conecte-se conosco



Esportes

Bicampeão da NFL é condenado a oito anos de prisão por tentativa de matar ex

Publicado


Brandon Browner foi campeão da NFL em 2014 e 2015
Reprodução / Getty Images

Brandon Browner foi campeão da NFL em 2014 e 2015

O ex-jogador da NFL Brandon Browner foi condenado a oito anos de prisão por tentativa de homicído ocorrida no dia 08 julho deste ano contra sua ex-namorada, na casa dela, localizada no sul da Califórnia.

Leia também: Jogadores da NFL fantasiados de traficante de drogas e usuário causam polêmica

O bicampeão da NFL com o  Seattle Seahawks em 2014 e com o New England Patriots em 2015 está preso há cinco meses após ter agredido a garota na presença de crianças, que seriam filhas do ex-atleta.

Leia também: Ex-jogador da NFL deixa a prisão após 18 anos e quer perdão do filho. Entenda

Além da agressão contra sua ex-namorada, Brandon Browner é acusado de ter invadido a casa dela, ameaçado matá-la e ter roubado um relógio da marca Rolex, avaliado em US$ 20 mil (R$ 77,37 mil). O ex-jogador fugiu do local, mas foi localizado e detido a cerca de 50 km da residência.

A prisão não foi a primeira na vida do ex-cornerback, que já teve que responder por violência doméstica e tinha uma prdem de restrição que o proibia de se aproximar da ex-namorada.

Leia também: Ex-jogador da NFL é preso por ter relações sexuais com garota de apenas 12 anos

Em 2014, Browner foi campeão com o Seattle Seahawks, fazendo parte da grande defesa que ficou conhecida como “Legion of Boom”. No ano seguinte, defendeu os Patriots e conquistou o título contra sua antiga equipe. O último contrato do cornerback na NFL co justamente com o Seahawks, após breve passagem pelo New Orleans Saints.

Comentários Facebook
Leia mais:  IML conclui que Daniel morreu degolado e pênis segue “guardado” para contraprova
publicidade

Esportes

Assassino confesso do jogador Daniel recebeu conselhos de policial afastado

Publicado

por

Áudios vazados do WhatsApp e divulgados pela RICTV Curitiba indicam que Edison Brittes Junior, conhecido como Juninho Riqueza, pediu conselhos para o policial civil Edenir Canton, o Gaúcho, que está afastado de seu cargo, antes de confessar ter matado o jogador Daniel Corrêa, em 27 de outubro.

Leia também: Jovem que ficou com Daniel cozinhou strogonoff para assassino após crime


O jogador Daniel Corrêa foi assassinado no dia 27 de outubro
Erico Leonan/São Paulo FC

O jogador Daniel Corrêa foi assassinado no dia 27 de outubro

Em um dos áudios, Canton aconselha a não contratação de Cláudio Dalledone, atual advogado de Juninho, e indica outra pessoa. Antes, o assassino confesso de Daniel afirmou que recebeu a indicação de Gaúcho para contratar um defensor.

“Juninho, sou eu, o Gaúcho. Não vai atrás do Dalledone. Vem aqui. Não vai atrás do Dalledone, senão você vai tomar no c*. Passa aqui que temos que montar uma estratégia técnica, senão o Dalledone só fica na conversa, te prende e você está f***”, disse o policial.

Posteriormente a isso, Edison Brittes enviou mensagens de voz para o advogado Rafael Pellizzetti, dizendo que Canton o havia indicado. Pellizzetti é quem defende o policial em caso de homicídio que aconteceu em 2015 e o afastou do cargo. O caso corre em segredo de Justiça, em Araucária, no Paraná.

Leia também: Em vídeo, mãe de Daniel pede justiça e “punição no maior rigor da lei”

Leia mais:  Gabigol, Djokovic, Dedé: os esportistas que deram a volta por cima em 2018

“Boa tarde, Pellizetti. Tudo bem? Juninho, indicado do Gaúcho, Edenir Canton . Posso ligar pra você?”, afirmou Juninho. “Doutor, eu preferia encontrar o senhor pessoalmente na hora que o senhor se livrar aí, pode ser?”, acrescentou na sequência.

Vale ressaltar que investigações já haviam mostrado que Brittes e Canton se conheciam anteriormente. O carro Veloster preto que Juninho utilizou no dia da morte de Daniel, por exemplo, já pertenceu ao policial. Canton não é investigado no caso Daniel, mas as gravações mostram a proximidade entre os dois.

O processo ao qual Edenir Canton responde é datado de 28 de abril de 2015, quando Ricardo Geffer foi morto após uma abordagem policial onde o delegado Rubens Recalcatti, que se tornou deputado estadual e já posou em fotos ao lado da família de Brittes, atuava.

Recalcatti e Canton são acusados do assassinato de Geffer ao lado de outros seis policiais. A vítima era suspeita de ter matado João Dirceu Nazzari, ex-prefeito do Rio Branco do Sul, região metropolitana de Curitiba, em 12 de abril de 2015. O caso atualmente está no Tribunal de Justiça do Paraná e pode passar para o STJ, pois um dos acusados é deputado.

Leia também: Justiça aceita denúncia contra acusados pela morte do jogador Daniel

O advogado Claudio Dalledone, que defende a família Brittes no caso Daniel , o qual Edison confessou ter cometido o homicídio, também defende Recalcatti no caso Geffer. Além de Juninho, outras cinco pessoas estão presas acusadas de participação na morte do jogador.

Leia mais:  Uefa anuncia criação da “Liga Europa 2”, terceira competição europeia de clubes

Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Milan é punido pela Uefa por descumprir o fair play financeiro

Publicado

por

A Uefa anunciou nesta sexta-feira as punições ao Milan por não ter cumprido as regras do fair play financeiro da entidade. Entre as sanções, o clube rossonero não irá receber os 12 milhões de euros (cerca de R$ 53 milhões, na cotação atual) em receitas por ter participado da Liga Europa.

Leia também: Cristiano Ronaldo assumirá crimes fiscais cometidos em sua passagem pelo Real


Gattuso é o atual técnico do Milan e pode ser prejudicado com as punições aplicadas pela Uefa
Divulgação/ACMilan

Gattuso é o atual técnico do Milan e pode ser prejudicado com as punições aplicadas pela Uefa

Além disso, pelas próximas duas temporadas, o Milan não poderá inscrever mais de 21 jogadores para participarem de competições da Uefa, isto é, Liga Europa e Liga dos Campeões.

A entidade que rege o futebol europeu também determinou que o clube de Milão tem até o dia 30 de junho de 2021 para corrigir sua situação financeira. Caso contrário, a agremiação não poderá disputar nenhum campeonato organizado pela a Uefa nas temporadas 2022/2023 e 2023/2024.

Leia também: Neymar brilhando e goiano campeão mundial: o 2018 do poker brasileiro

Na janela de transferências da temporada passada, a agremiação rossonera gastou mais de 200 milhões de euros (R$ 880 milhões) em novas contratações. A gastança despertou a desconfiança da Uefa , alegando que as operações do clube foram “suspeitas”. Na ocasião, o clube italiano precisou pedir um empréstimo ao fundo de investimentos norte-americano Elliot.

Leia mais:  Em sua despedida da F1, Fernando Alonso ganha carro especial da McLaren

Uma das contratações do Milan nesta temporada foi Higuaín

Leia também: Escândalos sexuais estão entre as polêmicas do esporte em 2018. Veja outras

Além do revés nos tribunais, o Milan também sofreu uma dura derrota nesta quinta-feira (13) em campo. O escrete rossonero perdeu por 3 a 1 para o Olympiacos, da Grécia, e foi eliminado ainda na fase de grupos da Liga Europa.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana