conecte-se conosco

  • banner_Lorenzetti_1250x250

Tangará da Serra

Com passagens por ameaça e lesão corporal, homem é espancado no Jardim dos Ipês

Publicado

Crédito das Imagens: TV Vale Record

Por volta das 21h30 desta segunda-feira, 26, a Polícia Militar de Tangará da Serra recebeu um chamado via 190, sendo informada que um homem havia sofrido uma tentativa de homicídio, sendo espancado, sofrendo inclusive traumatismo craniano. Esse fato foi registrado no Jardim dos Ipês.

A PM foi acionada pela esposa da vítima, que afirmou à guarnição que não estava em casa no momento em que o marido sofreu as agressões, pois teria saído para buscar a sua filha na casa de uma amiga. “Ela nos informou que ao retornar horas depois encontrou seu marido já caído, desfalecido pela casa que estava toda ensanguentada”, informou o Major PM Henrique.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) realizou os primeiros socorros e o encaminhamento da vítima à Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24 Horas), onde foi constatado o traumatismo craniano através dos golpes que ele teria sofrido por algum objeto contundente, podendo ser um pedaço de madeira ou mesmo uma barra de ferro, conforme relato da Polícia.

O estado de saúde da vítima de espancamento é considerado grave. “Até o presente momento não foi possível ainda identificar o autor dessa suposta tentativa de homicídio, porém, temos a qualificação da vítima, onde verificamos que possui diversas passagens pelos crime de ameaça, lesão corporal entre entre outras e agora a Polícia Judiciária Civil procederá com a devida investigação”, concluiu o Major.

Crédito das Imagens: TV Vale Record

Comentários Facebook

Tangará da Serra

Tangará concorre com projetos no edital MT Afluentes do Governo do Estado

Publicado

O Secretário de Cultura e Turismo, Welington Machado, protocolou na manhã desta sexta-feira, 24, dois projetos da área cultural para o Edital MT Afluentes do Governo do Estado de Mato Grosso.

Os projetos foram elaborados por uma equipe voluntária de artistas, produtores culturais e servidores da SECULTUR. “Quero aqui deixar registrado, o meu agradecimento ao nosso prefeito que não mediu esforços para apoiar estes projetos. Também quero agradecer à comissão elaboradora dos projetos, artistas e produtores culturais voluntários e à toda comunidade que participou deste processo”, disse.

Os projetos concorrem ao incentivo do Estado nos dois eixos do edital: Eixo 01 (Cultura) e Eixo 02 (Especial de Natal). No primeiro, o Município, por meio da Prefeitura Municipal, poderá ser contemplado com até R$ 250 mil para a realização de ações que contemplem os mais diversos campos e linguagens artístico-culturais.

Já no segundo eixo, a Prefeitura poderá receber R$ 400 mil, caso contemplada em projeto que apresenta atividades de cunho sociocultural e de lazer, incluindo decoração, programação cultural, oficinas, dentre outros, que integrem a temática natalina.

Continue lendo

Tangará da Serra

‘Ledur ganhou aval para seguir matando’, diz mãe de soldado tangaraense morto

Publicado

Indignada com o resultado do julgamento da tenente Izadora Ledur, Jane Claro, mãe de Rodrigo Claro, considerou a sessão ‘um circo’. Na visão da Justiça, Ledur cometeu crime de maus-tratos, mas vai responder em regime aberto por um ano. “Ela não foi condenada. Ela ganhou aval para continuar matando”, avalia após o resultado do julgamento.

A mãe disse que a família lutou 4 anos e 10 meses por Justiça “não pela palhaçada vista na audiência”. Segundo ela, o resultado ficou muito longe do esperado e não é punição para a oficial.

A tenente do Corpo de Bombeiros, Izadora Ledur, foi julgada na tarde de quinta-feira (23). Acusada de tortura que resultou na morte do aluno Rodrigo, ela foi condenada a um ano de prisão em regime aberto e pelo crime de maus-tratos.

A sessão de julgamento foi presidida pelo juiz Marcos Faleiros, da 11ª Vara Criminal Militar, que compõe o Conselho Militar com tenente-coronel Neurivaldo Antônio de Souza e os majores Paulo César Vieira de Melo Júnior, Ludmila de Souza Eickhoff e Edison Carvalho. Eles não entenderam que a conduta da oficial se enquadrava como tortura.

Conforme a decisão, Ledur teria se excedido durante a aplicação dos “caldos”, técnica utilizada para salvamento de vítimas na água. Entretanto, não houve intuito de torturar o então aluno.

“Lutamos por Justiça e não por palhaçada. O que aconteceu ontem foi um verdadeiro circo. Um teatro diante da nossa luta. Ledur não foi condenada. Ela recebeu, na verdade, foi aval para continuar matando e torturando. Se ela tivesse sido condenada, estaria presa e perdido sua farda”, declara a mãe.

Com Gazeta Digital

Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana