conecte-se conosco



Nacional

Cachorro leva tiro de caminhoneiro que se irritou com sua presença

Publicado


Cachorro é baleado e levado à clínica veterinária para ser socorrido
DIVULGAÇÃO/ POLÍCIA MILITAR

Cachorro é baleado e levado à clínica veterinária para ser socorrido

Um caminhoneiro foi preso na madrugada desta quinta-feira (06) após ter usado uma arma de fogo contra uma cadela, na zona norte de São Paulo. O animal levou um tiro próximo ao pescoço, mas foi socorrido pela Polícia Militar e levado a uma clínica de veterinária particular, onde recebeu atendimento.

Leia também: Imagens flagraram o momento em que segurança do Carrefour agride cachorro; veja

Os policiais do 5º Batalhão da Polícia Militar estavam em uma operação quando foram chamados para dar apoio cachorro baleado e realizar patrulhamento na região próxima ao terminal de carga na região da Vila Sabrina, perto do acesso para a Rodovia Fernão Dias.

De acordo com testemunhas locais, o homem teria se irritado com a presença de animais no terminal e teria sacado uma pistola calibre 6,35 e atirado contra a cadela, que foi identificada como Pintada.

Ao ser localizado dentro do seu veículo, o criminoso foi abordado pela polícia e encaminhado para o 73º Distrito Policial do Jaçanã e detido por maus tratos contra animais e por porte ilegal de armas. Segundo os agentes que estavam no local, o caminhoneiro foi questionado e confessou ter efetuado o disparo, oferecendo dinheiro aos policiais caso fosse absolvido do crime.

Leia também: Foto do cachorro de ‘Bush pai’ deitado ao lado do seu caixão comove a internet

Leia mais:  Chega a 59 o número de mortes em incêndio na Califórnia, que já dura uma semana

A cadela foi socorrida e levada a um hospital veterinário 24 horas. Os policiais que participaram do caso, comovidos, se mobilizaram para custear o atendimento de Pintada. Apesar disso, o hospital não aceitou o pagamento e informou que cobrirá os custos gerados pelo tratamento.

Os agentes que atenderam à ocorrência serão homenageados, nesta terça às 15h, no Quartel do 5º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano.

Cachorro morre no Carrefour


No último dia 28 de novembro, um texto publicado no Facebook relatou que um funcionário de uma unidade da rede Carrefour teria envenenado e espancado um cachorro
Reprodução Twitter

No último dia 28 de novembro, um texto publicado no Facebook relatou que um funcionário de uma unidade da rede Carrefour teria envenenado e espancado um cachorro

 Esse é o segundo animal a sofrer violência humana nesta semana.  No último dia 28, um texto publicado no Facebook relatou que um cachorro de rua morreu após ser espancado e envenenado por segurança de uma unidade da rede de hipermercados Carrefour localizada em Osasco.

O animal costumava ficar no entorno do supermercado e foi agredido depois que um dos funcionários recebeu um pedido de seu superior para retirar o animal do local. O vira-lata chegou a ser socorrido pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), mas não resistiu. 

Em nota oficial, o Carrefour afirmou  estar triste pelo ocorrido com o cachorro e que “reconhece que um grave problema ocorreu” na loja e que “não vai se eximir de sua responsabilidade”. A rede também informou que o funcionário foi afastado desde o início das investigações.

Leia mais:  Toffoli quer acelerar votação sobre auxílio-moradia para minimizar reajuste

Comentários Facebook
publicidade

Nacional

Com seis ex-ministros de Temer, Doria define equipe de governo; conheça os nomes

Publicado

por


Parte da equipe do governador eleito, João Doria
Divulgação/Assessoria de Imprensa de João Doria

Parte da equipe do governador eleito, João Doria

O governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), definiu os nomes para todos os cargos de sua administração nesta terça-feira (11). Com a nomeação de Henrique Meirelles (MDB) como secretário da Fazenda, Doria já tem seis ex-ministros do presidente Michel Temer em sua equipe. 

No total, são 20 secretários, além de dois secretários especiais e outros 12 ocupantes de cargos especiais na administração, incluindo sua esposa, Bia Doria , que comandará a presidência do Conselho do Fundo Social de Solidariedade (Fussep). A presidência do Fussep, no entanto, foi dada a Filipe Sabará, que atuou nas gestões Doria e Bruno Covas (PSDB) como secretário municipal de Assistência e Desenvolvimento Social na capital paulista.

Desse modo, a esposa de Doria atuará somente na presidência do Conselho, o que põe fim a uma tradição existente desde a criação do Fussep, em 1967, Todas as 15 primeiras-damas do Estado de lá para cá presidiram a entidade.

O governador eleito também nomeou seis ex-ministros de Temer como secretários . O último, Henrique Meirelles, aceitou hoje o convite para assumir a Secretaria da Fazenda . Ele ocupava a mesma pasta no governo Temer, mas com status de Ministério. Meirelles também já foi presidente do Banco Central na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). 

Antes disso, Doria escolheu  Vinicius Lummertz como secretário do Turismo . Lummertz foi presidente da Embratur de 2015 a 2018 e secretário nacional de Políticas de Turismo do Ministério do Turismo de 2012 a 2015.

Leia mais:  Chega a 59 o número de mortes em incêndio na Califórnia, que já dura uma semana

O ministro da Educação, Rossieli Soares, e o da Cultura, Sérgio Sá Leitão, chefiarão em São Paulo  essas mesmas pastas  no governo Doria. Soares participou das principais propostas educacionais do governo Temer, como a reforma do ensino médio e a finalização da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Já Sérgio Sá foi assessor da Presidência do BNDES entre 2006 e 2007 e também já exerceu as funções de chefe de gabinete do ministro da Cultura e de secretário de políticas culturais do MinC. Outro ex-ministros de Temer que fará parte do governo de São Paulo é  Alexandre Baldy (Podemos), atual ministro das cidades que ocupará a Secretaria dos Transportes Metropolitanos do Estado. 

Gilberto Kassab , ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações no governo Temer e ex-prefeito de São Paulo, também integrará a equipe de Doria como secretário da Casa Civil. Ele é réu acusado de receber  R$ 21,2 milhões via caixa dois  de executivos da Odebrecht entre os anos de 2008 a 2014. 

Conheça a equipe completa do governador eleito João Doria abaixo: 

  • Secretários:

1. Casa Militar e Defesa Civil – Coronel Nyakas
2. Segurança Pública – General Campos
3. Energia, Saneamento e Recursos Hídricos – Marcos Penido
4. Justiça – Paulo Dimas Mascaretti
5. Pessoa com Deficiência – Célia Leão
6. Agricultura – Gustavo Diniz Junqueira
7. Saúde – José Henrique Germann
8. Cultura – Sérgio Sá Leitão
9. Educação – Rossieli Soares
10. Casa Civil – Gilberto Kassab
11. Transportes Metropolitanos – Alexandre Baldy
12. Logística e Transporte – João Octaviano Machado Neto
13. Desenvolvimento Regional – Marco Vinholi
14. Habitação – Flávio Amary
15. Desenvolvimento Social – Célia Parnes
16. Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Inovação e Emprego – Patrícia Ellen da Silva
17. Turismo – Vinicius Lummertz
18. Esportes – Aildo Rodrigues Ferreira
19. Administração Penitenciária – Coronel Nivaldo Restivo
20. Fazenda – Henrique Meirelles

Leia mais:  Aécio Neves negociou pagamentos a partidos para derrotar Dilma em 2014, diz PF

  • Secretários especiais:

1. Comunicação – Cleber Mata
2. Relações Internacionais e Invest SP – Julio Serson

  • Outros cargos da administração:

1. Procuradora-Geral do Estado – Lia Porto
2. Presidente do Fundo Social – Filipe Sabará
3. Presidente do Conselho do Fundo Social – Bia Doria
4. Chefe de Gabinete – Wilson Pedroso
5. Presidente da Sabesp – Benedito Braga
6. Presidente da Cetesb – Patricia Iglecias
7. Presidente do Memorial da América Latina – Jorge Damião
8. Presidente da Desenvolve SP – Milton Santos

  • Segurança militar e civil:

1. Secretário Executivo da Polícia Militar – Coronel Alvaro Batista Camilo
2. Comandante Geral da Polícia Militar – Coronel Salles
3. Secretário Executivo da Polícia Civil – Yousseff Abou Chahin
4. Delegado Geral da Polícia Civil – Ruy Ferraz

João Doria assume o Governo de São Paulo no dia 1º de janeiro em uma cerimônia de posse na Assembleia Legislativa de São Paulo. Em seguida, ele segue para o Palácio dos Bandeirantes onde é realizada a transmissão de cargo e nomeação dos secretários indicados.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Meirelles evita detalhar acordo, mas diz que convite de Doria era chance “única”

Publicado

por


Henrique Meirelles foi último secretário anunciado pelo governador eleito em São Paulo, João Doria (PSDB)
Divulgação/Assessoria de Imprensa de João Doria

Henrique Meirelles foi último secretário anunciado pelo governador eleito em São Paulo, João Doria (PSDB)

O ex-ministro e candidato à Presidência pelo MDB na última eleição, Henrique Meirelles, classificou como “uma honra” e “oportunidade única” o  convite para atuar como secretário da Fazenda e Planejamento do governador eleito em São Paulo, João Doria (PSDB).

Questionado nesta terça-feira (11) se sua chegada à equipe de Doria envolve acordo político para se lançar candidato com o apoio do tucano nas próximas eleições, Henrique Meirelles desconversou. “Isso não é relevante. O importante é o trabalho a ser realizado. E isso, nós vamos fazer. É o momento de nos preocupar com a gestão do Estado e da economia. A minha decisão a cada momento é focar no trabalho”, disse.

“É uma oportunidade única. Eu me preparei para continuar servindo o Brasil nos próximos anos. Desde que decidi voltar ao Brasil, eu concluí que era o momento que eu deveria retribuir ao Brasil tudo o que o país me ofereceu. A partir daí, eu fui julgando qual era a melhor oportunidade de servir o Brasil em cada momento”, disse o novo secretário.

Meirelles foi o último integrante da equipe de João Doria a ser anunciado . O tucano disse ser um “privilégio” contar com o ex-ministro de Michel Temer e repetiu que Meirelles é “o secretário que todo governo gostaria de ter”. “Agora você já sabe: em São Paulo, chama o Meirelles”, brincou Doria, lembrando do slogan da campanha presidencial do emedebista.

Leia mais:  Aécio Neves negociou pagamentos a partidos para derrotar Dilma em 2014, diz PF

O novo secretário defendeu a adoção de políticas para atrair investimentos para São Paulo com o intuito de gerar empregos. Ele avaliou que São Paulo pode vir a se consolidar como “grande pólo financeiro internacional” e disse que o estado irá “liderar o processo de crescimento” e “impulsionar a economia” do Brasil.

“É uma honra continuar servindo ao Brasil, agora no Estado de São Paulo . Nós estamos vivendo momento especial no Brasil, com amplas possibilidades para todos. O Brasil agora está em uma nova fase”, avaliou. “São Paulo, portanto, tem condições enormes de liderar esse processo de retomada da economia brasileira. Aceitei o convite porque o programa do governador é exatamente aquilo que eu acho que o País e o Estado de São Paulo precisam: maior eficiência do Estado e diminuição da máquina pública.”

Leia também: Doria quer cerimônia rápida em São Paulo para poder ir à posse de Bolsonaro

Doria afirmou que o novo integrante de sua equipe terá gabinetes na Secretaria da Fazenda e também no Palácio dos Bandeirantes e prometeu que São Paulo vai “pensar grande” a partir de 2019. “A melhor contribuição que nós poderemos oferecer ao novo governo brasileiro é fazer uma grande gestão em São Paulo. Vamos explorar muito novos investimentos. Em São Paulo, nós pensamos globalmente, e não mais localmente. Vamos atrair grandes investidores que, no plano global, pretendem investir no Brasil”, disse.

Leia mais:  Feriado estendido tem aeroportos mais tranquilos e filas no sistema rodoviário

“Eu acredito que vai ser feita a diferença e São Paulo será outro estado dentro de quatro anos”, corroboru Henrique Meirelles .

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana