Connect with us

  • banner_Lorenzetti_1250x250

Polícia

Corrida De Cara Limpa Contra as Drogas leva centenas de corredores às ruas neste domingo

Publicado em

Assessoria | PJC-MT

Foto: Lenine Martins-Sesp-MT

A 8ª edição da Corrida De Cara Limpa Contra as Drogas marcou as comemorações dos 10 anos do programa social da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso. A corrida de rua é uma das atividades desenvolvidas pelo projeto, executado pela Coordenadoria de Polícia Comunitária da instituição.

Com um total de 1000 inscritos, 735 pessoas compareceram na manhã deste domingo (18.11) e correram com monitoramento de chip. Outras dezenas de pessoas participaram  por fora, na chamada “pipoca”. A largada mista aconteceu às 7h, em frente ao Setor de Vistoria do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), na capital.

A gerente do programa De Cara Limpa Contra as Drogas, investigadora Laura Léa Correa da Costa, disse que em 10 anos do projeto (desenvolvido em escolas municipais, estaduais e particulares, igrejas e outros segmentos da sociedade) e oito edições da corrida de rua, mais adeptos o evento ganha a cada ano.

“Essa corrida é uma forma de sensibilizar, que o esporte também pode influenciar, para que o jovem fuja das drogas.  Temos vários atletas aqui hoje e a cada ano ganhamos mais adeptos. Esperamos em 2019 conseguir ampliar o número de participantes”, disse.

Foto: Lenine Martins-Sesp-MT

O evento reuniu vários policiais civis (delegados, escrivães e investigadores), alguns que correram e outros que tiveram papel fundamental na organização e segurança do evento, além do apoio de outras instituições com a Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Unimed, Sesc, Assembleia Legislativa, os sindicatos dos Investigadores (Sinpol), dos Delegados (Sindepo/Amdepol) e Escrivães (Sindepojuc), MTU, Prefeitura de Cuiabá, e parceiros da corrida.  

O delegado Caio Albuquerque disse que em seis anos de Polícia Judiciária Civil, esteve presente quase todos aos anos na corrida “É incentivo ao esporte e a união de força”, disse o delegado, atualmente adjunto da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos Automotores.

O programa De Cara Limpa Contra as Drogas nasceu na cidade de Campo Novo dos Parecis e foi trazido para dentro da Delegacia Especializada de Entorpecentes (DRE), que coordenava todas as atividades antes de ser repassado a Polícia Comunitária da PJC.

O delegado titular da DRE, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, destacou a importância de investir mais na prevenção. “A política nacional vem forte nesse sentido da prevenção. Estamos iniciando e precisamos investir mais. A tendência é aumentar nos próximos anos a difusão dos projetos sociais que a Polícia Civil executa, via a Coordenadoria de Polícia Comunitária. Essa corrida trabalha nesse sentido, de prevenir o tráfico de entorpecentes e conscientizar a sociedade sobre os malefícios que as drogas trazem aos jovens, na saúde, e suas conseqüências no aumento da criminalidade”, disse.  

Foto: Lenine Martins-Sesp-MT

Na categoria policial, o investigador de Barra do Garças, Eládio Crisostomo de Oliveira, 40 anos, se mantém invicto campeão há sete anos consecutivos.  “Quero mais uma vez parabenizar a organização da corrida, dessa oitava edição e pela sétima vez consecutiva sou campeão. Isso é fruto de muito trabalho e dedicação. O esporte para atividade policial é essencial, tanto para aliviar o estresse quanto fisicamente”, afirmou.

Pela categoria geral, o vendedor Mayk Caique Santana participou pela primeira vez da Corrida De Cara Limpa Contra as Drogas e já garantiu o primeiro lugar no pódio. “Tenho mais ou menos um ano e sete meses de corrida, treinando para essa competição. A boa organização e o nome do evento me atraiu bastante”, disse.

O secretário de Segurança Público, Gustavo Garcia, como em anos anteriores fez o percurso de 5 quilômetros da corrida e parabenizou a organização do evento. “É importante essa corrida da Polícia Judiciária Civil, une nossos servidores, une a sociedade com a Polícia Civil, dando maior força as nossas ações preventivas e também repressivas. A organização está de parabéns por esse evento”, parabenizou.

A delegada geral adjunta da PJC, Sílvia Pauluzi, também fez o percurso de 5 km e ressaltou a integração da corrida com a sociedade. “Precisamos que prevenção e educação caminhem juntos, para que os jovens não sejam levados para as drogas e encontrem forças para sair delas”, disse.

A classificação nominal de todos os participantes estão no site Morro MT, via o link:https://www.morro-mt.com.br/resultados/8a-corrida-de-cara-limpa-contra-as-drogas-91  

Jogos Internos

O investigador e professor de educação física, Claudinei Farina, lembrou que a Corrida De Cara Limpa Contra as Drogas abre a 8ª Edição dos Jogos Internos da Policia Judiciária, que segue durante toda a semana com a programação de várias disputas, no masculino e feminino, para os jogos de: Futsal, voleibol, ciclismo, basquetebol, futsal society, atletismo, tênis de mesa, xadrez, bozó, voley de areia, natação e tiro policial. São mais de 2 mil policiais com equipes inscritas.

“Essa corrida abre oficialmente o calendário dos jogos internos da Polícia Civil, que neste ano também está na oitava edição. Serão várias modalidades esportivas, para os policiais, tanto da capital quanto do interior, que vêm com equipes montadas para participarem e também confraternizar.Os jogos começam nessa segunda-feira (19) com o Futsal,  feminino (07h30 às 12h) e masculino (13h às 18h), no Ginásio Dom Aquino. O encerramento será na manhã de  sábado (24) com o tiro policial, realizado no stand de tiros da Academia de Polícia.

 

Cidades

Filhos de 2 e 3 anos viram pai esfaqueando o avô até a morte

Published

on

A família de Gilvanir Germano Neto, de 43 anos, ainda não consegue acreditar na forma brutal como ele foi assassinado pelo próprio genro na noite de domingo, 07, em Brasnorte. Os netos da vítima e filhos do agressor, de 2 e 3 anos, testemunharam o crime.

Devido à relação de proximidade entre os dois, o caso para eles se torna ainda mais emblemático.

“Ele se dava tão bem com o genro. Todo mundo está chocado, ninguém esperava por isso. Foi uma fatalidade que ninguém sabe explicar”, afirmou a técnica em enfermagem Sueli Germano Neto, irmã de Gilvanir.

Segundo ela, onde estava o irmão estava também o genro. O agressor chegou a morar com esposa – filha de Gilvanir – e os filhos na casa da vítima quando ficou desempregado. Só recentemente, depois de conseguir um emprego, o casal alugou um imóvel só para eles. “Esse genro morava dentro da casa dele, usava o carro dele. Eles tinham uma convivência muito boa, ninguém sabe como isso aconteceu”.

Sueli ouviu de testemunhas no hospital que o genro chegou dizendo que havia feito uma loucura e pediu para ser morto, tal como fez com o sogro. “O Samu chegou para estabilização, mas ele [Gilvanir] já estava sem vida. O genro pedia para as enfermeiras matarem ele, pedia para os policiais matarem ele, foi juntando muita gente, foi uma loucura”.

Último encontro em família

A família se reuniu e passou o domingo, 07, na casa dos sogros de Gilvanir. Tudo estava em harmonia quando, de forma repentina durante um jogo de baralho, o genro da vítima começou a xingar a esposa. O homem estava alcoolizado nesse momento.

Desconsertada com a situação, a jovem pediu para que fossem embora. “Ele saiu com o carro em desespero, cantando pneu e daí os parentes foram atrás para ver o que estava acontecendo”.

À família, a jovem relatou que o marido dava freadas bruscas que faziam com ela batesse o rosto no painel do carro. Enquanto tentava consolar os filhos que choravam no banco de trás, chegou a receber um soco no rosto.

A jovem teria pedido ao marido para parar, pois estava muito alterado, que dessa forma era para ele pegar as suas coisas e ir embora. “Em casa ele falou pra ela que não não ia embora, ou ele matava ela ou ela o matava”, afirmou Sueli.

Assim que essa conversa aconteceu, chegou uma familiar e, em seguida, Gilvanir, para tentar intervir. “Já foi recebendo meu irmão na porta com duas facas, quando ele [Gilvanir] perguntou o que estava acontecendo, já foi ferindo ele”, contou. Mesmo depois de cair no chão, Gilvanir continuou sendo golpeado.

A vítima foi atingida em várias partes do corpo, alguns dos ferimentos foram no rosto e pescoço. “Ele morreu sem nenhuma defesa”. O crime foi cometido diante da família, incluindo as crianças, mas ninguém conseguiu intervir. “A esposa, os filhos, todos viram acontecer e ninguém conseguiu conter ele, foi tudo muito rápido, muito mesmo, foi uma coisa desesperadora”.

O agressor foi preso e responderá pelo crime de homicídio.

Fonte: Mídia News

Continue Reading

Cidades

Bandidos invadem casa, roubam armas e morrem em troca de tiros com a PM

Published

on

Dois bandidos morreram em um confronto com a Polícia Militar, realizado na noite de quarta-feira (03), minutos após eles invadirem uma casa e roubarem armas de fogo, na cidade de Diamantino (154 km de Tangará da Serra). O terceiro envolvido na ação criminosa foi preso.

Narra o boletim de ocorrência, que a PM foi acionada sobre uma situação de roubo à residência na região de Novo Diamantino. Três homens, sendo dois armados, invadiram a propriedade onde renderam os moradores e roubaram armas, joias, três armas e uma caminhonete S10.

No trajeto para o local do crime, os militares avistaram a caminhonete S10 roubada, dando início à perseguição. Durante a fuga, os bandidos chegaram a atirar contra a viatura da PM. Os policiais por sua vez, revidaram os tiros, mas ninguém foi atingido.

Em alta velocidade, os assaltantes atropelaram uma motocicleta, perderam o controle da direção e bateram no muro de uma casa. Sem ter como fugir, eles voltaram a atirar contra os PMs dando início à troca de tiros. No confronto, dois dos bandidos foram baleados.

Eles chegaram a ser socorridos e encaminhados ao hospital, mas não resistiram e vieram a óbito. Já o terceiro envolvido no assalto resolveu se entregar, foi algemado e encaminhado para a delegacia.

Com os criminosos foram apreendidas cinco armas de fogo, sendo três revólveres calibre 38, duas espingardas, 20 munições intactas e quatro deflagradas. O caso foi registrado e deverá ser investigado pela Polícia Civil.

Fonte: Repórter MT

Continue Reading

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana