conecte-se conosco


Saúde

Dentista graduada em Tangará morre após complicações no parto em Aripuanã

Publicado

Uma jovem de 24 anos morreu na madrugada desta quarta-feira (21), após complicações no parto, ocorrido no Hospital Municipal Santo Antônio, em Aripuanã.

Flávia Voss, morou e se formou em Odontologia em Tangará da Serra. Após concluir a graduação, ainda permaneceu por um período na cidade, mas no segundo semestre do ano passado, se mudou para Aripuanã, cidade onde tinha parentes.

Segundo o hospital, Flávia entrou em trabalho de parto na madrugada, durante a cesária sofreu uma crise convulsiva e apresentou hemorragia interna, a equipe médica tentou reanimar a paciente, mas ela não resistiu e morreu no hospital. A jovem esperava a primeira filha, que sobreviveu ao parto e passa bem. O IML deverá emitir nos próximos dias, um laudo para apontar a causa da morte. Flávia será velada e enterrada em Aripuanã.

Comentários Facebook

Saúde

Especialista adverte: crianças não devem usar maquiagem na folia

Publicado

por

Minha Saúde

Muitos pais tem dúvidas sobre o uso da maquiagem em suas crianças em períodos de festividade. com a chegada do carnaval, a PROTESTE conversou com a doutora Simone Abdala, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, sobre o assunto, e a profissional deu o veredito: crianças menores de cinco anos não podem usar maquiagem em hipótese alguma. E crianças maiores que cinco anos devem usar maquiagens apropriadas para a idade delas.

criança vestindo peruca colorida e óculos de sol vermelho com a boca aberta arrow-options
Reprodução/ Mais Saùde

A especialista Simone Abdala afirma que mesmo sendo hipoalergênicas, as maquiagens infantis podem causar alergia

“Crianças até cinco anos podem acabar ingerindo ou esfregando os olhos e ter problemas mais graves”, afirma Simone.

Já no caso de crianças maiores de cinco anos, é preciso observar alguns detalhes:

Leia mais:Saiba o que levar na bolsa não passar mal nos bloquinhos de carnaval

  • Verificar se o produto foi testado dermatologicamente
  • Se certificar que a maquiagem é adequada à faixa etária da criança
  • Não usar sombra e rímel
  • Testar o produto numa área pequena alguns dias antes do uso normal
criança deitada em confete arrow-options
Reprodução/ São Paulo para crianças

Crianças acima de 5 anos podem usar, mas é preciso observar alguns detalhes

A profissional afirma que maquiagens destinadas a adultos não devem ser usadas de forma alguma, pois podem contar corantes, conservantes e fragrâncias que podem causar alergia ou irritação. Maquiagens compradas em camelôs, nem pensar. É importante também ficar atento à data de vencimento.

Leia mais:Carnaval pode aumentar risco de contágio por sarampo, alertam especialistas

O sintoma mais comum que o uso de produtos inadequados pode causar é a dermatite de contato, condição que se caracteriza por vermelhidão, coceira e inchaço. Em casos mais graves, o produto pode causar crostas e bolhas e os sintomas podem aparecer até alguns dias depois do uso.

“As maquiagens infantis são pensadas para serem hipoalergênicas. E mesmo quando o são, podem causar alergia”, afirma Simone.

No hora da remoção, também é preciso tomar alguns cuidados. Demaquilantes não devem ser usados em hipótese nenhuma. O ideal é remover a maquiagem com água e sabão. “O mais importante é que sejam maquiagens de baixa fixação, pois a remoção tem que ser fácil”, adverte.

Leia mais:Coreia do Sul registra primeira morte por novo coronavírus

Quanto ao filtro solar, deve ser aplicado antes da realização da maquiagem e reaplicado pelo menos a cada duas horas.

Fonte: IG Saúde
Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Ressaca de cerveja é diferente? Veja como “sofrer menos” neste carnaval

Publicado

por

Sol forte, festas de rua e carnaval. Para muita gente, essa combinação pede automaticamente uma cerveja gelada que, combinada aos exageros típicos dos muitos dias de folia, pode resultar numa ressaca indesejada. Mas existe diferença entre a ressaca causada pela cerveja e outras bebidas alcoólicas?

Leia mais: Como curtir o carnaval com as crianças?

ressaca arrow-options
Getty Images

A cerveja do carnaval muitas vezes combina com ressaca

De acordo com o médico Leopoldo de Freitas Araújo, clínico geral da Cia. da Consulta, a forma como cada pessoa sente os efeitos do álcool – e consequentemente a ressaca – depende de muitos fatores além do tipo de bebida escolhido. “O nível de tolerância depende da genética, do hábito de beber, estado de saúde e pode até variar entre homem e mulher”, explica. 

A diferença de interação alcoólica da cerveja quando comparada a outras bebidas se deve a alguns ingredientes específicos do preparo. “Ela é rica em carboidratos, que ajudam o corpo a processar o álcool . Além disso, muitas cervejas têm lúpulo, que em teoria pode reduzir um pouco da inflamação da bebedeira”, explica o profissional. 

Antes de comemorar, porém, é importante saber que “por outro lado, algumas pessoas têm problemas com o trigo, que é base para o malte da cerveja: nesse caso, a ressaca se soma à intolerância alimentar e se torna ainda pior”, reforça Leopoldo. 

E como reduzir os efeitos da ressaca? 

Independentemente da bebida consumida, então, o clínico geral explica que os efeitos da ressaca estão relacionados aos esforços do corpo para eliminar o álcool – uma substância nociva – de dentro de nós. “A ressaca é o corpo se recuperando do estresse. Isso significa inflamação, desidratação, perda de sais minerais e dificuldade de manter a taxa de açúcar no sangue”, explica ele.

Para amenizar esses efeitos, a melhor alternativa é ajudar o corpo evitando uma sobrecarga ainda maior. “Uma dica é consumir cerveja bem devagar. Três a quatro latinhas a cada duas horas seria o máximo de quantidade segura para a maioria das pessoas, mas você pode ser mais sensível que isso”, sugere o profissional. 

Além disso, não esqueça de se manter hidratado com bebidas não-alcoólicas entre uma dose e outra (e não apenas depois da festa), alimente-se bem antes do consumo da bebida e evite beber em dias consecutivos. Não se cura uma ressaca com outra. “É importante deixar o corpo se recuperar”, diz o médico. 

Fonte: IG Saúde
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana