auxilia na prevenção de trotes no Samu

Publicado

A equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) esteve na Escola Estadual Senador Azeredo nesta sexta-feira (07.12), onde retomou o projeto Samuzinho, que percorre escolas particulares e públicas, levando para crianças e adolescentes informações relevantes sobre o serviço e sua utilização. Músicas, teatro e muita diversão fazem parte da ação, visando atrair a atenção dos jovens para o tema.

De acordo com a superintendente do Samu, Bruna Santiago, o foco também está na diminuição dos trotes. “Essa ação é desenvolvida com adolescentes e crianças, com o objetivo de transmitir a informação de quando o Samu deve ser acionado, para o que ele serve, quais são as emergências atendidas e, principalmente, a grande quantitade de trotes, que oneram o serviço público. Vamos tentar diminuir esse número e, consequentemente, ter um serviço de maior qualidade e dar uma resposta mais rápida para a população”.

Wanessa Rezende, enfermeira do Samu, informou que o projeto deverá continuar no ano que vem. “Esta ação de hoje foi um projeto piloto, para vermos o que pode ser melhorado”.  A enfermeira comentou também que, além do Samuzinho, outras ações são desenvolvidas pelo Núcleo de Educação de Urgências (NEU), como capacitar funcionários no interior do Estado e na capital e instituições parceiras do Samu.

Durante o evento, a equipe distribuiu uma cartilha com informações essenciais para garantir o serviço do Samu, além de dicas de primeiros socorros. Daniely Beatrice, coordenadorado serviço, disse que cada aluno que participa da ação e recebe a cartilha se torna um “Samuzinho”, um parceiro. “Nessa cartilha ele vai encontrar informações sobre o que é o Samu, como funciona, quem faz parte, e principalmente como evitar os principais acidentes dentro da escola, de casa, na recreação. E quando acontecer um acidente, como esse aluno pode começar os primeiros socorros, lógico, considerando a faixa etária de cada um”.

Leia mais:  Academia de Polícia Militar comemora aniversário com entrega de medalha a 120 pessoas

A cartilha também contém informações sobre como acionar o Samu da maneira correta, e reforça a importância de não passar trote. “É uma cartilha que traz de forma lúdica todas as informações que eles recebem aqui, passamos na sala de aula fazendo treinamento de primeiros socorros, e cada aluno leva pra casa a cartilha para reforçar, compartilhando com os familiares e disseminando as informações”, ressaltou Daniely.

A ação contou com uma viatura do Samu e duas motolâncias. Para Liliane Curvo, coordenadora pedagógica da escola, a ação veio em uma excelente hora. “Nós precisávamos sensibilizar os nossos alunos a respeito da valorização da vida, e as técnicas de salvamento, em casos de afogamento e de engasgo. Para eles que são adolescentes, são técnicas que, com certeza, poderão salvar vidas”, finalizou a coordenadora, ressaltando ainda a animação e interação dos alunos com o projeto.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

ESCÂNDALO DA SAÚDE: Caso ainda tem desdobramentos e Justiça busca presidente de Oscip

Publicado

O Escândalo da Saúde, que lesou os cofres da saúde pública em Tangará da Serra entre os anos de 2010 e 2011, segue com seus desdobramentos.

Esta semana, a juíza Celia Regina Vidotti, da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Ação Popular de Cuiabá, tenta encontrar a presidente da Oscip Instituto de Desenvolvimento Humano, Econômico e Ação Social (Idheas), Maria Guimarães Bueno de Araújo, para intimar e citar tanto o instituto quanto sua fundadora.

Maria Guimarães Bueno de Araújo já foi condenada por fraudes em Tangará da Serra

Maria Guimarães é a peça central de supostos desvios de R$ 51 milhões via Programa Saúde da Família nas prefeituras de Tangará da Serra e Timóteo, em Minas Gerais.

A ação é um dos desdobramentos da Operação Hygeia, deflagrada pela Polícia Federal em 2010, e corre em segredo de justiça.

Conforme a ação federal, a finalidade da carta precatória é apenas a notificação dos requeridos. Na prefeitura de Tangará da Serra os esquemas causaram dano de R$ 4 milhões ao erário.

Em razão do escândalo, prefeito Júlio Cesar Ladeia foi cassado pela Câmara em 2011

Por esses crimes, em 2016 a juíza Eza Yara Ribeiro, da comarca daquele município, condenou Maria Guimarães Bueno de Araújo, o ex-prefeito Julio Cesar Davoli Ladeia, o ex-vice-prefeito José Jaconias da Silva, o ex-secretário municipal de Saúde Mario Lemos de Almeida e o empresário Abel Alves Saraiva.

Leia mais:  Abertura de vaga para 8ª Procuradoria de Justiça Cível

O caso, conhecido em Tangará da Serra como “Escândalo da Saúde”, também levou, no ano de 2011, à cassação de cinco vereadores. (Com ‘Notícias de Mato Grosso’)

Comentários Facebook
Continue lendo

Jurídico

Acusado de mandar matar Mariana vai a júri popular em Tangará da Serra

Publicado

A Justiça determinou a realização de júri popular para julgar, Bruno Santos Souza, 23 anos, acusado de ser o mandante do homicídio de Mariana Dutra Teixeira, 21 anos, encontrada morta em uma região de mata no Bairro Jardim Acapulco em 21 de novembro do ano passado.

Consta no processo pedido de condenação do réu pelo crime de homicídio triplamente qualificado, por motivo torpe, corrupção de menor, consistente na promessa de pagar R$5 mil e drogas ao adolescente “V.L”, para matar a vítima e pelo modo cruel em que operaram o crime, em decorrência dos golpes de faca desferidos contra Mariana, além da ocultação de cadáver.

A sessão do júri ainda não foi determinada pelo Tribunal de Justiça, por caber recurso da defesa, porém foi negado o pedido de habeas corpus a favor do réu, o privando da liberdade enquanto aguarda o julgamento. Quanto aos jurados (Conselho de Sentença) a vara criminal possui uma lista de pessoas da sociedade civil, que serão escolhidos em sorteio prévio e decidirão pela culpa ou inocência do réu. Em caso de condenação, cabe ao juiz estipular o tempo e as condições da pena.

A sentença de pronúncia que encaminhou o caso a júri popular foi definida nesta semana. O menor envolvido no crime, responde por ato infracional e continua apreendido em uma unidade de acolhimento.

 

Leia mais:  Contribuintes podem quitar IPVA sem juros e multa até dia 31

O caso

De acordo com as investigações, no dia 5 de novembro de 2018, o menor teria matado Mariana, a golpes de faca, ele ainda revelou que a vítima, implorou para não ser morta, mas, cumpriu o crime a mando de Bruno, por vingança. O corpo de Mariana, foi encontrado 17 dias depois do desaparecimento, em uma região de mata, no bairro Jardim Acapulco.

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana