conecte-se conosco


Educação

ENEM 2019: MT não teve nenhuma nota máxima na redação; em 2018 uma tangaraense garantiu nota mil

Publicado

As notas individuais do Enem 2019 foram divulgadas na última sexta-feira (17) pelo Inep e podem ser acessadas na Página do Participante e pelo aplicativo do Enem, por meio do número de CPF cadastrado e da senha. Quem não lembra da senha para acessar os dados pode recuperá-la ou mesmo resetá-la e fazer uma nova.

Nenhum candidato que prestou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em Mato Grosso tirou nota mil na redação, segundo informação divulgada pelo Ministério da Educação (MEC) nesta sexta-feira (17). No Centro-Oeste, é o único estado onde ninguém obteve nota máxima. No Enem 2018, uma aluna conseguiu nota mil em redação. Gabriela Fonseca, de Tangará da Serra,  fez um texto inspirado nos versos da música ‘Admirável Gado Novo’, do cantor Zé Ramalho.

Gabriela Fonseca Arenhart, de 21 anos, tirou nota mil em redação no Enem 2018 — Foto: TVCA/ Reprodução

Em Goiás, quatro alunos tiraram nota mil; no Distrito Federal, dois, e em Mato Grosso do Sul, um. Ao todo, 53 redações de 15 estados e Distrito Federal receberam nota máxima. Destas, 32 foram escritas por mulheres. As médias gerais foram 523,1 para matemática e suas tecnologias; 520,9 para linguagens, códigos e suas tecnologias; 508 para ciências humanas e suas tecnologias; e 477,8 para ciências da natureza e suas tecnologias.

Quanto à redação, 53 participantes obtiveram a nota máxima (1.000) e 143.736 zeraram. Os maiores percentuais de motivos para nota zero foram: redações em branco (56.945), fuga do tema (40.624) e cópia do texto motivador (23.265). Para os treineiros, que são os que não concluíram o ensino médio, a média ficou em 592,9. Estes poderão ter acesso às notas em março, assim como ao espelho da redação. Dos 5.095.308 de inscritos, 1.160.151 não compareceram às provas, o que correspondente a 22,77% dos inscritos. Destes, 67,28% tiveram direito à isenção da taxa de inscrição.

O presidente do Inep disse ainda que o aumento nos recursos de acessibilidade se refletiu no desempenho dos participantes. Ao todo, foram disponibilizados 53.552 recursos de acessibilidade, como videoprova em Libras, tradutor-intérprete de Libras, sala de fácil acesso, prova ampliada (com letras maiores), prova em braile, auxílio para transcrição e leitura, e o uso de aparelho auditivo ou de implante coclear.”No caso dos participantes surdos quando a gente colocou mais recursos para eles fazerem as provas houve um aumento substancial no desempenho dos surdos”, disse Lopes. Enem digital O ministério vai realizar, em 2020, uma versão digital do Enem.

A aplicação do exame será opcional e a estimativa inicial é de 50 mil participantes, podendo chegar aos 100 mil. As provas ocorrerão nos dias 11 e 18 de outubro, antes do Enem tradicional, marcadas para os dias 1º e 8 de novembro. A implantação do Enem Digital será progressiva, com previsão de consolidação em 2026. “O aluno vai optar entre uma das versões do Enem. A orientação do jurídico [do Inep] é que a escolha seja por ordem de inscrição. O exame vai ser aplicado em 15 capitais, o candidato vai selecionar a cidade e vai pedir a inscrição, se tiver a vaga ele se inscreve, se não tiver ele será direcionado para fazer a inscrição no Enem tradicional”, informou Lopes.

Com informações AgênciaBrasil/G1MT

Comentários Facebook

Educação

Duas escolas da Capital mato-grossense aderem programa cívico-militar

Publicado

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, divulgou a relação de escolas selecionadas para participar do programa de escolas cívico-militares. A divulgação foi feita na tarde de hoje (26), pelo Twitter pessoal do ministro. São 54 escolas de 22 estados e do Distrito Federal. Os estados que mais terão escolas cívico-militares são Rio Grande do Sul e Pará, ambas com cinco escolas.

A implementação do modelo ocorrerá ao longo do ano, em edição piloto. Além das escolas no Rio Grande do Sul e no Pará, serão quatro escolas em Santa Catarina, Paraná e Goiás; três em Minas Gerais, Amazonas, Mato Grosso do Sul e Tocantins; duas no Acre, Amapá, Roraima, Ceará, Distrito Federal e Mato Grosso; e uma em Rondônia, Rio de Janeiro, Maranhão, Paraíba, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte e São Paulo.

Policiais e bombeiros militares foram capacitados para trabalhar nas escolas. Na primeira rodada de capacitação, realizada em dezembro, em Brasília, o trabalho envolveu diretores e coordenadores de escolas, além de representantes de secretarias estaduais e municipais de Educação que vão atuar como multiplicadores. A segunda rodada ocorreu neste mês, em Porto Alegre (RS). Foram capacitados 54 oficiais da reserva e da ativa das polícias e bombeiros militares e 17 profissionais das secretarias de Educação.

O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares é uma parceria do MEC com o Ministério da Defesa. Cerca de mil militares da reserva das Forças Armadas, policiais e bombeiros militares vão participar da gestão educacional das instituições. O MEC destinará R$ 54 milhões para levar a gestão de excelência cívico-militar para 54 escolas, sendo R$ 1 milhão por instituição de ensino.

Fonte:AgênciaBrasil

Comentários Facebook
Continue lendo

Educação

Aulas começam na segunda (2) para estudantes de três escolas municipais em Tangará da Serra

Publicado

Foi prorrogado para a próxima segunda-feira (2) a volta às aulas nos Centros Municipais de Ensino; Atacílio Souza, no Bairro Jardim Paulista, Fábio Diniz Junqueira, na comunidade Jardim dos Ipês, e  Escola Laura Vieira de Souza, no Bairro Vila Alta.

Em Tangará da Serra são aproximadamente 12,5 alunos distribuídos em 27 centros de ensino, que voltaram às aulas, nesta quarta (26) após o Carnaval, porém, os estudantes das três unidades citadas acima, tiveram o retorno adiado, devido a reforma nos prédios, e por conta do atraso nas obras, a medida precisou ser adotada. O ano letivo estava previsto para iniciar no dia 17 de fevereiro, no entanto, houve mudança no calendário, segundo a Educação, por conta do processo seletivo para profissionais da área que teve as inscrições prorrogadas, exigida pela Justiça.

O calendário escolar para a educação infantil e ensino fundamental prevê no mínimo 200 dias letivos e carga horária estabelecida nas matrizes curriculares, que é de no mínimo 800 horas. A Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) solicita a compreensão dos pais e alunos e afirma que o ano letivo não será prejudicado.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana