conecte-se conosco


Cidade

Dengue cai 94% no período de 10 anos em Tangará da Serra

Publicado

Reconhecimento da gravidade, conscientização popular e êxito nos trabalhos do poder público. A combinação destes três fatores resultou no encolhimento da dengue em Tangará da Serra num ótimo índice de 94% no espaço de 10 anos.


Os números da dengue no período compreendido entre 2008 e o primeiro mês de 2019 constam no ‘1º Boletim Epidemiológico das Doenças Transmitidas pelo Vetor Aedes Aegypti’, divulgado no último dia 08 pela Vigilância Epidemiológica de Tangará da Serra. Neste período, foram registrados um total de 5.592 casos confirmados, com cinco óbitos.

Mutirões realizados foram fundamentais para a redução dos casos

O grande destaque, porém, é o decênio 2009-2018, em que os números mostram a derrocada da dengue no município. Em 2009, a cidade se viu em polvorosa com um ‘boom’ da dengue e altos índices de infestação do mosquito transmissor aedes aegypti. Foi o início de uma fase obscura na saúde pública do município, que registrou óbitos provocados pela doença.

Naquele ano foram notificados 2.183 casos de dengue, sendo 1.966 confirmados, 15 deles classificados como ‘graves’. A partir de 2010, começaram a cair os casos notificados, mas em 2012 e 2013 a doença voltou a recrudescer, com respectivos 902 e 1.116 registros.

O ano de 2014 foi o de menor incidência, com apenas 23 casos registrados. Em 2018, o ano fechou com 117 casos confirmados, representando uma queda de 94% em relação ao ano de 2009, quando do recorde da doença.

Leia mais:  Assalto a mão armada é registrado no Jardim dos Ipês; vítima teve o celular levado pelos bandidos

Em 2019, dados parciais indicam 10 notificações, com três casos confirmados, sendo dois deles em janeiro. Em 2009 – o ano do ‘boom’ da dengue – foram registrados 36 casos em janeiro, número 1.800% superior ao deste ano. Da mesma forma, comparando com o ano passado, o mês de janeiro de 2018 – com 15 casos confirmados – foi 750% superior aos 02 casos confirmados em janeiro último.

Abaixo, tabelas e gráficos da dengue no período de 2008 a 2018.

DENGUE, ESTATÍSTICA 2008 A 2018

 

DENGUE, ESTATÍSTICAS 2009 E 2018 – CASOS NOTIFICADOS

Comentários Facebook
publicidade

Água

Água: Samae prevê normalização do abastecimento até o meio-dia desta segunda

Publicado

A limitação do abastecimento de água em 30% desde domingo deverá estar solucionada até o meio-dia desta segunda-feira (18). A informação é do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) de Tangará da Serra.


Danos em um dos motores de recalque da ETA ocasionou suspensão parcial no abastecimento de água

De acordo com a autarquia, o problema no abastecimento foi ocasionado por superaquecimento em um dos três motores de recalque na Estação de Captação, Tratamento e Distribuição de Água (ETA). Os motores citados são os responsáveis pelo bombeamento de água tratada para o centro de distribuição, na vila alta.

Segundo o diretor do Samae, Wesley Lopes Torres, a equipe da autarquia trabalha desde domingo na solução do problema, o que exigiu a suspensão parcial do abastecimento. “Estaremos operando com apenas 70% da capacidade até as 12 horas desta segunda-feira, razão pela qual pedimos a colaboração e compreensão de toda população”, disse o diretor.

Comentários Facebook
Leia mais:  Sobreviventes do câncer devem mudar estilo de vida, diz pesquisa
Continue lendo

Cidade

Em Tangará da Serra, possível caso de sarampo exigirá vacina de bloqueio na população

Publicado

O caso suspeito de sarampo em uma criança de nove meses na Vila Horizonte, em Tangará da Serra, colocou as autoridades de saúde do município em alerta. Apesar de ainda não confirmado, o caso já tem diagnóstico preliminar positivo e, em razão disso, exigirá vacina de bloqueio na população.


Em entrevista à imprensa, a coordenadora de Vigilância Epidemiológica do município, Juliana Herrero, informou que as vacinas estão disponíveis na Unidade Básica de Saúde da Vila Horizonte, bairro que será priorizado para aplicação das doses.

Vacinas estão disponíveis nas unidades de saúde do município

Por outro lado, a coordenadora alertou para que a população de toda a cidade se mantenha atenta a possíveis sintomas, já que a criança circulou com a família em outros bairros da zona urbana. “Os sintomas principais são febre, dor de garganta, coriza e manchas pelo corpo. As vacinas estão disponíveis nas unidades de saúde de toda cidade”, disse Juliana, salientando que parte da população ainda não está imunizada e que, por isto, a atenção deve ser redobrada e as vacinas procuradas.

Por outro lado, Juliana afirma que, apesar da notícia preocupante, não há motivo de pânico. “Estamos trabalhando no caso e já adotando as medidas necessárias”, assegurou.

O caso

A criança com o suposto caso de sarampo apresentou os sintomas após uma viagem a Cuiabá, em fevereiro. Este fato apurado pela Vigilância Epidemiológica, considerando o período de incubação de 21 dias, leva à dedução de que a doença, se confirmada, foi contraída na capital. Ou seja, não se trata de um caso autóctone.

Leia mais:  Prefeitura libera hoje estacionamento alternativo na Avenida Brasil com 181 vagas

A criança, de nove meses, ainda não completou sua série vacinal, o que a torna suscetível a doenças. Ainda segundo Juliana Herrero, houve uma segunda coleta de material do bebê para exame, cujo resultado é aguardado para esta semana.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana