conecte-se conosco


Política Nacional

Bolsonaro embarca nesta quinta-feira para visita oficial à Índia

Publicado

source
Bolsonaro arrow-options
Alan Santos/PR

Presidente vai participar das celebrações do Dia da República

O presidente Jair Bolsonaro embarca, na manhã desta quinta-feira(23), para a Índia, onde é convidado especial para as celebrações do Dia da República, no próximo domingo (26). A viagem deve incluir a assinatura de pelo menos dez acordos bilaterais , em áreas como segurança cibernética, bioenergia e saúde. A previsão é que o avião presidencial chegue a Nova Delhi por volta das 16h desta sexta-feira (24), horário local, sem compromissos oficiais previstos.

Leia também: Cabra com ‘cara humana’ nasce na Índia e é reverenciada como ‘avatar de Deus’

No dia seguinte (25), o presidente brasileiro cumpre agenda com protocolo de visita de Estado, que inclui reuniões com o presidente indiano, Ram Nath Kovind, e o primeiro-ministro e chefe de governo do país Narendra Modi, para assinatura de acordos entre os dois países, além de uma declaração à imprensa. Também está programada, no mesmo dia, uma visita ao Memorial em homenagem ao pacifista indiano Mahatma Gandhi. No domingo (26), Bolsonaro participará das comemorações do Dia da República da Índia.

No dia 27, também em Nova Delhi, Bolsonaro participa de café da manhã com empresários indianos para apresentar oportunidades de negócios no Brasil, com foco em investimentos no setor de infraestrutura. Depois, haverá um seminário entre empresários dos dois países. Na sequência, a comitiva brasileira embarca para Agra, cidade que abriga o famoso mausoléu Taj Mahal, um dos principais monumentos da Índia. Será o último compromisso oficial de Bolsonaro no país asiático. Depois disso, ele embarca de volta ao Brasil, onde deve chegar na terça-feira (28), ainda sem previsão de horário. .

A comitiva de Bolsonaro é formada pelos ministros Ernesto Araújo (Relações Exteriores), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Teresa Cristina (Agricultura), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional). O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, o secretário da Pesca, Jorge Seif, o senador Luiz Carlos Heinze (PP-RS), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (Sem Partido-SP) e o deputado federal Filipe Barros (Sem Partido-PR) também acompanham o presidente.

Vistos

Apesar de o governo trabalhar nesse sentido, Bolsonaro não deve anunciar durante a viagem a isenção de visto de entrada para turistas indianos. Isso porque ainda estão em andamento estudos que permitam viabilizar a medida, segundo o governo.

Leia também: Guedes diz que Reino Unido quer acordo de livre comércio urgente com Brasil

No ano passado, o Brasil isentou de visto de entrada os turistas provenientes de Japão, da Austrália, do Canadá e dos Estados Unidos. A medida foi tomada sem que houvesse reciprocidade desses países em relação aos turistas brasileiros.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook

Política Nacional

“É o momento da igreja ocupar a nação”, diz Damares Alves

Publicado

por

source
Damares Alves Igreja arrow-options
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

Damares Alves

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, disse que “é o momento da igreja ocupar a nação” em entrevista ao veículo jornalístico Deutsche Welle (DW). Ela, que é pastora evangélica, defendeu o papel social das igrejas de sua religião no Brasil.

Leia também: Damares diz que carnaval desrespeita fé cristã e promete ações governamentais

“Temos falta de casas de abrigo para mulheres vítimas de violência . Por que essas igrejas não fazem uma parceria conosco, cedendo o seu espaço físico para abrigar essas mulheres?”, perguntou Damares , afirmando que a igreja pode colaborar para transformar a nação. A ministra também levando essa lógica para situação da vinda de refugiados da Venezuela para o Brasil: “se cada igreja trouxesse um venezuelano e cuidasse, nós resolveríamos o problema da fronteira”.

Durante a entrevista, a pastora responsável pelo Ministério dos Direitos Humanos também criticou a esquerda. “Se você observar, quem está fazendo essas denúncias genéricas [de direitos humanos] é a esquerda. Eu acho que só pelo fato de ser a esquerda que está denunciando, já poderíamos desconfiar que tem alguma coisa errada”.

Leia também: Para Damares, governo Bolsonaro herdou um páis devastado pela corrupção

Damares ainda defendeu sua campanha sobre prevenção da gravidez na adolescência por meio de abstinência sexual, em vez de métodos contraceptivos – muitas igrejas são contra esses métodos. Mas ela afirmou que “eu teria que ir para a cadeia ou para um hospício se eu dissesse que vou combater a gravidez precoce apenas com a abstinência.”

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Feliciano defende Bolsonaro e diz que estão armando “narrativa golpista”

Publicado

por

source
Jair Bolsonaro e Marco Feliciano arrow-options
Carolina Antunes/PR – 27.8.19

Jair Bolsonaro e Marco Feliciano

O deputado federal Marco Feliciano (sem partido) defendeu Jair Bolsonaro (sem partido) após o presidente ter compartilhado, em seu WhatsApp nesta terça-feira (25), um vídeo convocando a população a participar de uma manifestação contra o Congresso e o Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia também: PSL critica Bolsonaro e apoia sociedade a “se erguer contra trama autoritária”

“O presidente nada fez a não ser compartilhar com um grupo privado de amigos. Ele não publicou em suas redes sociais, portanto, não convocou!”, afirmou Feliciano à coluna da Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo

Feliciano afirma que o Congresso precisa “parar de tentar reescrever a Constituição via projeto de lei” e respeitar os limites das instituições. O deputado defende que se a Câmara e o Senado querem decidir o orçamento de recursos públicos eles estão atentando contra a separação dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Recentemente, o ministro Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) de Bolsonaro, afirmou que a Câmara dos Deputados estaria fazendo chantagem por querer ser responsável por parte do orçamento. 

“Diante disso, [é] natural que os apoiadores do presidente saiam às ruas para protestar contra aquilo que acham errado”. Na visão de Feliciano, a manifestação compartilhada por Bolsonaro não é contra o Congresso ou o STF, mas uma forma da população se posicionar contra a maneira que essas instituições têm agido – ao não apoiarem o presidente.

Leia também:”Tentativa rasteira de tumultuar República”, diz Bolsonaro sobre vídeo

Marco Feliciano acredita que as críticas a Bolsonaro sejam uma “narrativa golpista” contra o presidente. “Querem paz? Que comecem então a ter responsabilidade e parem de atacar as instituições republicanas”, afirmou o deputado.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana