conecte-se conosco


Nacional

Cientista cria bebês resistentes ao HIV e gera dúvidas no meio científico

Publicado


Cientista chinês cria bebês resistentes ao HIV
Reprodução/MIT
Cientista chinês cria bebês resistentes ao HIV

O pesquisador chinês He Jiuankui revelou, nesta segunda-feira (26), o nascimento de bebês resistentes ao vírus causador da Aids, o HIV. Nascidos no mês passado, de acordo com o cientista, as gêmeas tiveram seu DNA modificado graças a um “potente instrumento” que reescreve o código genético. A nova engenharia genética denominada como Crispr foi utilizada por Jiuankui para atingir o resultado.

Leia também: Falta investimento para conter epidemia de HIV no mundo, dizem pesquisadores


De acordo como cientista, a operação foi feita através da alteração dos embriões de sete casais que realizavam tratamento de fertilidade. Com o objetivo de atribuir aos embriões a capacidade de resistir a possíveis infecções por HIV
, a intervenção foi feita no principal receptor no qual se liga o vírus, o CCR5. O experimento resultou em apenas uma gravidez até agora.

A técnica utilizada é um procedimento proibido nos Estados Unidos, segundo alega um cientista americano que trabalhou com Jiuankui. O veto veio do temor que as mudanças genéticas causam no ramo científico, não só nos Estados Unidos, mas também no resto do mundo, devido ao risco de que sejam causados danos em outros genes que não estavam anteriormente danificados.

Em 2003, as clínicas chinesas foram proibidas de realizar a transferência de embriões geneticamente modificados a fim de iniciar uma gravidez. Por esse motivo, o pesquisador encontra-se agora sob investigação a fim de descobrir se os métodos infringiram leis e regulações chinesas. 

Leia mais:  Com sangue, suor e lágrimas: as eleições mais polêmicas da história do Brasil

Caso a alteração genética
nos bebês seja comprovada, excluindo as questões legais que envolvem o processo, a descoberta será considerada como um grande e promissor avanço científico. Os resultados não tiveram a confirmação por parte de nenhum cientista, a não ser o próprio He Jiuankui, que declarou os resultados em uma conferência internacional sobre edição de genes.

A declaração gerou uma onda de críticas entre especialistas chineses que apontam que o experimento criava riscos inaceitáveis para atingir um objetivo questionável.

“Essas duas crianças são as cobaias. Eles passaram por todo o seu processo de gestação sem terem entendido os riscos com antecedência”, disse Liu Ying, do Instituto de Medicina Molecular da Universidade de Pequim.

Leia também: Um em cada cinco homens que fazem sexo com outros homens tem HIV, diz pesquisa

Outro grupo de 122 cientistas também condenou a pesquisa de Jiuankui e pediu pelo estabelecimento de uma governança legal sobre a manipulação de genes.

“Isso representa um grande golpe para a imagem e o desenvolvimento das ciências da vida chinesas no cenário global. É extremamente injusto para muitos estudiosos honestos e sinceros que trabalham para aderir às práticas morais nas ciências”, afirmaram.

A experiência veio descrita em um documento publicado pela Universidade de Ciência e Tecnologia, da cidade chinesa Shenzen, e noticiada pela revista do Instituto Americano de Massachusetts (MIT). De acordo com a publicação, a pesquisa teve o consenso do Comitê Ético para que fosse conduzida.

Leia mais:  Bolsonaro promete acabar com indulto de Natal para criminosos

He Jiuankui afirmou que os pais das gêmeas, batizadas de Lulu e Nana, não quiseram ser identificados ou entrevistados e, devido a isso, o cientista desconhece o lugar em que eles moram e onde o trabalho foi feito.

Erradicação do vírus HIV


Resposta ao combate à Aids está abaixo das metas globais estabelecidas para 2030
Adair Gomes/ Imprensa MG
Resposta ao combate à Aids está abaixo das metas globais estabelecidas para 2030

Nos últimos anos, o número de novas infecções causadas pelo HIV veio aumentando em cerca de 50 países e, no cenário global, decaiu apenas 18% nos últimos sete anos (2,2 milhões em 2010 para 1,8 milhão, no ano passado).

De acordo com um relatório divulgado pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids), o ritmo de progresso em relação aos combate ao vírus, pela primeira vez,  não está em alinhamento com as metas globais
 que preveem a eliminação da Aids
até 2030.

Entre os fatores que têm influenciado nesses dados estão o conservadorismo social, que intensifica a violência estrutural, dificultando na prevenção, e falhas no abastecimento de medicamentos, atrapalhando os tratamentos contra infecções ocasionadas pelo HIV
.

*Com informações da ANSA

Comentários Facebook
publicidade

Nacional

PSDB livra Aécio Neves e desafetos de Doria de processo de expulsão do partido

Publicado

por


Representação que pede a expulsão de Aécio Neves do PSDB foi arquivada pela direção nacional do partido
Arquivo/Agência Brasil
Representação que pede a expulsão de Aécio Neves do PSDB foi arquivada pela direção nacional do partido

A direção executiva nacional do PSDB decidiu arquivar sumariamente todos os processos que pedem a expulsão de filiados por suposta “infidelidade partidária”. A medida beneficia o  hoje deputado federal Aécio Neves (MG)
e desafetos do governador de São Paulo, João Doria.

A decisão foi tomada durante reunião realizada – sem alarde – nessa quarta-feira (20), sob a regência do presidente do PSDB
, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin.


Em relação a Aécio
, o pedido de expulsão foi  protocolado pelo deputado Wherles Rocha (AC)
em dezembro do ano passado. O tucano acusou o correligionário de ter incorrido em quebra de decoro parlamentar em razão de episódios envolvendo suposto pagamento de propina por parte do empresário Joesley Batista, do J&F, alvos de investigações pela Polícia Federal.

A executiva do PSDB rechaçou a representação sem ao menos encaminhar o caso ao Conselho de Ética
 interno, considerando que o estatuto do partido prevê punição apenas quando um filiado é condenado em última instância. Alas do partido, no entanto, compreendem que o texto deve vir a ser atualizado, uma vez que o Supremo Tribunal Federal (STF) passou a entender que condenados na segunda instância já podem ser presos.

As representações por “infidelidade partidária” referentes a desafetos de João Doria
decorrem de suposto apoio de tucanos ao ex-governador Márcio França (PSB), adversário de Doria no segundo turno das eleições em São Paulo no ano passado. Aliados de Doria acusaram o ex-governador Alberto Goldman o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, e o ex-secretário Saulo de Castro de terem boicotado a campanha do ex-prefeito.

Leia mais:  Com sangue, suor e lágrimas: as eleições mais polêmicas da história do Brasil

O arquivamento dos processos desagrada ao grupo liderado por Doria no ninho tucano. O partido, que busca se reinventar após o fraco desempenho de Alckmin nas eleições presidenciais de 2018, tem sido cobrado a punir integrantes de seus quadros para transmitir mensagem de combatividade ao eleitorado.

Além das suspeitas que cercam Aécio, o PSDB
também teve a imagem fragilizada ao longo do último ano por episódios envolvendo três ex-governadores tucanos. No Paraná, Beto Richa já é réu em duas ações da Operação Lava Jato e chegou a ser preso por conta de suspeitas de corrupção. O mesmo aconteceu em Goiás, com Marconi Perillo,  preso por suspeita de caixa dois
logo após as eleições de outubro. Por fim, em Minas Gerais, o ex-presidente nacional do partido Eduardo Azeredo foi preso, em maio do ano passado
, após condenação no chamado ‘mensalão tucano’.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Vale fecha acordo com moradores atingidos por rompimento de barragem

Publicado

por


Rompimento da barragem em Brumadinho está perto de completar um mês e 139 pessoas seguem desaparecidas
Isac Nóbrega/PR
Rompimento da barragem em Brumadinho está perto de completar um mês e 139 pessoas seguem desaparecidas

Nesta quarta-feira (20), a mineradora Vale, representantes dos atingidos por barragens e a Justiça fecharam um acordo para o pagamento de R$ 1 mil por adulto e R$ 300 por adolescente ou criança de Brumadinho. O acordo é válido para os moradores da região por um ano.

Leia também: Exames detectam excesso de metais em quatro bombeiros de Brumadinho


O Termo de Acordo Preliminar (TAP) também contempla moradores das margens do Rio Paraopeba, entre Brumadinho
e a Hidrelétrica Retiro Baixo, no Centro-Oeste de Minas Gerais.

Além da Vale e representantes dos atingidos, participaram da audiência no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG) na qual foi fechado o acordo a Advocacia Geral do Estado de Minas Gerais, o Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG), a Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais, a Advocacia-Geral da União (AGU), o Ministério Público Federal (MPF) e a Defensoria Pública da União (DPU).

Esta foi a quarta audiência entre representantes do poder público e a Vale
. Uma próxima reunião está marcada para o dia 7 de março, quando serão tratadas questões que ainda não foram atendidas neste acordo.

De acordo com o diretor jurídico da Vale, Alexandre D’Ambrósio, os pontos acordados no termo foram os emergenciais e mais urgentes. Ele garantiu que as conversas não foram encerradas e disse que espera agora começar a construir um acordo definitivo.

Leia mais:  Médico é preso em Goiânia suspeito de deformar o rosto de mais de 30 pacientes

“Conseguimos construir um acordo emergencial, que representa um avanço bastante grande para a reparação. Trata-se de um acordo sem precedentes, que reforça a colaboração ativa entre a Vale e as autoridades”, afirmou Alex D’Ambrosio.

A partir de agora, os atingidos serão cadastrados por uma empresa que ainda será contratada. O acordo prevê também a contratação de uma assessoria independente que auxilie os atingidos a negociar suas indenizações individuais. Esta assessoria também vai negociar o reembolso ou custeio das despesas do Estado de Minas Gerais
com despesas de transporte, alojamento e alimentação dos servidores envolvidos nos trabalhos de resgate e ações emergenciais na área atingida.

Desde o rompimento da barragem da Vale no Córrego do Feijão, que  matou pelo menos 171 pessoas
em Brumadinho
, já foram realizados cinco  processos de evacuação
abaixo de outras oito barragens de rejeitos no estado.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana