conecte-se conosco

  • banner_Lorenzetti_1250x250

Tangará da Serra

Casal maior de idade e mais dois menores são detidos por tráfico no Barcelona

Publicado

Quatro pessoas, sendo um casal maior de idade e mais dois menores, um do sexo masculino e uma do sexo feminino, foram detidos no Barcelona suspeitos de cometem o crime de tráfico de drogas naquela região. A detenção foi efetuada pela Polícia Militar de Tangará da Serra.

De acordo com as informações repassadas pelo Soldado PM Vianna, em rondas pelo bairro foi avistado o grupo de quatro indivíduos em atitude suspeita. Durante a abordagem realizada a Polícia encontrou com o maior do sexo masculino uma porção grande de pasta base de cocaína e com a maior do sexo feminino uma porção de maconha.

“Eles disseram que adquiriram os entorpecentes de um terceiro de outra cidade, pagando um determinado valor para revender por quatro vezes o valor pago, realizando o tráfico de drogas. A maconha, segundo ele,s era para consumo próprio”, explicou o Soldado.

Todos foram conduzidos para o CISC. Eles estavam de posse de três aparelhos celular. De acordo com o soldado, na modalidade de tráfico muito se utiliza os aparelhos celular, pelo aplicativo WhatsApp facilita a comercialização dos entorpecentes. Durante a abordagem, uma menor de idade relatou ter desconfiança de que estaria grávida, porém, não fez teste que confirme. Os maiores responderão por corrupção de menores.

Comentários Facebook

Tangará da Serra

Tangará concorre com projetos no edital MT Afluentes do Governo do Estado

Publicado

O Secretário de Cultura e Turismo, Welington Machado, protocolou na manhã desta sexta-feira, 24, dois projetos da área cultural para o Edital MT Afluentes do Governo do Estado de Mato Grosso.

Os projetos foram elaborados por uma equipe voluntária de artistas, produtores culturais e servidores da SECULTUR. “Quero aqui deixar registrado, o meu agradecimento ao nosso prefeito que não mediu esforços para apoiar estes projetos. Também quero agradecer à comissão elaboradora dos projetos, artistas e produtores culturais voluntários e à toda comunidade que participou deste processo”, disse.

Os projetos concorrem ao incentivo do Estado nos dois eixos do edital: Eixo 01 (Cultura) e Eixo 02 (Especial de Natal). No primeiro, o Município, por meio da Prefeitura Municipal, poderá ser contemplado com até R$ 250 mil para a realização de ações que contemplem os mais diversos campos e linguagens artístico-culturais.

Já no segundo eixo, a Prefeitura poderá receber R$ 400 mil, caso contemplada em projeto que apresenta atividades de cunho sociocultural e de lazer, incluindo decoração, programação cultural, oficinas, dentre outros, que integrem a temática natalina.

Continue lendo

Tangará da Serra

‘Ledur ganhou aval para seguir matando’, diz mãe de soldado tangaraense morto

Publicado

Indignada com o resultado do julgamento da tenente Izadora Ledur, Jane Claro, mãe de Rodrigo Claro, considerou a sessão ‘um circo’. Na visão da Justiça, Ledur cometeu crime de maus-tratos, mas vai responder em regime aberto por um ano. “Ela não foi condenada. Ela ganhou aval para continuar matando”, avalia após o resultado do julgamento.

A mãe disse que a família lutou 4 anos e 10 meses por Justiça “não pela palhaçada vista na audiência”. Segundo ela, o resultado ficou muito longe do esperado e não é punição para a oficial.

A tenente do Corpo de Bombeiros, Izadora Ledur, foi julgada na tarde de quinta-feira (23). Acusada de tortura que resultou na morte do aluno Rodrigo, ela foi condenada a um ano de prisão em regime aberto e pelo crime de maus-tratos.

A sessão de julgamento foi presidida pelo juiz Marcos Faleiros, da 11ª Vara Criminal Militar, que compõe o Conselho Militar com tenente-coronel Neurivaldo Antônio de Souza e os majores Paulo César Vieira de Melo Júnior, Ludmila de Souza Eickhoff e Edison Carvalho. Eles não entenderam que a conduta da oficial se enquadrava como tortura.

Conforme a decisão, Ledur teria se excedido durante a aplicação dos “caldos”, técnica utilizada para salvamento de vítimas na água. Entretanto, não houve intuito de torturar o então aluno.

“Lutamos por Justiça e não por palhaçada. O que aconteceu ontem foi um verdadeiro circo. Um teatro diante da nossa luta. Ledur não foi condenada. Ela recebeu, na verdade, foi aval para continuar matando e torturando. Se ela tivesse sido condenada, estaria presa e perdido sua farda”, declara a mãe.

Com Gazeta Digital

Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana