conecte-se conosco


Tecnologia

Candidatos e partidos já podem se cadastrar para publicar anúncios no Facebook

Publicado


Este será o primeiro ano em que a divulgação desses anúncios no Facebook será permitida
Shutterstock
Este será o primeiro ano em que a divulgação desses anúncios no Facebook será permitida

Nesta quinta-feira (9), o Facebook abriu processo de registro para candidatos e partidos que pretendem divulgar propaganda eleitoral pela plataforma. Exigência do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o cadastro é obrigatório para quem quiser lançar mão desses anúncios no Facebook durante as eleições.

Leia também: As propostas sobre tecnologia e inovação de cinco presidenciáveis

Os anúncios serão identificados na linha do tempo dos usuários como “ propaganda eleitoral
”, e aqueles publicados por candidatos vão mostrar seu CPF, bem como a legenda à qual é filiado. Os anúncios de partidos, por sua vez, vão trazer o CNPJ da agremiação.

Essa identificação é obrigatória e estabelecida pelo TSE a partir da lei 23.551 de 2017. As informações sobre o candidato ou o partido também são requisitos exigidos pelo tribunal.

Este será o primeiro ano em que a divulgação desses anúncios no Facebook
será permitida. Incluída na legislação eleitoral com a resolução nº 13.488 de 2017, a norma prevê as modalidades de impulsionamento de conteúdo e de priorização paga de conteúdos em mecanismos de busca (adotada pelo Google, por exemplo).

Leia também: Manipulação nas redes sociais para fins políticos atinge 48 países

Além dos anúncios no Facebook


Os usuários também serão notificados sobre datas importantes do processo eleitoral; nos Estados Unidos, por exemplo, esses lembretes foram usados nos dias de votação
iStock
Os usuários também serão notificados sobre datas importantes do processo eleitoral; nos Estados Unidos, por exemplo, esses lembretes foram usados nos dias de votação

A “biblioteca de anúncios” é outro recurso disponibilizado pelo Facebook. Nela, os usuários poderão ver todas as publicações pagas, ativas ou não, relacionadas à política, incluindo propaganda eleitoral.

Leia mais:  WhatsApp remove contas responsáveis por disparo em massa de fake news

A ferramenta tem o objetivo de minimizar os riscos da publicidade paga no Facebook, que permite segmentar e personalizar as mensagens dos candidatos.

No comunicado emitido pela empresa, também foram anunciados outros recursos que serão aplicados no Brasil e que já foram adotados em processos eleitorais de outros países. Um deles é a aba “temas”, onde estarão conteúdos publicados por candidatos sobre diversos assuntos, como saúde, segurança e educação.

Além disso, os usuários também serão notificados sobre datas importantes do processo eleitoral. Nos Estados Unidos
, por exemplo, esses lembretes foram usados nos dias de votação.

Leia também: Facebook deleta contas suspeitas de interferirem em eleições nos Estados Unidos

Ainda será disponibilizado um “botão de eleitores informados” ( informed voter button
, em inglês), com um link para o site de autoridades eleitorais, como os tribunais. Depois do pleito, os usuários também poderão seguir, localizar e entrar em contato com os representantes eleitos. O recurso ganhou o nome de “ Town Hall
”, termo usado em inglês para designar prefeituras.

*Com informações da Agência Brasil

Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

Preciso de um repetidor de sinal? Veja esse e mais 6 modos de melhorar seu WiFi

Publicado

por

Você já passou pela situação em que só consegue acessar a internet em determinados pontos da sua casa? Se a resposta é sim e isso for algo bastante comum na sua rotina, talvez seja hora de pensar em usar um repetidor de sinal ou outros meios para expandir sua conexão  WiFi


homem com problemas no wifi
shutterstock
problemas com wifi




Ninguém merece ter que passar por perrengues com WiFi dentro de casa e, por isso, existe um dispositivo que consegue expandir o alcance dessa rede: o repetidor de sinal
. Basicamente, esse aparelho recebe a conexão fraca que está sendo enviada pelo roteador e faz com que ela seja redistribuida para outros ambientes. 

“A comunicação de dados sem fio é realizada através de ondas eletromagnéticas, que perdem força. Isso acontece não só pela amplitude, mas também por obstáculos físicos que esse sinal encontra pelo caminho”, explica Renato Grau, fundador e CEO da Innovision, ao iG Tecnologia
.

O alcance do roteador de uma rede doméstica varia de acordo com o modelo, mas pode chegar entre 15 e 46 metros em ambientes internos e até 92 metros em ambientes externos. “Dependendo do aparelho, e considerando uso doméstico e corporativo, os repetidores podem chegar até 10 mil metros quadrados cada um”, diz.

Segundo o profissional, é possível identificar como é a cobertura de sinal da sua casa com apps, como o NetSpot. Assim, se você achar que precisa de um acesso maior, pode escolher o melhor repetidor de acordo com quão longe você quer que esse acesso chegue. 

Leia mais:  Isso é muito Black Mirror: canal chinês cria apresentador de telejornal virtual

No Brasil, os modelos D-Link e TP-Link são os mais conhecidos atualmente. Já para conectar, é só selecionar a opção “repeater”, configurar o seu WiFi no repetidor com os dados de acesso que geralmente vem colados na parte de baixo do aparelho, e conectar o seu computador, celular ou qualquer outro eletrônico nessa rede.

Leia também: Sem sinal Wi-Fi? Confira quatro motivos que podem ter feito sua conexão cair

Além do repetidor de sinal: 6 maneiras de melhorar a conexão WiFi da sua casa


repetidor de sinal
shutterstock
repetidor de sinal

Apesar de ser prático, Ricardo afirma que o repetidor é uma das últimas soluções para uma conexão melhor. Antes, você pode experimentar mexer em algumas configurações no seu próprio roteador: 

1.  Melhore a posição física
do roteador, buscando evitar interferências físicas ao redor dele;

2. Atualize o firmware do roteador e dos seus adaptadores de rede;

3. Faça ajustes no gerenciamento de energia do seu dispositivo;

3. Mude canais de acesso (intervalos entre as frequências) no roteador, visto que vizinhos podem estar utilizando os mesmos e provocando interferência. Há aplicativos que podem auxiliar a verificar esses intervalos, como o inSSIDER;

4. Verifique se outras pessoas não estão usando o seu roteador, algo que pode acontecer principalmente se você não tiver mudado a senha de fábrica;

5. Utilize roteadores com tecnologias de transmissão mais recentes, como 5 GHz, que tem uma sinal maior do que 2.4 GHz.

Leia mais:  Patinetes elétricos: já tentou? Veja quais são os tipos e saiba como alugar um

Mas se nada disso der certo, você pode apostar no repetidor de sinal

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Mantenha o celular seguro! Aprenda como se proteger de golpes no Whatsapp

Publicado

por

Recentemente, o WhatsApp revelou a existência de uma vulnerabilidade em seus sistemas que permite a hackers vigiarem suas vítimas remotamente. A empresa chegou a liberar uma atualização para corrigir a falha, mas apenas atualizar o aplicativo não evita outros golpes.

Leia também: 7 dicas de como melhorar o sinal do celular e se livrar da conexão lenta


Pessoa segurando um celular com a tela do whatsapp aberta
shutterstock
Com a popularidade do aplicativo, muitos criminosos se aproveitam para aplicar golpes nos usuários

Com mais de 1,5 bilhão de pessoas em todo o mundo utilizando a ferramenta, o que inclui milhões de usuários brasileiros, criminosos se aproveitam dessa popularidade para faturar. As técnicas de golpes no Whatsapp
são inúmeras e vão desde acesso a links de promoções falsas até envio de SMS para um número suspeito.

É possível, por exemplo, convencer uma pessoa a digitar um código no smartphone para redirecionar chamadas para um outro número e assumir o controle do WhatsApp por chamada telefônica. Outro golpe que se tornou comum é o da troca de chip. Com dados pessoais da vítima, os criminosos informam as operadoras que foram roubados e precisam de um novo cartão SIM. Controlando o telefone, pode-se assumir a conta no aplicativo. 

“Hoje, uma vulnerabilidade nessa categoria é vendida no mercado por até US$ 4 milhões. Quem compra são governos e agências de espionagem”, comenta Fábio Assolini, analista de segurança da Kaspersky Lab.

Leia mais:  “Bolsokid”: quarto filho de Bolsonaro tem canal no Youtube e transmite jogos

“No início, elas são usadas apenas para alvos específicos, para dificultar a detecção. Mas no segundo momento, depois de ser descoberta, cibercriminosos podem fazer engenharia reversa nessa ferramenta para explorá-la em ataques em massa”.

Por isso, a recomendação é seguir o conselho da companhia e  atualizar o aplicativo
para a versão mais recente. Para isso, basta acessar a Google Play ou a App Store, fazer a busca pelo WhatsApp e clicar em atualizar.

Porém, nem todos os usuários devem estar aptos. Aparelhos mais antigos possuem sistemas operacionais obsoletos, que não são mais compatíveis com o aplicativo. No Android
, a versão mínima exigida é a 4.0.3, e no iOS
, a versão 8.0 ou posterior.

Leia também: Como garantir a segurança na internet diante de desafios e conteúdos violentos

Como se proteger de golpes no Whatsapp


Pessoa segurando um celular com a tela do Whatsapp aberta
shutterstock
Manter o aplicativo atualizado é um dos modos de evitar golpes no Whatsapp, de acordo com a própria companhia

Para evitar que você se torne mais uma vítima de fraudes aplicadas por meio da ferramenta, há algumas precauções, como a verificação em duas etapas, que faz com que o usuário tenha que colocar uma senha sempre que o aplicativo for instalado, evitando que criminosos acessem sua conta do Whatsapp remotamente.

Para ativar a verificação, vá em “Configurações” > “Conta” > “Confirmação em duas etapas”> “Ativar”. O app irá pedir a criação de uma senha com seis dígitos e uma conta de e-mail válida.

Leia mais:  Taxa de Donald Trump poderá aumentar preço de iPhones nos EUA

A ESET, empresa de segurança da informação, também divulgou uma lista com oito dicas para sua proteção:

  1. Proteja seus dispositivos com soluções de segurança e mantenha estes aplicativos sempre atualizados.
  2. Desconfie de promoções que não estejam adequadamente publicadas pela empresa que fornece o produto/serviço.
  3. Procure não acessar links suspeitos.
  4. Não cadastre dados pessoais em páginas não confiáveis.
  5. Evite baixar arquivos de fontes não confiáveis.
  6. Tenha muito cuidado ao instalar softwares ou aplicativos de fontes não oficiais.
  7. Não compartilhe arquivos ou links de origem duvidosa.
  8. Mantenha o aplicativo sempre atualizado

Para aprender a fazer a atualização do app e reforçar a segurança contra golpes no Whatsapp
, clique aqui
.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana