conecte-se conosco


Política Nacional

Eduardo e Carlos Bolsonaro criticam decisão do STF: “pobre dos brasileiros”

Publicado

Clã Bolsonaro arrow-options
Rafael Carvalho/Governo de Transição/Divulgação

Filhos do presidente se manifestaram nas redes sociais após votação no STF

Momentos após a conclusão da votação que derrubou a  prisão em segunda instância no Supremo Tribunal Federal (STF), ocorrida na noite desta quinta-feira (7), o vereador Carlos Bolsonaro e seu irmão Eduardo, líder do PSL na Câmara, utilizaram as redes sociais para lamentar a mudança de postura dos ministros sobre a questão.

Leia também: Primeiro ato de Lula após ser solto será em frente à PF de Curitiba

“Milhares de presos serão soltos e atordoarão a todos que independente de escolha política, gerará reflexos sociais e econômicos seríssimos internos e externos, para quem está aí ou quem virá. Contudo, o legal é lacrar! Pobre deste povo!”, disse Carlos Bolsonaro.

Antes, ele já havia compartilhado uma publicação do perfil oficial do PSOL, que celebrava o resultado da sessão e ressaltava que a Constituição e a Democracia prevaleceram.

Mais sucinto, Eduardo escreveu apenas uma frase, mas com o mesmo teor da publicação do irmão, lembrando também sobre a questão do porte e poss de armas no Brasil: “Soltam bandidos e desarmam o cidadão. Pobre do brasileiro…”.


O Supremo Tribunal Federal ( STF ) julgou procedentes, por 6 votos a 5 três, Ações Declaratórias de Constitucionalidade (ADCs) que pediam que réus possam permanecer em liberdade até que se esgotem todas as possibilidades de recursos em graus superiores de jurisprudência. O resultado se deu após o voto do presidente da Corte, Dias Toffoli, desempatar o placar.

Leia também: Moro na ‘mira’, apoio da Argentina e nova oposição: os próximos passos de Lula

Comentários Facebook

Política Nacional

“Cientistas pedem desculpas por erro”, diz matéria compartilhada por Bolsonaro

Publicado

por


source
foto jornal
Reprodução/Twitter

Imagem compartilhada pelo presidente no Twitter

O presidente Jair Bolsonaro compartilhou na tarde deste sábado (6) uma publicação sobre a decisão do  periódico científico Lancet de retirar um artigo sobre a eficácia da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19. A publicação ocorreu depois do presidente confirmar mudanças na divulgação dos números de óbitos e casos da Covid-19 no Brasil

Leia mais:
Conselho de Secretários de Saúde critica empresário cotado para o governo
Sem máscara, Bolsonaro chega ao Comando de Artilharia do Exército
Bolsonaro vai sem máscara inaugurar hospital e leva tombo; assista

 “Cientistas pedem desculpas por erro” diz o título da matéria do jornal Tribuna, do Espírito Santo. Veja:


Com cerca de 4 mil retuítes por volta de 18h, a publicação de Jair Bolsonaro dividiu os internautas. Os apoiadores concordavam com o presidente. Um perfil atacava os cientistas e a imprensa.


Já outros perfis questionavam a intenção do presidente ao compartilhar a imagem sem comentários




Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

STF condena Paulinho da Força a dez anos de prisão

Publicado

por


source
Paulinho da Força
Reprodução Twitter

Paulinho da Força é condenado a dez anos de prisão por esquema envolvendo o BNDES

O Supremo Tribunal Federal condenou o deputado federal e presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força, a dez anos de prisão. A decisão foi pelos crimes de associação criminosa e lavagem de dinheiro. A decisão ainda cabe recurso.

Leia também


O deputado é acusado de desvio de dinheiro do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Social e Econômico). Ele teria atuado favorecendo empresas.

Paulinho é presidente nacional do partido Solidariedade, um dos partidos do centrão, bloco de centro direita aliado à Bolsonaro.

O advogado de Paulinho da Força já se manifestou e disse que não houve crime, já que a execução dos projetos ao BNDES foi lícita.

A defesa ainda afirmou que reuniu prova testemunhal e documental de que o deputado foi vítima do crime de tráfico de influência, pois seu nome foi indevidamente utilizado por terceiros para a execução dos crimes.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana