conecte-se conosco


Mato Grosso

Escola de Cuiabá recebe projeto que auxilia na prevenção de trotes no Samu

Publicado

A equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) esteve na Escola Estadual Senador Azeredo nesta sexta-feira (07.12), onde retomou o projeto Samuzinho, que percorre escolas particulares e públicas, levando para crianças e adolescentes informações relevantes sobre o serviço e sua utilização. Músicas, teatro e muita diversão fazem parte da ação, visando atrair a atenção dos jovens para o tema.

De acordo com a superintendente do Samu, Bruna Santiago, o foco também está na diminuição dos trotes. “Essa ação é desenvolvida com adolescentes e crianças, com o objetivo de transmitir a informação de quando o Samu deve ser acionado, para o que ele serve, quais são as emergências atendidas e, principalmente, a grande quantitade de trotes, que oneram o serviço público. Vamos tentar diminuir esse número e, consequentemente, ter um serviço de maior qualidade e dar uma resposta mais rápida para a população”.


Wanessa Rezende, enfermeira do Samu, informou que o projeto deverá continuar no ano que vem. “Esta ação de hoje foi um projeto piloto, para vermos o que pode ser melhorado”.  A enfermeira comentou também que, além do Samuzinho, outras ações são desenvolvidas pelo Núcleo de Educação de Urgências (NEU), como capacitar funcionários no interior do Estado e na capital e instituições parceiras do Samu.

Durante o evento, a equipe distribuiu uma cartilha com informações essenciais para garantir o serviço do Samu, além de dicas de primeiros socorros. Daniely Beatrice, coordenadorado serviço, disse que cada aluno que participa da ação e recebe a cartilha se torna um “Samuzinho”, um parceiro. “Nessa cartilha ele vai encontrar informações sobre o que é o Samu, como funciona, quem faz parte, e principalmente como evitar os principais acidentes dentro da escola, de casa, na recreação. E quando acontecer um acidente, como esse aluno pode começar os primeiros socorros, lógico, considerando a faixa etária de cada um”.

A cartilha também contém informações sobre como acionar o Samu da maneira correta, e reforça a importância de não passar trote. “É uma cartilha que traz de forma lúdica todas as informações que eles recebem aqui, passamos na sala de aula fazendo treinamento de primeiros socorros, e cada aluno leva pra casa a cartilha para reforçar, compartilhando com os familiares e disseminando as informações”, ressaltou Daniely.

Leia mais:  Trabalhos de reeducandos de Pontes e Lacerda é exposto em evento do IFMT

A ação contou com uma viatura do Samu e duas motolâncias. Para Liliane Curvo, coordenadora pedagógica da escola, a ação veio em uma excelente hora. “Nós precisávamos sensibilizar os nossos alunos a respeito da valorização da vida, e as técnicas de salvamento, em casos de afogamento e de engasgo. Para eles que são adolescentes, são técnicas que, com certeza, poderão salvar vidas”, finalizou a coordenadora, ressaltando ainda a animação e interação dos alunos com o projeto.

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Homem cai em poço desativado, passa 8 horas até ser encontrado por prima e é resgatado gravemente ferido em MT

Publicado

Um homem de 58 anos caiu em um poço artesiano desativado, nessa quarta-feira (20), na comunidade quilombola de Mata Cavalo, em Nossa Senhora do Livramento – MT. Benedito Euzébio Maciel está internado em estado grave no Pronto Socorro de Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá.

O Corpo de Bombeiros foi chamado por volta de 19h e, quando chegou ao local, encontrou a vítima dentro do poço. Ele estava consciente, mas reclamava de dores na cabeça.

A vítima estava limpando a chácara de um familiar quando caiu na poço artesiano desativado. O poço não tem água e mede 18 metros de profundidade, aproximadamente. A prima de Benedito, notou a falta e dele e começou a procurá-lo. Segundo ela, o tio ficou dentro do poço por cerca de 8 horas até ser encontrado.

Segundo os bombeiros, o resgate foi complicado, pois a região é de mata e tinha muito insetos. Benedito sofreu fratura no crânio e está internado em estado grave, na unidade de saúde. Está sendo medicado com antibióticos e aguarda cirurgia.

Fonte: G1 MT.

Comentários Facebook
Leia mais:  Trabalhos de reeducandos de Pontes e Lacerda é exposto em evento do IFMT
Continue lendo

Eventos

Com presença de Tangará da Serra, Cuiabá realiza 1º Festival da Cerveja Artesanal de MT

Publicado

Que o mato-grossense é um grande consumidor de cerveja, já se sabe. E ele também tem ampliado exponencialmente seu leque de estilos. É difícil encontrar uma pessoa que nos últimos anos não tenha saboreado uma nova cerveja e se questionado: por qual motivo não a experimentei antes? A sede do consumidor por novidades tem movimentado o mercado nacional de produção e venda de cervejas artesanais.

Em Mato Grosso, este cenário está em franca expansão, como é o caso de Tangará da Serra, com a Alpner (que em março realiza o evento St Patrick’s Day) e a Van Dogh. Neste cenário promissor, a capital Cuiabá recebe nos dias 12 e 13 de julho, a primeira edição do Festival da Cerveja Artesanal de Mato Grosso.


Cervejarias de todo o estado, entre elas de Tangará da Serra, participam de grande evento em julho, na capital

O evento – que tem como foco reunir cervejarias, empresários do segmento e apreciadores – chega para fortalecer o mercado regional em prol de proporcionar o intercâmbio de informações e o contato com diversos estilos de cervejas, além de aproximar a população com novos sabores e rótulos.

Nesta terça-feira (19), organizadores, representantes do setor, empresários e cervejeiros se reuniram em Cuiabá para lançar o Festival. “As cervejarias artesanais do Estado estão se unindo para trazer para Cuiabá um evento totalmente diferenciado. Algo que já acontece em grandes praças – como em Santa Catarina, que tem um dos maiores festivais de cerveja do mundo. Além de opções de estilos de cervejas artesanais, praça de alimentação e atrações musicais, o evento contará com concurso e um congresso técnico com cursos e palestras para quem quer se aprofundar no tema”, explica Paula Scanagatta, diretora da Up Eventos e co-idealizadora do festival.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva), Carlo Lapolli, o festival tem como papel reforçar a qualidade e tradição da produção mato-grossense. “O mercado regional de cerveja artesanal já tem um tempo de tradição, mas agora tem crescido em ritmo acelerado – assim como ocorre por todo o país. A cerveja artesanal está chegando agora nas gôndolas dos supermercados e as pessoas passaram a prová-la. E ela tem sido bem aceita”, pondera. A Abracerva é apoiadora do festival.

Leia mais:  Trabalhos de reeducandos de Pontes e Lacerda é exposto em evento do IFMT

Carlo complementa que, inclusive, este é o grande desafio do setor. “Não só fazer uma cerveja, mas fazer com que ela seja bem aceita pelo consumidor. No Brasil, temos cerca de 900 fábricas instaladas e as pessoas passaram a ver que não é preciso trazer algo de fora para apreciar um bom produto. No festival, o público terá a oportunidade de ter essas cervejarias unidas e, é claro, degustar seus produtos. Será uma oportunidade ímpar para conhecer essa riqueza de estilos”, ressalta.

Pensamento reiterado pelo sommelier de cervejas Elvio Rezende, ao reforçar que, para além da interação entre as cervejarias e a população, o festival também traz consigo o hábito de beba menos, mas beba melhor. “A proposta é proporcionar conteúdo de qualidade para as pessoas que querem conhecer mais sobre o ramo artesanal. Isto, com informações variadas que vão desde processo de produção de cerveja, harmonização, panorama do mercado regional até como esse setor pode influenciar os demais”, assinala.

Bares e restaurantes

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) também vai participar do Festival da Cerveja Artesanal de Mato Grosso como apoiador. Conforme explica o presidente da Abrasel, Fernando Medeiros, o cliente está cada vez mais exigente e com paladar apurado, o que requer dos bares e restaurantes a oferta de novos produtos.

“A bebida é de extrema importância para o setor da gastronomia. E o festival é a oportunidade de o consumidor conhecer diversas marcas e estilos, ter a oportunidade de degustar e aprender a harmonizar os pratos com determinado tipo de cerveja. A cerveja artesanal já caiu no gosto dos consumidores. Esse pode ser um movimento sem volta”, comenta.

Leia mais:  Sael atua para solucionar problemas no Complexo Arena Pantanal

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana