conecte-se conosco


Economia

Black Friday? Que nada! Leilão da receita tem PS4 a R$ 500 e iPhone por R$ 800

Publicado

bicicletas arrow-options
Receita Federal / Divulgação

Material apreendido no aeroporto de Guarulhos vai para leilão antes da Black Friday

Um dia antes da agurdada sexta-feira (29) da Black Friday, a Receita Federal começa a receber propostas para o leilão eletrônico de 210 lotes de produtos apreendidos pela alfâdega do Aeroporto Internacional de Guarulhos. 

Quem se planejou para comprar computadores, celulares, video games, instrumentos musicias, bicicletas e acessórios e bebidas deve avaliar os lances mínimos divulgados pela Receita Federal neste link .  Algumas ofertas podem deixar a Black Friday 2019 para trás.

Consumidores terão dicas sobre a Black Friday no metrô de São Paulo; veja locais

 O leilão está aberto para pessoas físicas e jurídicas. As propostas podem ser feitas a partir das 8h da quinta-feira (28) até às 20h do dia 2 de dezembro. O leilão eletrônico está previsto para acontecer no dia 3 de dezembro , às 11h. 

Os lotes estão disponíveis para a visitação dos interessados no depósito da Alfândega do aeroporto internacional de Guarulhos (Rodovia Hélio Smidt, s/nº, Armazém de Perdimento) localizado ao lado esquerdo do Terminal 1. As visitas podem ser feitas a partir desta terça-feira (26) até a próxima quinta (28), nos horários das 9h às 11h30 e das 13h30 às 16h.

teclados e garrafas arrow-options
Receita Federal / Divulgação

Vários produtos, de bebidas a instrumentos musicais, estão disponíveis no leilão da Receita Federal

Entre as ofertas, algumas são bem chamativas como várias unidades do console PlayStation 4 (PS4) por R$ 500. Os aparelhos celulares da marca Apple também contam com boas ofertas como um iPhone 7 por R$ 800. Um dos lotes também traz um iPhone Xr e uma câmera GoPro Hero 6 black por R$ 1.500.

Além de eletrônicos

Quem curte instrumentos musiciais podem encontrar boas oportunidades no leilão. Uma guitarra semi-acústica Gibson ES 345 mais um pedal Friedman Sir têm uma lance mínimo de R$ 1.500. Já um saxofone Yamaha YAS-275 pode sair pelo valor mínimo de R$ 1.000. 

Black Friday: 6 dicas de especialistas para aproveitar a promoção com segurança

Entre as bicicletas , os valores dos lotes, que muitas vezes incluem também acessórios para a bike vão de R$ 500 a R$ 7.500. Este último inclui uma bicicleta elétrica Levo FSR.

Outros lotes incluem bebidas, perfumes, máquinas fotográficas , Ipads, equipamentos de som e até lotes com duas unidades de parapentes com lance mínimo de R$ 7.000.


Comentários Facebook

Economia

Prazo para sacar abono PIS/Pasep do calendário 2019/2020 termina nesta sexta

Publicado

por


source

Agência Brasil

abono salarial pis
Reprodução

Abono salarial do PIS é pago pela Caixa, enquanto o Pasep, para servidores públicos, é pago pelo Banco do Brasil

O prazo para o saque do abono salarial 2019/2020 do Programa de Integração Social (PIS) e o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) termina nesta sexta-feira (29).

Leia também: Próximas parcelas do auxílio podem ser cortadas? Entenda a reanálise de cadastro

Inicialmente, esse prazo era 30 de junho, mas uma resolução do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) definiu a nova data e estabeleceu o calendário 2020/2021.

O calendário de pagamento de 2020/2021 tem início em 30 de junho de 2020 e término em 30 de junho de 2021. No caso do abono salarial do PIS , o pagamento é feito pela Caixa Econômica Federal a trabalhadores da iniciativa privada, considerando o mês de nascimento do trabalhador.

O pagamento do abono salarial do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público ( Pasep ) é feito pelo Banco do Brasil, de acordo com o dígito final do número de inscrição do servidor público.

Os trabalhadores com conta na Caixa, no caso do PIS, ou no Banco do Brasil, para o Pasep, recebem o crédito automaticamente.

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Bolsonaro minimiza regulação de combate a trabalho análogo ao escravo em live

Publicado

por


source
Bolsonaro
Reprodução YouTube

Em live, Bolsonaro fez alusão a trabalho escravo

Durante transmissão ao vivo na noite desta quinta-feira (28), o presidente Jair Bolsonaro minimizou as regras de combate a trabalho análogo ao escravo. Citando como exemplo trabalhadores rurais, Bolsonaro defendeu que haja desregulamentações de normas relativas a direitos trabalhistas.

“Vale a pena comentar que lá no setor do Ceará, pessoal cortando folha de carnaúba, (…) o cara chegou lá multou por exemplo R$ 10 mil, R$ 15 mil de multa no cara que era dono da propriedade e tinha um pessoal subindo na palmeira e cortando folha de carnaúba, multou porque não tinha banheiro químico. Foram 12 multas. Com todo respeito, fui criado em fazenda e acho que todo mundo aqui já andou pelo mato. Para você fazer uma necessidade fisiológica ali… Eu sei, tá errado, tá errado, tudo bem. Mas o cara não vai… 50 graus a temperatura, o cara subindo e descendo num coqueiro, o cara ‘cadê um banheiro químico?’, andar 200 metros, entrar naquele forno e fazer xixi ou fazer o sólido lá dentro”, disse Bolsonaro.

No mesmo exemplo citado, Bolsonaro criticou normas de utilização de equipamentos de proteção. “Foi lá também um local de comida, um pauzinho lá, foi feita uma mesa rústica. Não estava de acordo com a norma: outra multa. Ponto eletrônico, ficha de controle de… o uniforme do cara, o cara tinha que ter bota. O cara não vai subir num coqueiro de bota, po. Não vai subir num coqueiro de capacete, não vai, po. Então essas questões todas que a gente busca melhorar, facilitar, para que estimule quem queira dar emprego.”

Antes, Bolsonaro citou o Ministério do Desenvolvimento Regional e disse que houve desregulamentação de normas trabalhistas. “Tinha 3 mil normas ou 4 mil, e passou para 600”, disse.

Privatizações

Na mesma live, Bolsonaro afirmou que defende a privatização de estatais, com destaque para os Correios, mas descartou outras como Caixa e Banco do Brasil. “Se você doasse já seria lucrativo, porque não teria que aportar recurso público”, disse ele sobre a venda de empresas públicas.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana