conecte-se conosco

  • banner_Lorenzetti_1250x250

Economia

Canoas terá a primeira AviãoTeca do país

Publicado


source
Canoas terá a primeira AviãoTeca do país
Guilherme Dotto

Canoas terá a primeira AviãoTeca do país

A Prefeitura de Canoas planeja inaugurar em breve um complexo cultural no Parque Municipal Eduardo Gomes, com um projeto inédito de uma viagem ao mundo em torno de uma Aviãoteca.

Idealizado pelo secretário municipal da Cultura, Pinheiro Neto, o projeto consiste em uma biblioteca no interior de um avião de grande porte, preservando sua estrutura original.

Com uma área cultural no entorno da aeronave, estão previstos um mirante com mini museu da aviação, cafeteria, ecobikes, galeria de artes e espaços demarcados que apresentam, de forma lúdica, os principais pontos turísticos dos seis continentes do planeta.

Esteja informado: clique aqui e leia mais notícias de aviação!

alt

Ao visitar a Aviãoteca, além de contar com o acervo de livros físicos e digitais, os visitantes terão a experiência de um simulador de voo. A iniciativa se preocupada também com a responsabilidade ambiental, prevendo painéis de captação de energia solar. 

Você viu?

“Esse projeto é multidisciplinar e deve contar com patrocínio privado.”

Antecipou Pinheiro Neto

O secretário também destacou que desconhece a existência de um complexo de Aviãoteca semelhante e que todos os elementos previstos marcam um ineditismo internacional para o empreendimento.

O post Canoas terá a primeira AviãoTeca do país apareceu primeiro em Contato Radar – Notícias de aviação .

Comentários Facebook

Economia

Senado adia votação da PEC Emergencial para a próxima semana

Publicado

por


source
Sessão desta quinta-feira (25) será destinada para apreciação do parecer do relator da PEC
Reprodução: iG Minas Gerais

Sessão desta quinta-feira (25) será destinada para apreciação do parecer do relator da PEC

O Senado decidiu adiar a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial para a próxima quarta-feira (03). A informação é do líder da oposição, Jean Paul Prates (PT-PR), que participou pela manhã de uma reunião com outras lideranças da Casa e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (MDB-MG), para tratar do assunto. A assessoria de imprensa de Pacheco afirmou que o cronograma divulgado por Jean Paul é uma “previsão”.

Pela agenda fechada durante o encontro de líderes, ficou acordado que as sessões desta quinta-feira (25) e da próxima terça-feira (02) servirão apenas para discussão do parecer de Márcio Bittar (MDB-AC). A votação, que inicialmente ocorreria hoje, ficou marcada para a próxima quarta.

A jornalistas, Jean Paul disse que “o grande bode” na sala é o trecho da PEC que acaba com os pisos constitucionais da saúde e educação . Para o líder da minoria, a sugestão acaba com garantias constitucionais para que os setores consigam funcionar.

“Os senadores manifestaram esse risco de não haver aprovação em função de forçarem a barra para essa gangorra, essa contrapartida direta de aprovar o auxílio emergencial e fazer alterações estruturais de ajuste fiscal na Constituição”, disse o senador.

Ainda de acordo com Jean Paul, o governo expressou “abertura a discussão” sobre o texto, mas deixou claro que é contra o fatiamento da proposta.

Continue lendo

Economia

Programa Farmácia Popular pode ser paralisado por falta de dinheiro, alerta MS

Publicado

por


source
Programa Farmácia popular corre risco por falta de recursos
Rodrigo Nunes/MS

Programa Farmácia popular corre risco por falta de recursos

O programa  Farmácia Popular  está ameaçado por falta de dinheiro. O alerta é do próprio Ministério da Saúde, que pediu ao Ministério da Economia a liberação de mais recursos para a ação, de acordo com documento obtido pelo EXTRA. A situação ocorre porque o Orçamento de 2021 ainda não foi aprovado pelo Congresso Nacional.

O Farmácia Popular funciona por meio do credenciamento de farmácias e drogarias comerciais . Nas contas do Conselho Nacional de Saúde, órgão do Ministério da Saúde, cerca de 20 milhões de brasileiros dependem do programa para adquirir remédios gratuitos ou com até 90% de desconto.

Entre os medicamentos com até 90% de desconto estão drogas indicadas para combater a dislipidemia (colesterol alto), rinite, Parkinson, osteoporose e glaucoma pelo sistema de co-pagamento. Ainda por esse sistema, que está ameaçado segundo a Saúde, o programa oferece anticoncepcionais e fraldas geriátricas.

O orçamento total previsto para o programa Farmácia Popular no sistema de co-pagamento é de R$ 429,9 milhões. Já no sistema de gratuidade, com orçamento total de R$ 2 bilhões, o programa oferece medicamentos para hipertensão (pressão alta), diabetes e asma.

A Saúde tem previsto para este ano um Orçamento total de R$ 136,7 bilhões. A maior parte desse valor são de despesas obrigatórias, que não podem ser cortadas pelo governo. Outra parte, por outro lado, são as despesas chamadas de não obrigatórias (ou “discricionárias”, no jargão técnico), como o Farmácia Popular.

Você viu?

Como o Orçamento não foi aprovado, o Ministério da Economia decidiu liberar as despesas discricionárias a conta-gotas — medida que vale para toda a Esplanada dos Ministérios.

Por isso, de acordo com o Ministério da Saúde , a pasta só pode usar R$ 12 milhões por mês para as despesas discricionárias. Por outro lado, o Farmácia Popular e o programa Academias de Saúde custam, juntos, R$ 39,9 milhões mensais, conforme a pasta em documento assinado na última segunda-feira.

“O limite mensal do Ministério da Saúde para movimentação e empenho foi estabelecido em R$ 12.551.403. Esse valor inviabiliza o pagamento de despesas discricionárias regulares desta pasta como, por exemplo, o Programa Farmácia Popular do Brasil pelo Sistema Co-pagamento e transferências fundo a fundo para manutenção das Academias de Saúde”, escreveu o secretário-executivo do ministério, Élcio Franco, em ofício endereçado ao Ministério da Economia.

Academia da Saúde

Já o programa Academia da Saúde disponibiliza espaços públicos com infraestrutura, equipamentos e profissionais para a prática de exercícios.

O secretário do Ministério da Saúde pede no ofício uma “expansão emergencial” do limite de despesas discricionárias da pasta.

“Informo, ainda, que mesmo o limite mensal de R$ 18,8 milhões é insuficiente para atendimento integral das despesas discricionárias não computadas para a aplicação mínima constitucional desta pasta, razão pela qual também solicito elevação do valor mensal para R$ 43,7 milhões, assim que aprovada a lei orçamentária para 2021”, acrescenta.

Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana