conecte-se conosco


Mato Grosso

CGE reestrutura setor de inteligência para reforçar o controle preventivo

Publicado

A Controladoria Geral do Estado (CGE-MT) vai reforçar o uso da tecnologia da informação para fiscalizar a aplicação dos recursos públicos no âmbito do Poder Executivo Estadual. Para isso, foi criada uma unidade administrativa de inteligência de controle interno na estrutura organizacional da Controladoria.

A ideia é sistematizar a análise de bases de dados, por meio da aplicação de método científico para cruzar informações de diferentes fontes do Estado e de outras esferas, para a identificação mais tempestiva de situações que possam constituir irregularidades, principalmente fraudes, desvios e danos ao erário.

De posse dessa espécie de “malha-fina”, a CGE poderá realizar auditorias eletrônicas e emitir relatórios às secretarias quanto a possíveis práticas inadequadas logo no início dos trâmites para possibilitar a adoção de providências antecipadas de correção.

“A partir das auditorias eletrônicas, o próprio setor de inteligência vai gerar relatórios aos órgãos estaduais, caso os dados eletrônicos sejam suficientes, como parte do chamado controle concomitante. Caso seja necessário analisar documentos para a produção do relatório, os dados eletrônicos serão encaminhados aos demais setores finalísticos da CGE”, explica o superintendente de Inteligência de Controle Interno, Joelcio Caires.

Nesse contexto, o trabalho de inteligência vai possibilitar a geração de trilhas de auditoria, o que contribuirá para a rapidez, precisão e alcance de ações regulares de controle interno e de auditoria dos demais setores finalísticos da Controladoria.

Leia mais:  Interessados podem verificar condições de veículos a partir de segunda-feira (25)

“O uso da tecnologia da informação otimiza o desempenho dos trabalhos de auditoria, sobretudo nas situações que envolvam amplo universo de dados, como no caso de monitorar a existência de relações pessoais entre sócios de uma empresa e os servidores do órgão que a contratou; as licenças médicas, para verificar, por exemplo, se há servidores usufruindo deste tipo de licença mas para fim diverso do tratamento de saúde; as licenças por interesse particular, para verificar, por exemplo, se há servidores em gozo deste tipo de licença para exercer atividades em conflito de interesses com o cargo público”, exemplifica o secretário-controlador geral do Estado, Emerson Hideki Hayashida.

A Controladoria começou a lançar mão da tecnologia da informação e inteligência de negócios há mais de seis anos para dar efetividade a alguns trabalhos de auditoria. Contudo, faltava sistematizar a análise de bases de dados para possibilitar o uso mais frequente das informações produzidas não somente nas auditorias, mas também no controle preventivo.


A necessidade foi identificada por grupo de trabalho constituído para planejar, propor e desenvolver soluções tecnológicas no âmbito da CGE. “Por isso constituímos um setor especializado para cuidar da produção de conhecimento de controle interno já que o uso da tecnologia é um caminho sem volta e precisamos dela para potencializar o trabalho dos auditores em apoio à boa e regular gestão dos recursos públicos”, acrescenta o secretário-controlador. 

Leia mais:  Governo de MT quer estreitar parceria com o Chile para turismo

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Alunos demonstram potencial em Olímpiada Nacional de Ciências

Publicado

por

A Escola Estadual 12 de Abril, localizada no município de Tabaporã (a 643 quilômetros ao médio-norte de Cuiabá), realizou a 1ª etapa da Olímpiada Nacional de Ciências (ONC) para 36 alunos do ensino médio. Os estudantes responderam a 15 questões objetivas de física, química, biologia e astronomia. A prova ocorreu na sexta-feira (16.08), nas dependências da escola.

A estudante Hilary Maria relata que teve uma experiência positiva nessa primeira fase da ONC e agora está na expectativa de realizar a segunda etapa. “Foi uma experiência incrível porque proporcionou várias oportunidades. Se eu for para a próxima etapa, que é a estadual, ficaria muito feliz”, frisa.

Para a aluna Maria Luiza, passar da segunda para a terceira fase nacional será uma grande conquista, pois os vencedores ganharão, não só medalhas ou bolsa de estudo, mas grande visibilidade. “É uma oportunidade de crescermos no conhecimento em ciências”, ressalta.

Segundo a professora de física Ângela Gargioni, responsável pela organização da ONC na escola, os alunos classificados para a segunda fase deverão ser avaliados com questões subjetivas e experiências dos estudantes.  O resultado dos aprovados para a segunda fase será divulgado no dia 30 de agosto, mas a expectativa é que todos participem.

“Na segunda etapa, os alunos apresentam um trabalho prático, poderão demonstrar o potencial que identificamos dentro da ONC e que tenham perfil na área de ciências. Foi uma surpresa positiva nessa primeira participação dos nossos alunos porque estudamos de forma intensiva. Como professora de física, me sinto lisonjeada pelo empenho de nossos alunos”, comemora.

Leia mais:  Em aldeia, Tereza Cristina defende o direito do povo indígena de produzir em larga escala em suas terras

ONC

A ONC é uma promoção do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e constitui um programa das Sociedade Brasileira de Física (SBF), Associação Brasileira de Química (ABQ) e Instituto Butantã, responsáveis por sua execução.

O foco da ONC é despertar e estimular o interesse pelo estudo das ciências naturais, física, química, biologia e astronomia. A competição é dividida em três etapas.

O estabelecimento de ensino que participar da 1ª fase terá automaticamente inscritos para a 2ª fase todos os estudantes que atingirem o número mínimo de acertos estipulado pela Comissão da ONC.

As provas da 2ª fase serão aplicadas em um sábado, nas subcoordenações estaduais definidas por cada comissão estadual, na data determinada no calendário da ONC, aprovado e publicado na página de divulgação digital da ONC de cada ano. A premiação dos alunos compreenderá dois níveis: estadual e nacional. A ONC concederá até 5.000 medalhas divididas em três categorias: ouro, prata, bronze.


Além disso, todos os que receberem medalhas e menção honrosa receberão seus certificados impressos. O número de medalhas em cada categoria dependerá do desempenho dos estudantes em cada série/ano.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Pessoa com deficiência e bullying foram temas de palestras para comunidade escolar

Publicado

por

A Escola Estadual Alfredo Treuherz, localizada na região de Nova Fronteira, em Tabaporã (643 quilômetros a Médio-Norte da Capital), foi palco de uma palestra sobre a Inclusão da Pessoa com Deficiência e Bullying. O encontro possibilitou a interação dos participantes que tiraram as dúvidas sobre o assunto. A palestra ocorreu na última sexta-feira (16.08) e teve participação dos alunos da escola e da comunidade escolar.

Segundo a diretora Claudia Reffatti Grassi, o tema foi escolhido pois a escola atende a alunos com algum tipo de deficiência. Com a ajuda da mãe de uma aluna especial, conseguiram levar Tais Augusta de Paula, da Casa Civil de Mato Grosso, e Luiz Carlos Grassi, do Conselho Estadual da Pessoa com Deficiência (Conede) para falar sobre o assunto.

“A palestra foi muito importante, tendo em vista que enfrentamos desafios no dia a dia escolar e precisamos estar capacitados para atender aos alunos da melhor maneira possível. A comunidade escolar, que participou em peso, gostou muito da maneira como foi abordado o tema em questão”, ressalta.


A EE Alfredo Treuherz atende 207 alunos matriculados nos ensinos fundamental e médio.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Leia mais:  Cinco são recapturados com mandando de prisão em aberto em várias cidades
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana