conecte-se conosco


Mato Grosso

Criminosos tentam aplicar golpe pelo WhatsApp

Publicado

É preciso muita atenção no uso de aplicativos de internet. A criatividade dos bandidos é tamanha que há incontáveis tentativas de golpes e o aplicativo “WhatsApp” tem sido uma das ferramentas preferidas, já que dificulta a identificação.

Em Tangará da Serra, um usuário do aplicativo relatou à reportagem que em dezembro recebeu uma mensagem de um número desconhecido (65-9651-7629). “Bom dia, sobre o dinheiro tem como você depositar hoje? Esse é meu número novo”. Ao indagar com quem estava se comunicando, não houve resposta.

Porém, imediatamente o golpe foi percebido pelo usuário, que levou a conversa adiante para ver até que ponto o golpista iria se expor. A vítima, então, inventou um nome e retomou o diálogo. “Acho que lembrei. É a Berenice? Dos R$ 1.500?”.

De imediato, o golpista entrou na conversa. “Sim. Eu estou precisando quitar um consórcio. Hoje”, respondeu, acrescentando instruções para o repasse do dinheiro. “Aí vou passar a conta da senhora que recebe e vc deposita pra mim. E me manda o comprovante”, digitou, postando na sequência a imagem de um cartão de uma agência Caixa Econômica Federal de Brasília, em nome de “Maria Fátima Lucio Pinto”, certamente um laranja.

Criminoso enviou à vítima imagem de um cartão de uma agência Caixa Econômica Federal de Brasília

O usuário estendeu a conversa por mais algumas linhas. “Me diverti com o criminoso, que imaginou que teria êxito. Mas depois percebeu a brincadeira, parou de responder e apagou a imagem do cartão”, relatou. Ele salvou a imagem da conta fornecida pelo criminoso.

Leia mais:  Governo do Estado conclui pagamento dos salários nesta segunda-feira (25.02)

Golpes frequentes

Segundo um agente da Polícia Civil, golpes como estes são frequentes, de fácil tentativa e identificação quase impossível. “É preciso prestar muita atenção e sempre desconfiar destas mensagens”, recomendou o policial.

As fake news consistem na maior praga da internet na atualidade, sendo muito bem aproveitadas pelos cibercriminosos. Eles abusam do sensacionalismo para aplicar golpes principalmente através de mensageiros instantâneos.

No Brasil, mais de 100 milhões de pessoas usam o WhatsApp, sendo, por isso, um prato cheio para os criminosos. Assim, são cada vez mais frequentes relatos de vítimas que sofreram algum tipo de golpe depois de terem recebido mensagens duvidosas no aplicativo.

O próprio WhatsApp criou um infográfico com dicas de como identificar mensagens duvidosas e permanecer seguro. Confira abaixo:

Comentários Facebook
publicidade

Concurso

Suposto gabarito do concurso da Prefeitura de Tangará da Serra vaza na internet

Publicado

Circula em redes sociais, a imagem de um possível gabarito do concurso da Prefeitura Municipal de Tangará da Serra. A prova foi aplicada neste domingo (24) em uma única etapa: Prova Objetiva, de caráter eliminatório e classificatório.

Um dos candidatos publicou no perfil pessoal, o registro fazendo referência ao gabarito da prova, com a legenda: “E que a sorte esteja a nosso favor”. A foto rapidamente viralizou na internet, gerando dúvidas quanto a credibilidade do concurso. A suspeita de fraude foi mencionada durante a aplicação da prova, relatou um candidato ao Bem Notícias. “Os idealizadores se pronunciaram descartando qualquer possibilidade de fraude”.

Conforme o Edital, os gabaritos provisórios serão divulgados nesta segunda-feira(25) e o gabarito definitivo no dia 04 de abril de 2019. Pontua o Edital em suas Disposições Gerais, que o concurso poderá ser impugnado no prazo de 02 (dois) dias úteis, a contar da data de sua publicação no Jornal Oficial Eletrônico dos Municípios do Estado de Mato Grosso. A impugnação deverá ser interposta via internet, no endereço eletrônico www.ufmt.br/concursos, das 8 horas do primeiro dia até às 18 horas do segundo dia, ainda faz uma ressalva, e alerta que o processo de impugnação desprovido de argumentação pertinente, será desconsiderado automaticamente.

A Secretaria de Administração, vinculada a Prefeitura Municipal de Tangará da Serra não irá se manifestar sobre o ocorrido e destaca ser a aplicação da prova de responsabilidade absoluta da Universidade Federal de Mato Grosso. A UFMT, deverá investigar o caso, embora, não tenha se pronunciado oficialmente sobre as especulações.

Comentários Facebook
Leia mais:  Leilão do Detran arrecada R$ 1,6 milhão e novo certame deve ocorrer em abril
Continue lendo

Mato Grosso

Polícia Civil prende sete de associação criminosa envolvida no latrocínio de investigadora

Publicado

por

Sete integrantes de uma organização criminosa, entre eles dois menores de idade, foram autuados em flagrante, neste domingo (24), nas investigações do latrocínio da investigadora Márcia Régia de Matos, 59 anos. A policial civil foi morta com disparos na cabeça, após ter a chácara invadida por dois criminosos armados, no começo da noite de sexta-feira (22).

Os criminosos foram autuados por quadrilha armada, roubo seguido de morte (latrocínio), furto qualificado, roubo majorado, associação criminosa armada, e posse ilegal de arma de fogo de uso permitido.

As prisões ocorreram na força-tarefa que mobilizou policiais civis de todas as delegacias da Regional de Água Boa, Regional de Barra dos Garças, por meio da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), e uma equipe da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) de Cuiabá. Os trabalhos contaram com total apoio da Secretaria de Estado de Segurança Pública e da Diretoria Geral da Polícia Judiciária Civil, assim como o Sindicato dos Investigadores (Sinpol).

O suspeito Diego Correa de Araujo, 21 anos, morador da cidade de Barra do Bugres, é o executor do latrocínio, junto com o adolescente S.F.N, 17 anos. Ele e o menor infrator foram localizados na cidade de Querência (945 km a Nordeste), no sábado (23), com o com mais cinco pessoas que integram uma organização criminosa que praticou vários roubos e furtos na região, terminando com roubo seguido de morte (latrocínio) da investigadora da Polícia Civil, que era lotada na Delegacia de Ribeirão Cascalheira Cascalheira (900 km a Leste).

Os demais envolvidos na associação criminosa são: Bruno da Silva Ribeiro, 18, Leonardo Souza Nascimento, 22, Ana Paula Pereira Carvalho, 20, Débora Crizostomo de Souza, e J.M.Q, 17 anos. Todos eles, assim como o menor S.F.N. são moradores de Querência e formam o grupo criminoso que deu suporte logístico ao suspeito Diego Correa de Araújo, que chegou no começo da semana na cidade para praticar crimes.

Leia mais:  Após intervenção, Hospital Regional de Sinop realiza 21 transferências e 36 cirurgias

Os criminosos de Querência colocaram à disposição dele (Diego) duas armas de fogo e duas motocicletas, com as quais roubaram, sequestraram e executaram friamente a investigadora de polícia.

O delegado Raphael Diniz informou que essa associação criminosa praticou diversos crimes na cidade, entre eles roubo de um veículo Pálio, uma Hilux, um Gol e a Fiat Strada da policial, furtos de defensivos agrícolas, joias  e outros objetos, fora muitas tentativas que nem chegaram ao conhecimento da polícia. “Temos mais pessoas envolvidas nessa facção criminosa e já identificamos quem são. As investigações continuam”, disse.

Os  veículos roubados foram recuperados e restituídos às vítimas ou seus familiares. As investigações continuam para recuperar as armas roubadas da policial civil. Também foram apreendidas duas armas de fogo, de uso dos criminosos.

O latrocínio

A  policial estava em sua casa, que fica em uma chácara, às margens da BR 158, a 50 km da cidade de Ribeirão Cascalheira, quando foi surpreendida por dois criminosos armados, que roubaram um veículo Fiat Strada, de cor preta, de sua propriedade, duas armas pessoais (1 revólver 38 e um rifle 22) e pistola 940, acautelada da Polícia Civil.

O corpo da investigadora foi localizado na madrugada deste sábado (23), por volta das 2 horas, em uma estrada vicinal, às margens da BR 158 (60 km de onde foi levada), com um tiro na cabeça. Os criminosos abandonaram, próximo ao mesmo local, o veículo dela e seguiram em uma motocicleta.

Leia mais:  Escola Técnica de Alta Floresta abre processo seletivo para três novos cursos

A Polícia Civil apurou que antes de invadir a propriedade da policial, os criminosos assaltaram uma residência que fica anexa a uma borracharia na região no Distrito de Serra Dourada, de onde levaram da casa joias, cheque e um carro (Gol). A vítima desse crime, também uma mulher, foi levada, mas liberada pelos criminosos, que seguiram no veículo, porém, perderam o controle do carro que caiu numa ribanceira, que fica perto da residência da casa da investigadora Márcia Régia.

A investigadora Márcia Régia de Matos completaria neste ano 29 anos de Polícia Civil. Ela é da turma de outubro de 1990, que ingressou Polícia Civil de Mato Grosso. A polícia era natural de Araguarça (GO). O corpo da investigadora foi sepultado em Barra do Garças.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana