conecte-se conosco


BemRural

Brasil deve fechar safra 2018/2019 com recorde de 242,1 milhões de toneladas de grãos

Publicado

A safra de grãos 2018/2019 no Brasil deve terminar com uma produção recorde de 242,1 milhões de toneladas de grãos. De acordo com estimativa divulgada nesta terça-feira pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o crescimento será de 6,4% em comparação com a safra passada, impulsionado pelas culturas de algodão e milho. O recorde anterior foi registrado no período 2016/2017, de 237,6 milhões.

No caso do algodão, a pesquisa realizada pela Conab revelou um crescimento de 35,9% na produção, com volume estimado de 4,1 milhões de toneladas do caroço e 2,7 milhões de t do algodão em pluma. Entre os motivos estão a taxa de câmbio, a evolução dos preços e outros fatores, que levaram os produtores a expandir a área plantada, principalmente nos estados da Bahia e Mato Grosso. Com isso, a previsão de exportação da pluma também deverá superar a do ano passado em mais de 50%, alcançando pela primeira vez a marca de 1,5 milhão de toneladas.

Já com relação ao milho, a safra total chega a quase 100 milhões de toneladas. Houve aumento na segunda safra, com crescimento de 36,9% e previsão de produção recorde de 73,8 milhões de t, e queda na primeira safra, com 26,2 milhões de t, 2,3% menor que a anterior. No quadro de oferta e demanda da Conab, o produto mostra ainda uma expectativa de exportação recorde, de quase 35 milhões de toneladas.

O feijão apresentou bons resultados apenas na segunda e terceira safras, com aumento de 6,3% e 21,2% respectivamente. Mas não foi suficiente para garantir aumento no número total, que fechou 3% abaixo do ano anterior, com cerca de 3 milhões de toneladas nas três safras. Já no caso do arroz, a produção de 10,4 milhões de toneladas é 13,4% menor que a obtida em 2017/18, devido à redução de área e produtividade ocorridas nos principais estados produtores.

Leia mais:  AÇÚCAR/CEPEA: Volume negociado melhora e preço se eleva novamente

A soja também sofreu redução de 3,6% na produção, atingindo 115 milhões de t. Houve, contudo, o crescimento na área de plantio em 2,1%. Com o fim da colheita próximo (restam apenas algumas áreas na Região Norte e Nordeste), e mesmo com o decréscimo no percentual, esta consolida-se como a segunda maior produção de soja na série histórica da Conab.

Segundo o secretário substituto de Política Agrícola, Wilson Vaz, esses resultados vão beneficiar a comercialização dos produtos e influenciar de forma positiva a safra 2019/2020:

“Pegamos também o acompanhamento do desempenho de crédito rural nesses dois primeiros meses da safra e eles são bons, em linha com o que a ministra estabeleceu como prioridade: prioridade aos pequenos e médios produtores e investimentos em infraestrutura produtiva. Tudo isso se confirmou nesses primeiros dois meses com aumento substancial no crédito para o médio produtor rural de 28%, 14% para o pequeno produtor”, diz.

Safra de inverno 2019

A produção de trigo está estimada em 5,4 milhões de t, com uma área de 2 milhões de hectares, 0,2% maior que em 2018. As demais culturas de inverno (aveia, canola, centeio, cevada e triticale) apresentam um leve aumento na área cultivada, passando de 546,5 mil ha na safra passada, para 564,8 mil ha.

*Com informações da Conab

 Informações à imprensa


[email protected]

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
publicidade

BemRural

Cepea e DSM lançam aplicativo para gestão do confinamento

Publicado

por

Clique aqui e baixe o release em word. 

 

Cepea, 16/09/2019 – A partir desta segunda-feira, 16, o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, em parceria com a Tortuga (marca da DSM de suplementos nutricionais para bovinos, equinos e pequenos ruminantes) passam a disponibilizar um aplicativo direcionado a pecuaristas que realizam confinamento. 

 

Trata-se do “Mais Arroba”, uma ferramenta que ajuda pecuaristas a melhorarem a gestão da produção em sistemas confinamento – o aplicativo já está disponível para download gratuito em sistemas Android e iOS. 

 

A equipe de especialistas da área de Ruminantes da DSM atuou para o desenvolvimento das informações zootécnicas disponíveis na ferramenta e as questões financeiras (custos, rentabilidade etc.) ficaram a cargo do time do Cepea. 

 

Simulador de dados zootécnicos, custos e rentabilidade do confinamento O aplicativo “Mais Arroba” é uma ferramenta completa de simulação para todos os fatores zootécnicos e econômicos/financeiros que influenciam os resultados do confinamento. A partir de dados inseridos pelos produtores, é possível simular os ganhos produtivos dos animais, os custos fixos e variáveis do confinamento (boi magro, dieta, sanidade etc.), a rentabilidade e a taxa de retorno mensal (em Reais), entre outros fatores. “O Mais Arroba busca dar o suporte para uma melhor decisão do confinador, auxiliando com informações precisas sobre os insumos necessários para a produção e principalmente calculando a rentabilidade da atividade, por meio de simulações e gestão de preços", conta Thiago Bernardino, pesquisador do Cepea.


 

Leia mais:  Estados Unidos mandarão equipe de inspeção ao Brasil para autorizar importação de carne in natura

ASSESSORIA DE IMPRENSA: Outras informações por meio da Comunicação Cepea: (19) 3429-8836 / 8837 e [email protected] 

Fonte: CEPEA
Comentários Facebook
Continue lendo

BemRural

Plantio da soja está liberado em MT a partir desta 2ª-feira

Publicado

por

Defesa Agrícola

Plantio da soja está liberado em MT a partir desta 2ª-feira

Vazio sanitário encerrou no domingo. Aprosoja-MT espera regularização das chuvas

16/09/2019

A partir desta segunda-feira (16), o plantio de soja em Mato Grosso está permitido. O período do vazio sanitário, iniciado em 15 de junho, encerrou no domingo. A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) reforça a informação com seus associados e espera que haja a regularização das chuvas no Estado.

De acordo com o gerente de Defesa Agrícola da Aprosoja-MT, Daniel Pasculli, o plantio não deve começar massivamente após o final do vazio Ssnitário. “O tempo ainda está seco na maioria das regiões do Estado e é preciso aguardar a regularização das chuvas”, disse.

Pasculli reforoua que os agricultores precisam se ater, no início da safra, à qualidade das sementes que estão chegando às propriedades rurais. “As condições de transporte e armazenagem das sementes na fazenda são fundamentais para manter a qualidade até a hora da semeadura”, afirma.


A Aprosoja desenvolve o programa Semente Forte, que tem o objetivo de coletar sementes, dentro das especificações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), para fazer um levantamento de qualidade do insumo que está chegando na propriedade e, também, fazer uma orientação de como deve ser armazenada. O produtor rural que quiser entender mais sobre o programa pode entrar em contato com a gerência de Defesa Agrícola, pelo e-mail [email protected]

Leia mais:  AÇÚCAR/CEPEA: Volume negociado melhora e preço se eleva novamente

 

 

Fonte: Ascom/Aprosoja-MT

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana