conecte-se conosco


BemRural

Brasil fecha safra 2018/2019 com recorde de 242,1 milhões de toneladas de grãos

Publicado

A safra de grãos 2018/2019 no Brasil terminou com uma produção recorde de 242,1 milhões de toneladas de grãos. De acordo com levantamento divulgado nesta terça-feira (10) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o crescimento será de 6,4% em comparação com a safra passada, impulsionado pelas culturas de algodão e milho. O recorde anterior foi registrado no período 2016/2017, de 237,6 milhões.

No caso do algodão, a pesquisa revelou um crescimento de 35,9% na produção, com volume estimado de 4,1 milhões de toneladas do caroço e 2,7 milhões de t do algodão em pluma. Entre os motivos estão a taxa de câmbio, a evolução dos preços e outros fatores, que levaram os produtores a expandir a área plantada, principalmente nos estados da Bahia e Mato Grosso. Com isso, a previsão de exportação da pluma também deverá superar a do ano passado em mais de 50%, alcançando pela primeira vez a marca de 1,5 milhão de toneladas.

Já com relação ao milho, a safra total chega a quase 100 milhões de toneladas. Houve aumento na segunda safra, com crescimento de 36,9% e previsão de produção recorde de 73,8 milhões de t, e queda na primeira safra, com 26,2 milhões de t, 2,3% menor que a anterior. No quadro de oferta e demanda da Conab, o produto mostra ainda uma expectativa de exportação recorde, de quase 35 milhões de toneladas.

O feijão apresentou bons resultados apenas na segunda e terceira safras, com aumento de 6,3% e 21,2% respectivamente. Mas não foi suficiente para garantir aumento no número total, que fechou 3% abaixo do ano anterior, com cerca de 3 milhões de toneladas nas três safras. Já no caso do arroz, a produção de 10,4 milhões de toneladas é 13,4% menor que a obtida em 2017/18, devido à redução de área e produtividade ocorridas nos principais estados produtores.

Leia mais:  Chuva será regular nesta safra em MT

A soja também sofreu redução de 3,6% na produção, atingindo 115 milhões de t. Houve, contudo, o crescimento na área de plantio em 2,1%. Com o fim da colheita próximo (restam apenas algumas áreas na Região Norte e Nordeste), e mesmo com o decréscimo no percentual, esta consolida-se como a segunda maior produção de soja na série histórica da Conab.

Segundo o secretário substituto de Política Agrícola, Wilson Vaz, esses resultados vão beneficiar a comercialização dos produtos e influenciar de forma positiva a safra 2019/2020:

“Pegamos também o acompanhamento do desempenho de crédito rural nesses dois primeiros meses da safra e eles são bons, em linha com o que a ministra estabeleceu como prioridade: prioridade aos pequenos e médios produtores e investimentos em infraestrutura produtiva. Tudo isso se confirmou nesses primeiros dois meses com aumento substancial no crédito para o médio produtor rural de 28%, 14% para o pequeno produtor”, diz.

Safra de inverno 2019

A produção de trigo está estimada em 5,4 milhões de t, com uma área de 2 milhões de hectares, 0,2% maior que em 2018. As demais culturas de inverno (aveia, canola, centeio, cevada e triticale) apresentam um leve aumento na área cultivada, passando de 546,5 mil ha na safra passada, para 564,8 mil ha.

*Com informações da Conab

Clique aqui para ouvir a matéria da Rádio Mapa

 Informações à imprensa


[email protected]

Leia mais:  Caixa disponibiliza R$ 1 bilhão para médio produtor rural

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
publicidade

BemRural

ETANOL/CEPEA: Com vendas elevadas nos postos, preço segue em alta no Centro Sul

Publicado

por

Cepea, 15/10/2019 – As elevadas vendas de etanol nos postos, em função do preço favorável ao hidratado frente à gasolina, seguem impulsionando os valores do biocombustível. Dados do Cepea mostram que, desde o início da temporada 2019/20, o preço do etanol hidratado tem registrado altas nos principais estados produtores (SP, GO, MS, MG e PR), exceto em Mato Grosso, onde a oferta aumentou devido à instalação de novas e grandes unidades focadas na produção de etanol a partir do milho. Do lado das usinas, mesmo que algumas tenham necessidade de venda para abrir espaço nos tanques, a maior parte não cedeu no preço de venda. Nesse cenário, os valores subiram. De 7 a 11 de outubro, o Indicador CEPEA/ESALQ do etanol hidratado fechou a R$ 1,8004/litro (sem ICMS e sem PIS/Cofins), alta de 1,8% em relação ao da semana anterior. O Indicador CEPEA/ESALQ do anidro foi de R$ 1,9652/litro (sem PIS/Cofins), aumento de 1,27% no mesmo período. O Indicador diário ESALQ/BM&Bovespa (etanol hidratado posto Paulínia) fechou em R$ 1.869,00/m3 (sem impostos) nessa segunda-feira, 14, alta de 0.78% frente à segunda anterior, 7. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA
Comentários Facebook
Leia mais:  Ministério estuda a implantação de polo de inovação agropecuária no Rio de Janeiro
Continue lendo

BemRural

AÇÚCAR/CEPEA: Procura diminui, mas oferta restrita sustenta valores

Publicado

por

Cepea, 15/10/2019 – Os preços médios do açúcar cristal continuam firmes no mercado spot paulista – ao longo da semana passada, o Indicador CEPEA/ESALQ (cor Icumsa de 130 a 180) seguiu na casa dos R$ 64,00/saca de 50 kg. Segundo pesquisadores do Cepea, o suporte vem da postura de agentes de usinas, que restringem as quantidades ofertadas, em especial para os tipos Icumsa até 180. A demanda, por sua vez, diminuiu. Assim, houve queda na liquidez, sendo que somente em casos pontuais foram captadas negociações envolvendo maiores quantidades. De 7 a 11 outubro, a média do Indicador CEPEA/ESALQ foi de R$ 64,79/saca de 50 kg, alta de 1,18% em relação à média registrada entre 30 de setembro e 4 de outubro, de R$ 64,03/sc. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

Fonte: CEPEA
Comentários Facebook
Leia mais:  Valor Bruto da Produção é de R$ 597,8 bilhões, ficando abaixo apenas de 2017
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana