conecte-se conosco

  • banner_Lorenzetti_1250x250

BemRural

Declaração Internacional sobre Aplicações Agrícolas de Biotecnologia de Precisão é lançada com o apoio do Brasil

Publicado

O Brasil assinou no início de novembro, em Genebra, a Declaração Internacional sobre Aplicações Agrícolas de Biotecnologia de Precisão. A declaração foi apresentada ao Comitê de Medidas Sanitárias e Fitossanitárias da Organização Mundial do Comércio (WTO-SPS, sigla em inglês) pela Argentina, com o copatrocínio da Austrália, Brasil, Canadá, Estados Unidos, Guatemala, Honduras, Paraguai, República Dominicana e Uruguai. O texto está aberto para adesões de outros países.

O documento é um compromisso de apoiar políticas que estimulem a inovação agrícola, incluindo a edição de genoma. De acordo com a Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a inovação agrícola tem desempenhado papel essencial no aumento dos rendimentos e da produtividade contribuindo para o crescimento e prosperidade das civilizações.

Com essa declaração, os países buscam minimizar as barreiras desnecessárias ao comércio relacionadas à supervisão regulatória de produtos de biotecnologia de precisão. Inovações em biotecnologia de precisão, como a edição de genoma, têm trazido a promessa de grandes benefícios no futuro. Para os consumidores, essas inovações podem fornecer alimentos mais saudáveis e de maior qualidade. Para os agricultores, elas podem aumentar a produtividade, promover a saúde de plantas e animais e melhorar a sustentabilidade ambiental.

Os princípios delineados na declaração incluem: manter abordagens baseadas na ciência e na avaliação de risco, consistentes com a proteção da saúde humana, animal e vegetal e do meio ambiente; evitar distinções arbitrárias e injustificáveis entre produtos derivados da biotecnologia de precisão e produtos obtidos através de outros métodos de produção; engajamento na cooperação entre os governos para minimizar as barreiras desnecessárias ao comércio; avançar nos esforços de pesquisa para levar produtos úteis ao mercado; e construir confiança em nossas estruturas regulatórias para que futuras inovações agrícolas possam estar disponíveis para ajudar os agricultores a enfrentarem os desafios globais para a produção suficiente e segura de alimentos, rações, fibras e energia.

A declaração em inglês encontra-se disponível no site da Organização Mundial do Comércio.

Mais informações à Imprensa
Coordenação Geral de Comunicação Social
[email protected]

 

Comentários Facebook

BemRural

Após “luta” de 1h30, jaú de 150 kg é pescado e solto novamente no rio em Tangará

Publicado

Foto: G1

Uma “luta” travada entre pescador e peixe levou cerca de uma hora e meia. Mas não era qualquer peixe. O animal em questão trata-se de um jaú que pesa cerca de 150 quilos. Essa história, que não é conversa de pescador, aconteceu em Tangará da Serra no rio Sepotuba e foi destaque no noticiário de Mato Grosso.

O empresário Lucas Torrente e seus amigos é que pescaram o jaú de 150 kg. Entre fisgar o bicho e levá-lo ate um barranco, se passaram uma hora e meia. Depois de toda essa peleia, o peixão foi solto e voltou para as águas do Sepotuba.

De acordo com o biólogo da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat), Valdo Troy, em entrevista concedida ao portal G1, um peixe deste peso é uma exceção e tem um papel essencial, que é controlar a população de peixes.

“Seria humanamente impossível brigar sozinho com um peixe daquele tamanho. Foi essencial a experiência junto com meus parceiros, porque o jaú é um peixe muito forte”, disse Lucas, que fisgou o bicho, ao portal. “Ele passava tranquilamente uns 150 kg. Se a gente submetesse ele a uma balança, poderia machucá-lo. Então, nós o soltamos e a dúvida ficou”, completou.

Continue lendo

BemRural

FRANGO/CEPEA: Demanda externa cresce; preços sobem no Brasil

Publicado

por


Cepea, 08/04/2022 – A maior demanda internacional pela carne de frango motivou altas nos preços domésticos da proteína, segundo informações do Cepea. Com menor disponibilidade interna de muitos produtos, como peito e filé, vendedores seguem elevando as cotações, buscando garantir a margem frente ao custo de produção ainda alto. Além das exportações, o período de início de mês, com o recebimento do salário por parte da população, também favoreceu as altas nos preços. De acordo com dados da Secex, 385 mil toneladas de carne de frango foram exportadas em março, quantidade 13,3% acima da observada em fevereiro e ainda 4,8% maior que a exportada em março/21. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Fonte: CEPEA

Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana