conecte-se conosco


Política MT

Deputado recebe certificado de reconhecimento em ação social de Campo Novo do Parecis

Publicado

Foto: BRUNO BARRETO

No último sábado (16), o deputado estadual João Batista (Pros) recebeu o certificado de reconhecimento por ser um dos principais apoiadores do projeto Agente Mirim (Agem), desenvolvido por agentes penitenciários e voluntários de Campo Novo do Parecis, município do médio-norte de Mato Grosso.

A ação social contribui para retirar crianças e adolescentes de situações de risco e vulnerabilidade social. Em sua 4ª edição, a iniciativa deve atender aproximadamente 240 integrantes, um público na faixa etária entre 08 e 17 anos. A proposta é levar noções de hierarquia, disciplina, respeito e atitudes cívicas por meio de palestras, ações sociais, oficinas, acampamentos, treinamentos e instruções ministradas pela segurança pública, órgãos da justiça, conselho da criança e profissionais da saúde.

O Agente Penitenciário Fábio Aguiar, coordenador do projeto, enalteceu a visita do parlamentar no município e destacou o apoio ativo de João Batista desde o inicio das atividades do Agem. “A ação social é um trabalho de voluntariado, realizado em conjunto com a comunidade e também requer comprometimento dos pais ou responsáveis pelas crianças. O João Batista, sempre foi um auxiliador dessa iniciativa desde a fundação, tenho certeza que agora como deputado estadual a tendência é alavancar as ações”, pontuou Aguiar.

João Batista, afirmou que está em articulação com os demais parlamentares na Assembleia Legislativa, para fortalecer e expandir o projeto para todo o estado. “Eu sou apaixonado pelo trabalho realizado entre os agentes penitenciários e essas crianças, preparando eles para resistir o mundo das drogas e na prevenção contra a criminalidade. Minha intenção como deputado é fortalecer e dar continuidade no projeto, não só em Campo Novo do Parecis, mas em todo Mato Grosso”, ponderou o parlamentar.

A convite de Fábio Aguiar, o deputado visitou a aldeia indígena ‘Quatro Cachoeiras’, lugar de belezas naturais que se tornou um dos principais pontos turísticos da região. “Essa foi uma oportunidade de conhecer novas culturas e costumes, parabenizo o cacique Narcizo Kazoizaese e sua esposa Inês Nizokero, pela recepção calorosa e hospitalidade”, disse João Batista.

Tendo como guia turístico o cacique Narcizo, o parlamentar percorreu cerca de dois quilômetros de uma trilha cercada por mata. “Nos sentimos muito honrados em receber o deputado em nossa aldeia. Apresentamos um pouco de nossa cultura para ele e toda sua comitiva”, concluiu o cacique Narcizo.

Fonte: ALMT
Comentários Facebook

Política MT

Selma poderá ingressar no PDT pra apoiar Pivetta ao Senado

Publicado

Cassada em 10 de dezembro pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a senadora Juíza Selma que se elegeu pelo PSL conhecida como “Moro de Saia”, foi acusada de ter praticado os crimes de caixa 2 e abuso de poder econômico durante a campanha para o Senado em 2018.

Segundo bastidores Selma poderá migrar para o partido do pré-candidato Otaviano Pivetta, o PDT. Pivetta ja demonstrou em ocasiões anteriores o respeito e admiração por Selma, dizendo que se eleito, dará continuidade ao seu legado.

Selma  venceu o último pleito em primeiro lugar, com mais de 670 mil votos. Tanto Selma quanto Pivetta têm como inimigo político em comum Carlos Fávaro e, segundo rumores, a senadora cassada estaria disposta a se aliar ao vice-governador, ainda que ele seja filiado a um partido de esquerda, para não ter que ver o desafeto assumir sua cadeira.

Fonte:CenárioMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Justiça

Silval Barbosa é condenado a 6 anos de cadeia e deve pagar multa de R$ 14,2 milhões

Publicado

O ex-governador Silval Barbosa foi condenado a seis anos e dois meses de prisão em regime semiaberto e a devolver, a título de indenização, R$ 14,2 milhões aos cofres públicos pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A sentença foi proferida pelo juiz Jeferson Schneider, da 5ª Vara Federal de Cuiabá e foi proferida nessa semana (17). Conforme o magistrado, Silval teria desviado R$ 3,4 milhões, utilizados para abatimento de parte de uma dívida de campanha junto a uma factoring. Na decisão, o magistrado  pontuou que Silval firmou acordo de delação premiada junto ao Ministério Público Federal (MPF) e que foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

O ex-governador cumprirá a pena inicialmente em regime semi-aberto.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana