conecte-se conosco


Política Nacional

Bolsonaro desembarca em Brasília após quatro dias no Guarujá

Publicado

IstoÉ

jair bolsonaro arrow-options
Alan Santos/PR

Bolsonaro voltou das férias no Guarujá, em São Paulo, nesta segunda-feira (13).

O presidente Jair Bolsonaro desembarcou, na tarde de nesta segunda-feira (13), em Brasília, após passar quatro dias descansando no Guarujá , litoral paulista. Ao chegar na portaria do Palácio do Alvorada, como costuma fazer, o presidente desceu do carro para falar com turistas, inclusive um grupo de franceses que o aguardava.

Leia mais: Brasil reinaugura estação de pesquisa na Antártica nesta terça-feira

Em visita à capital do país, os franceses haviam chegado um pouco antes para conhecer o Alvorada. Ao serem informados que Bolsonaro antecipou o retorno e estava a caminho do local, eles decidiram permanecer para conhecê-lo.

Numa breve conversa, de acordo com o guia Juan Hermida, que acompanhava os turistas estrangeiros, o presidente perguntou como está a França e eles citaram a greve geral no país contra a reforma da Previdência . Eles também trocaram cumprimentos e tiraram fotos.

Leia também: Feminismo quer “tirar direito da mulher de ser assediada”, diz deputado do PSL

Bolsonaro deve permanecer o resto do dia no Palácio do Alvorada . Na agenda oficial, não consta nenhum compromisso. Amanhã (14), o presidente comanda a primeira reunião ministerial de 2020.

Comentários Facebook

Política Nacional

Covid-19: Presidência da República registra 108 casos entre servidores

Publicado

por


source
planalto
Divulgação/SGPR

Segundo governo, número representa 3,8% dos servidores do órgão


A Secretaria-Geral da Presidência da República informou, nesta terça-feira (7), por meio de nota, que 108 servidores da Presidência foram diagnosticados com a Covid-19 . O número representa 3,8% dos quase 3,4 mil funcionários que atuam no órgão. A maior parte desses trabalhadores atua no Palácio do Planalto , sede do Poder Executivo federal.


“Não houve mortes e mais de 90% desses casos foram assintomáticos ou apresentaram apenas sintomas leves”, informa a nota da Secretaria-Geral. Ao todo, 77 servidores já estão recuperado s e 31 casos seguem em acompanhamento . A atualização foi feita, segundo governo, no último dia 3 de julho.

A Presidência também informou, na nota, que tem repassado orientações médicas relacionadas ao combate ao novo coronavírus aos servidores que atuam no órgão e que adotou rodízio entre funcionários da casa, além de ter implementado trabalho remoto para os grupos mais vulneráveis.

“Com a aquisição adicional de dispenser para álcool em gel para todas as dependências do Palácio do Planalto, seus Anexos e adjacências, para assepsia de servidores, colaboradores e visitantes, temos hoje 494 unidades estrategicamente distribuídas. Também foram intensificados os procedimentos de limpeza das áreas comuns, especialmente dos banheiros e das salas dos servidores, mediante a utilização de produtos à base de cloro e álcool, os quais contaram com o aporte de equipamentos tecnológicos de última geração, a exemplo de lavadoras sanitizadoras e secadoras especiais para carpete, que possibilitam maior aproveitamento dos insumos de higienização, bem como a redução da intervenção humana no processo de limpeza”, diz a nota.

A Secretaria-Geral acrescentou não há orientação para o afastamento de funcionários que tenham tido contato com pessoas com a Covid-19, a não ser que apresentem sintomas de uma possível infecção.

“Não há protocolo médico, seja do Ministério da Saúde ou da OMS [Organização Mundial da Saúde], que recomende medida de isolamento pelo simples contato com casos positivos. A orientação que damos aos servidores é procurar assistência médica quando apresentarem sintomas relacionados à Covid-19, para avaliar necessidade de testagem. Nos casos considerados suspeitos, os servidores são orientados a ficar em casa até o resultado do exame”.

Ainda de acordo com a nota, não há previsão ou orientação para o r etorno dos servidores que estão em trabalho remoto e a Presidência da República seguirá as normas previstas na Instrução Normativa nº 19, do Ministério da Economia, que regulamentou as medidas proteção em órgãos públicos federais.

Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Bolsonaro encontrou ao menos 36 pessoas desde sexta, quando já poderia ter vírus

Publicado

por


source

BBC News Brasil

Bolsonaro em frente a mesa em que churrasqueira serve carne, em área aberta e arborizada

Isac Nóbrega/PR
Bolsonaro em evento comemorativo pela independência americana no último dia 4; presidente afirmou que começou a sentir sintomas da covid-19 no domingo


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) esteve com pelo menos 36 pessoas desde esta sexta-feira (03). Como o tempo de incubação do vírus é de pelo menos dois dias antes dos sintomas, os quais Bolsonaro disse terem começado a manifestar no domingo (05), é provável que ele já estivesse  contaminado com o SARS-CoV-2 ao menos desde o último dia útil da semana passada.

Desde aquela sexta, o presidente cumpriu uma agenda extensa: reuniu-se com um grupo de empresários; sobrevoou áreas do Estado de Santa Catarina afetadas pelo ciclone-bomba; almoçou na casa do embaixador americano em Brasília e se reuniu com ministros.

A conta de 36 pessoas não inclui servidores públicos da equipe da Presidência, jornalistas, garçons e membros do público — como os apoiadores do presidente que geralmente o cumprimentam em frente ao Palácio da Alvorada. Essas pessoas não foram incluídas na conta pela dificuldade de identificá-las formalmente. Se fossem incluídas no levantamento, o número seria bem maior.

O levantamento da BBC leva em conta eventos oficiais, registrados na agenda de Bolsonaro, e também os registros fotográficos dos compromissos do presidente, feitos pela equipe do Planalto.

Muitas das pessoas que estiveram de fato próximas ao presidente não foram registradas na agenda oficial: é o caso, por exemplo, de ao menos 12 empresários que foram levados por Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias paulista, para um encontro com o presidente na sexta-feira. A agenda também omite o nome da mulher do embaixador americano Todd Chapman, Janetta; entre outras pessoas.

Além disso, Bolsonaro encontrou-se com pessoas fora da agenda: na segunda-feira (06), por exemplo, ele recebeu para um almoço o líder do governo na Câmara dos Deputados, o Major Vitor Hugo (PSL-GO).

No começo da noite de segunda, o presidente foi ao Hospital das Forças Armadas (HFA) em Brasília para fazer exames, e disse a apoiadores que estava com os sintomas da covid-19. Ele cancelou a agenda para o restante da semana — mas cumpriu suas atividades naquele dia.

Pelo que se sabe até o momento, o tempo de incubação do vírus varia de 2 a 14 dias — esse é o tempo que a pessoa contaminada leva para começar a manifestar os primeiros sintomas da doença. A média do tempo de incubação é de cinco dias a seis dias, segundo estimativa do Centro de Controle de Doenças (CDC) dos Estados Unidos.

Há também um debate na comunidade científica sobre a forma de transmissão do vírus. Os estudos disponíveis até agora sugerem, no entanto, que pessoas pré-sintomáticas já espalham a doença. Isto é, as pessoas começam a transmitir o SARS-CoV-2 antes de os sintomas aparecerem.

Um estudo elaborado por uma equipe chinesa e publicado em meados de abril na revista Nature Medicine estimou que algo como a metade das transmissões da covid-19 acontece antes de os sintomas da doença aparecerem.

Ministros, empresários e um senador: quem está na lista

De máscara, presidente posa para foto rodeado por operadores de voo em pátio de decolagem

Isac Nóbrega/PR
Presidente sobrevoou Santa Catarina no fim de semana


Desde sexta-feira, o presidente Jair Bolsonaro recebeu vários ministros de seu núcleo mais próximo.

Na sexta-feira, por exemplo, participaram do encontro com Paulo Skaf e empresários os ministros Braga Netto (Casa Civil), Paulo Guedes (Economia), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral da Presidência); e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo).

Na segunda, Bolsonaro recebeu o presidente Inmetro, Marcos Heleno Guerson de Oliveira Junior; o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), o general da reserva Augusto Heleno; e o advogado-geral da União, José Levi Mello do Amaral Júnior.

Agora, tanto Levi quanto outros ministros que estiveram com Bolsonaro estão fazendo testes para o novo coronavírus.

Braga Netto, Luiz Eduardo Ramos e Jorge Oliveira fizeram testes rápidos para a covid na manhã desta terça-feira, e tiveram resultados negativos. Os ministros decidiram manter suas atividades normais ao longo desta terça-feira (07).

Além de ministros, Bolsonaro também se encontrou com várias pessoas de fora do governo ao longo dos últimos dias.

No sábado, por exemplo, o presidente voou a Santa Catarina para visitar áreas atingidas por um ciclone-bomba no Estado. Chegando lá, encontrou-se com o senador Esperidião Amin (PP), líder do bloco do PP-MDB-Republicanos no Senado, e outras pessoas.

Em Santa Catarina, Bolsonaro também participou de uma entrevista a jornalistas com outras autoridades, em uma sala de dimensões reduzidas — estavam do lado dele a vice-governadora de Santa Catarina, Daniela Reinehr, acompanhada de uma criança; o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho; e o secretário nacional de Defesa Civil, Alexandre Lucas Alves.

No sábado, Bolsonaro também almoçou na residência do embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman. Além do embaixador e de sua mulher, participaram do encontro o filho do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP); e o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, entre outros.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana