conecte-se conosco


Nacional

Covid-19: Pelo 4º dia consecutivo, Brasil registra mais de mil mortes em 24h

Publicado


source
mulher internada com respriador no rosto
Jochen Sand/GettyImages/Creative Commons

Total de mortes por Covid-19 no país é de 35.026 e casos chegam a 645.771


Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde na noite desta sexta-feira, 5, o Brasil registrou 1.005 óbitos causados pela Covid-19 em 24 horas. É o quarto dia consecutivo em que o país registra mais de mil mortos. O total agora é de 35.026. O aumento é de 2,8 %.

Leia também

Os dados da pasta apontam ainda que o Brasil tem 645.771 contaminados pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), sendo que 30.830 foram registrados nas últimas 24 horas. O aumento equivale a 4,7 %.

Desde a última quarta-feira, a pasta tem atrasado a divulgação dos dados oficiais da Covid-19 em seu portal. Prevista para às 19h, o levantamento tem sido divulgado às 22h. 

Por meio de nota da assessoria de comunicação, o Ministério da Saúde justificou que os dados são analisados e consolidados pela pasta junto aos gestores locais. O ministério diz ainda que “tem buscado ajustar a divulgação” dos dados publicados dirariamente. 

O formato do boletim epidemiológido sofreu mudanças na noite de hoje. Os números de casos e mortes acumulados no país e por estado não foram somados em sua totalidade. Foram apenas registrados os números das últimas 24 horas. Também não foi registrado o número de óbitos dos últimos três dias.

Por esse motivo, a divulgação dos números foi propositalmente atrasada. O presidente Bolsonaro disse hoje no Palácio da Alvorada que o correto seria divulgar os dados consolidados no dia. ” Ninguém tem que correr para atender a Globo “, disse.O  portal do novo coronavírus do Ministério da Saúde está em manutenção e não disponibilizou os dados de hoje.

tabela epidemiológica do ministério da saúde
Divulgação/Ministério da Saúde

Tabela epidemiológica do Ministério da Saúde de hoje, 5, foi divulgada sem contagem total de número de casos e mortes no país e por estado

Uma estimativa dos números foi divulgada pelo Portal G1 . A rede de comunicação faz apuração própria todos os dias junto às Secretarias de Saúde dos estados. Desde ontem, o  telejornal passa a divulgar seus próprios dados para driblar o atraso do boletim epidemiológico do Ministério da Saúde .

Segundo o jornal Correio Braziliense, o  atraso teria sido pedido pelo próprio presidente Jair Bolsonaro  (sem partido) para boicotar emissora.


Ontem, 4, o Brasil teve recorde de registros em 24 horas pelo terceiro dia consecutivo. Foram  1.473 novos óbitos, o que corresponde a uma morte a cada minuto no dia. O país alcançou o total de 34.021 vítimas fatais, ultrapassando os dados da Itália e se tornando o terceiro país no mundo com maior número de mortes por Covid-19 .

Em relação aos números de casos, o Ministério da Saúde calculou 614.941, sendo que 30.925 foram em 24 horas.

São Paulo segue como epicentro da doença no país, com 8.842 mortes. O Rio de Janeiro se mantém em segundo lugar, com 6.473 óbitos. Apesar dos números crescentes, capitais de ambos os estados sinalizam reabertura.

São Paulo também segue na liderança em número de casos, com 134.565 infectados pelo novo coronavírus. A lista segue com Rio de Janeiro (63.066), Ceará (61.595), Pará (50.960) e Amazonas (47.666).

O estado menos afetado é o Mato Grosso do Sul, que tem registro em 21 mortes e 1.997 casos confirmados de Covid-19 desde o início da pandemia.

Ainda segundo o Ministério da Saúde, 11.977 pacientes com Covid-19  recuperados nas últimas 24 horas.


Comentários Facebook

Nacional

Polícia apreende fuzis militares após acidente em São Paulo

Publicado

por


source
Fuzis prf
Divulgação/PRF

Armas são de uso militar

Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreenderam três fuzis de uso militar na noite da última quarta-feira (10). A apreensão aconteceu na Rodovia Presidente Dutra (BR-116) na cidade de Arujá, em São Paulo.

Os policiais encontraram as armas depois que um homem de 33 anos não respeitou o sinal de parada e fugiu. Ele tentou entrar em um retorno da rodovia, perdeu o controle do veículo e caiu em uma valeta localizada do lado da via.

Dentro do carro, foram encontrados dois fuzis de modelo AR-15, uma fabricada pela empresa americana Colt e outra de origem desconhecida, e um fuzil modelo AK-47, de uma fabricante russa. Além disso, foram encontrados cinco carregadores. O homem que conduzia o veículo foi preso.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Ex-assessora de Flávio Bolsonaro investigada é nomeada por Crivella

Publicado

por


source
Flávio Bolsonaro
Tânia Rêgo/Agência Brasil

Ex-assessora de Flávio Bolsonaro foi nomeada para o cargo em maio de 2018, antes das eleições.

A ex-assessora do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Lídia Cristina dos Santos Cunha, que é investigada no inquérito das “rachadinhas” foi nomeada pelo prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) para um cargo na Secretaria de Legado Olímpico.

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) investiga o envolvimento de Lídia no esquema de lavagem de dinheiro envolvendo funcionários do gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj)

Depois que Flávio foi eleito para o senado, em 2018, o jornal O Dia noticiou que a assessora havia sido nomeada em maio e tinha um salário de mais de R$ 5 mil por mês. Entretanto, segundo o veículo, ela nunca foi trabalhar.

Segundo o jornal, ela e recebia da Alerj, mas trabalhava para o partido. Em março de 2019, ela perdeu seu cargo de secretária-geral no diretório do partido e foi substituída pela deputada estadual Alana Passos.         

A nomeação acontece um mês depois de Crivella ter tirado a subsecretaria de Legado Olímpico da Casa Civil e ter criado uma secretaria para isso, que é comandada por Alan Passos. Lídia foi nomeada para o cargo mais baixo disponível na secretaria. Entretanto, seu salário ainda não é conhecido e, por ser acrescido de bônus, só deve ser colocado no site da transparência da prefeitura carioca no próximo mês.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana