conecte-se conosco


BemRural

CITROS/CEPEA: Safra 19/20 deve ser quase 35% maior que a passada

Publicado

Cepea, 13/12/2019 – A maior produção do cinturão citrícola (São Paulo e Triângulo Mineiro) em 2019/20 foi reafirmada pelo Fundecitrus (Fundo de Defesa da Citricultura) em nova estimativa, divulgada na terça-feira, 10. Mesmo com ajuste negativo (-0,8%) frente ao relatório de setembro, os dados indicam que a atual safra deve se recuperar em 34,7% frente à passada, totalizando 385,31 milhões de caixas de 40,8 kg de laranja. De acordo com o Fundecitrus, o ajuste negativo entre as estimativas é fundamentado no menor volume de chuvas no cinturão citrícola em 2019 (de maio a novembro). Quanto à comercialização, mesmo com a proximidade das festas de final de ano, quando a demanda por cítricos normalmente se reduz, citricultores relataram boa procura nos últimos dias. Segundo agentes consultados pelo Cepea, esse cenário pode estar relacionado ao período de início de mês. Na parcial desta semana (segunda a quinta-feira), a laranja pera foi negociada na média de R$ 28,60/cx de 40,8 kg, na árvore, leve alta de 2% frente à da semana passada. No caso da lima ácida tahiti, os preços seguem recuando, devido à crescente oferta da variedade. Segundo colaboradores do Cepea, as frutas miúdas continuam caracterizando o maior volume disponível no mercado paulista. Na parcial desta semana, a média da tahiti foi de R$ 23,33/cx de 27 kg, colhida, queda de 39,6% em relação ao período anterior. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA
Comentários Facebook
Leia mais:  ALGODÃO/CEPEA: Exportação elevada enxuga excedente interno e impulsiona valores

BemRural

Brasil e Índia firmam cooperação técnica em produção animal

Publicado

por

Os governos do Brasil e da Índia firmaram neste sábado (25) declaração conjunta para cooperação na área de produção animal. O documento foi celebrado entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Ministério da Pesca, Pecuária e dos Laticínios da Índia (Departamento de Pecuária e Lácteos – DAHD), durante a visita de Estado do presidente Jair Bolsonaro ao país asiático.

O acordo prevê cooperação em sanidade animal (comércio de animais, material genético e produtos de origem animal), que envolve pecuária e pesca; capacitação técnica (assistência técnica, cursos e estágios e transferência de tecnologia em reprodução animal) e pesquisa em genômica bovina e intercâmbio mútuo de germoplasma (material genético).

Brasil e Índia também se comprometeram na instalação de um Centro de Excelência em Pecuária Leiteira em território indiano, além da promoção comercial e investimento entre os setores privados dos dois países, com destaque para atuação de empresas brasileiras de genética bovina na Índia.

O Mapa foi representado pela ministra Tereza Cristina e pelos secretários Jorge Seif Júnior (Aquicultura e Pesca) e Orlando Ribeiro (Comércio e Relações Internacionais).

Na declaração, Brasil e Índia referendaram memorando de entendimento entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Departamento de Pecuária e Lácteos da Índia, firmado em 2016, para capacitação de técnicos indianos em fertilização in vitro.


Informações à imprensa[email protected]

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Leia mais:  LEITE/NOTA: Em 2020, Cepea deixará de calcular preço bruto do leite ao produtor
Continue lendo

BemRural

Preço da carne bovina desacelera e segue em tendência de queda

Publicado

por

A redução na demanda pelo consumidor e no volume de exportações da carne bovina para a China têm provocado o recuo no preço do produto no varejo. Esse movimento reflete a variação no preço da arroba do boi gordo ao produtor que, em média, já caiu em torno de 5% desde o início do ano, segundo levantamento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Os preços do boi gordo nesta sexta feira (24) estavam cotados entre R$ 170 e R$ 180.  Em Mato Grosso do Sul, por exemplo, foi registrada uma queda 10,5%, na comparação entre o preço de R$ 190, em 30 de dezembro de 2019, e o fechamento na sexta-feira, em R$ 170.

A redução se torna ainda maior ao avaliar o comportamento do mercado em relação ao início de dezembro, quando a arroba chegou a R$ 216, conferindo uma queda da ordem de 21% em relação a esta sexta-feira.

O recuo no preço da carne também foi verificado no levantamento divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na quinta-feira (23). O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), a prévia da inflação, captou uma forte desaceleração no valor do produto. De uma alta de 17,71% em dezembro, a variação no preço da carne chegou a 4,83% em janeiro, puxando a inflação para baixo.

Para o coordenador-geral de Apoio à Comercialização da Agricultura Familiar do Mapa, João Antônio Salomão, além da questão das exportações, outros fatores contribuíram para pressionar o preço para baixo. “Neste período, há uma tendência de menor consumo de carne bovina, em virtude das férias e houve também uma mudança de hábito do consumidor, que migrou para a compra de outros tipos carnes, como frango e peixes”, observa.

Leia mais:  Plano Safra está pronto para ser lançado, diz Tereza Cristina

No varejo, os preços devem seguir tendência de queda, em virtude da demanda enfraquecida. O valor de cortes traseiros, que têm cotações mais altas e mais sensíveis à variação do mercado, registrou forte queda, como a alcatra. Enquanto em dezembro esse corte teve uma variação de 21,26%, neste mês, foi 4,49%, de acordo com o IPCA-15, do IBGE.


Informações à imprensa[email protected]

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana