conecte-se conosco


Governo

Cerca de 18 mil pessoas de Mato Grosso podem perder benefícios do governo federal

Publicado

Cerca de 18 mil mato-grossenses inseridos no Benefício de Prestação Continuada (BPC) ainda não fizeram a inscrição no Cadastro Único (CAD Único). O número consta no levantamento do Governo Federal divulgado pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc-MT).

Foto:Setas-MT

Os beneficiários devem ficar atentos para a data limite para cadastramento, conforme Portaria n° 631. de 09 de abril de 2019. O registro é obrigatório, por isso a falta dele pode causar a suspensão do benefício.O novo cronograma divide os beneficiários não cadastrados por mês de aniversário, estabelecendo os períodos para envio de notificações e repercussões sobre os benefícios. (Confira no final do texto o novo cronograma).

A inserção no cadastro é fundamental para manutenção do BPC e identificará a realidade socioeconômica dos beneficiários. Com isso, será possível apontar as demandas desse público, para a inclusão nos serviços socioassistenciais e em outras políticas públicas.A coordenadora de Gestão de Benefícios Socioassistencias, Luciene Alves Côrrea, explica que em Mato Grosso a suspensão do benefício das pessoas que ainda precisam ser incluídas no CadÚnico gera um impacto não só para os beneficiários, mas para a economia local.

“A Superintendência de Benefícios, Programas e Projetos Socioassistencias, tem se empenhado a ofertar apoio técnico com orientações para que todos os municípios sejam incluídos no programa e não tenham seus benefícios suspensos”, ressaltou.

Leia mais:  Escola de Governo capacitou mais de 17 mil servidores na atual gestão

Para se inscrever basta procurar o Centro de Referência da Assistência Social (Cras) mais próximo de sua residência. Todos os municípios de Mato Grosso possuem o centro. Confira o relatório completo.


 

 

Fonte:Setasc-MT

Comentários Facebook
publicidade

Governo

Victório Galli é exonerado do cargo de assessor de Bolsonaro

Publicado

Victório Galli (PSL), ex-deputado federal, foi exonerado do cargo de assessor especial de Bolsonaro.

No mês de março, Galli foi condenado a pagar R$ 100 mil de indenização por declarações homofóbicas, ditas durante entrevista à Rádio Capital, em 2017.  Deixou como herança no PSL as contas bloqueadas, já que juntamente com presidentes anteriores, não prestaram contas, não pagaram dívidas e nem providenciaram documentos.


Laudívio Carvalho, ex-deputado federal também foi exonerado da assessoria especial do Ministério da Casa Civil.

Na última semana, o secretário especial Carlos Manato (PSL), também ex-parlamentar, foi exonerado. Hoje, além de Victório Galli (PSL) e Laudívio, deixaram a Casa Civil os ex-deputados Marcelo Delaroli (PL) e Keiko Ota (PSB).

 

 

Fonte: Cenário MT

 

Comentários Facebook
Leia mais:  Escola de Governo capacitou mais de 17 mil servidores na atual gestão
Continue lendo

Economia

Receita abre consulta a primeiro lote de restituição do IR 2019

Publicado

A Receita Federal abre nesta segunda-feira (10) a consulta ao primeiro lote de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física 2019. Cerca de 2,55 milhões de contribuintes que declararam Imposto de Renda neste ano vão receber dinheiro do Fisco.

O crédito bancário será feito em 17 de julho.

Ao todo, serão desembolsados R$ 4,99 bilhões do lote deste ano. A Receita também pagará R$ 109,6 milhões a 20.087 mil contribuintes que fizeram a declaração entre 2008 e 2018, mas estavam na malha fina. Considerando os lotes residuais e o pagamento de 2019, o total gasto com as restituições chegará a R$ 5,1 bilhões para 2.573.186 contribuintes. A lista com os nomes estará disponível a partir das 9h no site da Receita na internet. A consulta também pode ser feita pelo Receitafone, no número 146. A Receita oferece ainda aplicativo para tablets e smartphones, que permite o acompanhamento das restituições.

O crédito bancário será feito em 17 de julho. As restituições terão correção de 1,54%, para o lote de 2019, a 109,82% para o lote de 2008. Em todos os casos, os índices têm como base a taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada entre a data de entrega da declaração até este mês. O dinheiro será depositado nas contas informadas na declaração. O contribuinte que não receber a restituição deverá ir a qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para ter acesso ao pagamento.

Os dois últimos lotes regulares serão liberados em novembro e dezembro. Se estiverem fora desses lotes, os contribuintes devem procurar a Receita Federal porque os nomes podem estar na malha fina por erros ou omissões na declaração.

Leia mais:  Projeto ambiental de escola estadual se torna referência e pode virar lei em Várzea Grande

A restituição ficará disponível durante um ano. Se o resgate não for feito no prazo, a solicitação deverá ser feita por meio do formulário eletrônico – pedido de pagamento de restituição, ou diretamente no e-CAC , no serviço extrato de processamento, na página da Receita na internet. Para quem não sabe usar os serviços no e-CAC, a Receita produziu um vídeo com instruções.


 

 

 

 

Fonte:Agência Brasil

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana