conecte-se conosco

  • banner_Lorenzetti_1250x250

Política Nacional

Crise no MEC: prefeito confirma que pastores lobistas pediram propina

Publicado


source
A sede do Ministério da Educação, em Brasília
Reprodução/Agência Brasil – 22.03.2022

A sede do Ministério da Educação, em Brasília

Em depoimento a senadores da Comissão de Educação, o prefeito Kelton Pinheiro, de Bonfinópolis (GO), confirmou que o pastor Arilton Moura pediu a ele a compra de bíblias e, posteriormente, o pagamento de propina para facilitar acesso a recursos do Ministério da Educação (MEC). Os pedidos foram revelados pelo GLOBO.

Ao lado do também pastor Gilmar Santos, Arilton é investigado pela Polícia Federal sob suspeita de intermediar a liberação de verba pública aos municípios. Os religiosos tinham acesso livre à cúpula da pasta.

Durante audiência no Senado, Kelton afirmou que antes de uma reunião em Brasília no dia 11 de março, quando recebeu pedido de propina, teve um encontro em Goiânia com os pastores. Nesta ocasião, Arilton Moura teria questionado quais as demandas do prefeito e dito que, em contrapartida, o prefeito poderia comprar bíblias para auxiliar na construção da sede de uma igreja.

“(Perguntei) qual o motivo de o senhor estar me chamando e oferecendo essa ajuda? Ele disse “não tem nenhum motivo específico. O pastor Gilmar está indicando você e você vai dar contribuição para igreja. Compra umas bíblias que ele está vendendo para construir a sede da igreja. Ajudando a igreja está bom demais”‘, narrou o prefeito.

“Até esse momento achei normal um pastor pedindo para ajudar na construção de igreja. Perguntei: “Quantas bíblias seriam?” E ele disse: “compra aí umas mil bíblias”. Eu disse: “qual valor delas?”. Aí ele disse: “é R$50”,  relatou Pinheiro, dizendo que negou a oferta:

“Então eu disse: ‘não consigo dar uma oferta nesse valor, primeiro porque eu sou professor e estou prefeito. Mas uma oferta pessoal posso fazer, porque a prefeitura não pode adquirir bíblias para serem distribuídas, como vocês me sugeriram que eu distribuísse em igrejas evangélicas.'”

O prefeito afirmou que apesar da negativa, a reunião no MEC foi mantida.

Assim, dias depois Pinheiro recebeu um telefonema de uma pessoa chamada “Nely” perguntando se compareceria a encontro com Milton Ribeiro no dia 11 de março.

Na data marcada, após reunião no MEC com o ministro, o presidente do FNDE, Marcelo Ponte, e os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura, o prefeito foi a um almoço a um restaurante Tia Zélia. Na ocasião, Pinheiro confirmou que teria recebido pedido de propina por parte de Arilton Moura em troca de ter recursos liberados para a construção de escolas na sua cidade.

“(Arilton) me abordou de forma muito direta e disse: ‘vi que seu ofício está pedindo a escola que deve custar R$ 7 milhões de recursos, mas é o seguinte, eu preciso de R$ 15 mil na minha mão hoje. Faz a transferência comigo hoje, porque isso não cola comigo, porque vocês políticos são um bando de malandro.'”

Leia Também

A participação de Nely Carneiro no esquema foi revelada pelo Jornal Nacional, da TV Globo. Segundo a reportagem, embora não fosse funcionária do MEC, Nely falava em nome da pasta e participava de reuniões no ministério.

Mais cedo, o prefeito Gilberto Braga, de Luís Domingues, também confirmou ao senadores que teria recebido pedido de pagamento de propina em ouro.

“O pastor estava sentado na mesa na hora da palestra no MEC e em seguida fomos para esse almoço. Lá nesse almoço, que não estava o ministro, só os dois pastores, tinha uma faixa de 20 a 30 prefeitos e a conversa era muito bem aberta”, contou.

Braga disse que Arilton perguntou para ele sobre suas demandas. “Eu apresentei minhas demandas para ele, e ele falou rapidamente: “Você vai me arrumar os R$ 15 mil para eu protocolar as suas demandas e depois que o recurso estiver empenhado, como a sua região é de mineração, você vai me trazer 1 quilo de ouro”. Eu não disse nem que sim nem que não, me afastei da mesa e fui almoçar.”

Inicialmente, nove prefeitos foram convidados para detalhar as denúncias aos senadores, mas apenas cinco confirmaram presença: Kelton Pinheiro, prefeito de Bonfinópolis (GO); José Manoel de Souza, prefeito de Boa Esperança do Sul (SP); Gilberto Braga, prefeito de Luís Domingues (MA); José Manoel de Souza, prefeito de Boa Esperança Do Sul (SP); e Helder Aragão, prefeito de Anajatuba (MA).

Os prefeitos Júnior Garimpeiro, de Centro Novo (MA); Marlene Miranda, Bom Lugar (MA); Nilson Caffer, Guarani D’oeste (SP); e Reinaldo Vilela Paranaíba Filho, de Três Corações (MG).

Abertura de CPI

Os senadores estão desde a manhã desta terça-feira tentando contato com os pastores Arilton Moura e Gilmar Santos para solicitar o comparecimento na sessão de quinta-feira da Comissão. O presidente do FNDE, Marcelo Ponte, também será convidado.

Na semana passada, a ausência do ex-ministro Milton Ribeiro irritou os senadores. A partir daí os parlamentares manifestaram a possibilidade de abertura de uma CPI para apurar o caso. O senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP) protocolou um pedido para abertura da comissão. Até o momento, ele já obteve 14 assinaturas favoráveis. São necessárias 27 para abrir a CPI.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

Comentários Facebook

Política Nacional

PT deve aprovar Alckmin como vice de Lula no próximo dia 14

Publicado

por


source
Geraldo Alckmin, ex-governador de São Paulo (esq.) e Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente da República (dir.)
Foto: Ricardo Stuckert – 05.04.2022

Geraldo Alckmin, ex-governador de São Paulo (esq.) e Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente da República (dir.)

A executiva nacional do PT definiu na noite desta quinta-feira o calendário dos trâmites partidários relativos à eleição presidencial deste ano. A aprovação da escolha do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) para ser o vice do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve ocorrer em reunião do diretório nacional no próximo dia 14.

Nesta sexta-feira, o PSB apresentará formalmente, em um encontro com a direção do PT em São Paulo, a indicação do ex-governador.

No dia 30, ocorrerá no Anhembi, em São Paulo, o lançamento da pré-candidatura. Na ocasião, será apresentada a frente de partidos que apoiará o petista, composta pela federação formada por PT, PCdoB e PV, pela federação que reúne PSOL e Rede, em coligação com PSB e o Solidariedade.

Lula quer simbolizar a amplitudade de sua candidatura no ato com as presenças do ex-tucano Alckmin e do líder sem teto Guilherme Boulos (PSOL), que desistiu de disputar o governo de São Paulo e será candidato a deputado federal.

Leia Também

A executiva do PT também marcou para 4 de junho o encontro partidário. Pela tradição petista, são nos encontros que as chapas são aprovadas. Porém, a corrente majoritária da sigla, a CNB, quer que o diretório nacional já faça uma primeira aprovação da chapa no dia 14.

Correntes minoritárias do PT se opõem à indicação de Alckmin para vice com o argumento de que os seus governos em São Paulo contrariaram bandeiras defendidas historicamente pelo partido, como os direitos humanos e a defesa dos professores. O grupo, porém, não deve ter votos suficientes para barrar a entrada do ex-governador na chapa.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

Continue lendo

Política Nacional

Anitta vira alvo de bolsonaristas em ataques nas redes sociais

Publicado

por


source
Anitta
Reprodução/Instagram

Anitta

Lollapalooza e campanha de incentivo para que jovens tirem o título de eleitor: as manifestações da cantora Anitta nas redes sociais não tem agradado os apoiadores de Jair Bolsonaro.

Na quinta-feira, a deputada distrital Julia Lucy (NOVO) publicou um vídeo sobre a cantora nas redes sociais que causou polêmica. Na gravação, ela disse que a sexualização da mulher brasileira a “envergonha”. Este foi o episódio mais recente que gerou uma série de manifestações por parte dos apoiadores do presidente.

Em parceria com a consultoria BITES, o GLOBO apurou os ataques sofridos pela cantora desde 1° de dezembro do ano passado. Neste período, foram ao menos 458 mil menções que citam Anitta e o presidente. Só na bancada bolsonarista no Congresso, 22 deputados e senadores publicaram posts sobre a cantora.

Na ocasião, influenciadores como a atriz Maria Bopp tuitaram que o sucesso de Anitta seria apenas a primeira “alegria” dos brasileiros em 2022. O título na Copa e a derrota de Jair Bolsonaro nas urnas também apareceram nas listagens dos internautas.

Leia Também

Além disso, com a proibição das manifestações políticas no Lollapalooza, Anitta veio à público para dizer que pagaria a multa dos artistas que descumprissem a então decisão judicial, que, após polêmica, foi revogada. À época, os bolsonaristas reagiram. No dia 28, o pré-candidato à deputado estadual Jorge Rodrigues se manifestou e sugeriu a prisão da cantora.

No dia 10 de março, teve até uma troca de farpas entre Bolsonaro e Anitta, que também movimentou as redes. Na ocasião, o presidente opinou sobre o programa Big Brother Brasil, da TV Globo, e foi questionado pela cantora: “é presidente ou subcelebridade?”.

Apesar de março ter sido o mês em que a cantora carioca foi mais visada por bolsonaristas, os ataques não são de hoje. A artista já era motivo de piada entre os eleitores de Jair Bolsonaro. Em dezembro, o ex-secretário Nacional de Incentivo e Fomento à Cultura André Porciuncula chegou a dizer que, na próxima entrevista, usaria frases de Anitta. O intuito da fala era dizer que a artista era um exemplo de baixa cultura, além de atacar um outro veículo de comunicação.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana