conecte-se conosco


Mato Grosso

Barreira da PM impede fuga de suspeitos de arrastão em bar

Publicado

A Polícia Militar de Várzea Grande prendeu seis pessoas na madrugada deste sábado (20.04), cinco delas suspeitas de fazer um arrastão em um bar na Cohab Cristo Rei. Foram apreendidas duas armas de fogo e um veículo.

Os suspeitos A.C.M.C. (20), O.J.C. (42), A.A.A. (22), A.N.N.F. (21) e L.G.S. (24) foram presos em uma barreira policial da PM na Rodovia Mário Andreazza.

O grupo conduzia um carro Fiat Uno em alta velocidade, tentando fugir do cerco policial, um deles de dentro do veículo efetuou disparou contra a guarnição, mas acabaram sendo presos.

No interior do carro, os policiais encontraram jóias, celulares e carteiras. Em diligência à residência do suspeito A.A.A., no bairro Jequitibá, a polícia se deparou com G.F.M.S. (25) em posse de uma espingarda calibre 32 com seis munições.

Já na casa do suspeito L.G.S. (24) foi apreendida uma porção grande de maconha, um revólver calibre 38 e outros materiais utilizados para a comercialização de entorpecentes, como ácido bórico, acetona e uma balança de precisão.

Todos os envolvidos foram encaminhados à delegacia. Cinco dos seis suspeitos presos, foram reconhecidos pelas vítimas do roubo ao bar localizado na Cohab Cristo Rei.

Os objetos apreendidos  no veículo foram também foram devolvidos às vítimas do roubo.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Leia mais:  Reforma é ampla e nós precisamos dela para não quebrar o país, afirma governador
publicidade

BemRural

PM recupera duas caminhonetes roubadas, prende dois e apreende defensivos agrícolas

Publicado

Em  Sorriso, policiais da Força Tática e do 12º Batalhão de Polícia Militar prenderam dois suspeitos, recuperaram duas caminhonetes roubadas e apreenderam grande quantidade de agrotóxicos e defensivos em uma propriedade rural no Distrito de São Luiz Gonzaga, localizada na MT-404, a 75 quilômetros da sede do município.

Foto:PMMT

Na fazenda ocorreu a prisão de J.D.R (25 anos) e a apreensão de dezenas de caixas de agrotóxico que teriam sido contrabandeadas do Paraguai, além das duas caminhonetes, uma modelo Fiat Toro e uma Chevrolet S10, uma com queixa de roubo e outra com o chassi adulterado. Lá também havia duas armas de fogo, um revólver calibre 22 e uma espingarda 28.

Essa fazenda teria sido arrendada por E.S.G.(47), suspeito de ser o dono dos produtos apreendidos. Na casa dele, na cidade de Sorriso, os policiais prenderam a suspeita k.C.G.(20 anos), que seria sua filha, e apreenderam diversas caixas de defensivos agrícolas. No caso da fazenda, os produtos apreendidos estavam em um galpão ao lado da moradia, local construído supostamente com a finalidade específica de armazenar defensivos e agrotóxicos.

A ação aconteceu na sexta-feira (17), a PM utilizou Drone para monitoramento da área onde ocorreriam as abordagens, exigiu trabalho de mais de 10 horas e empregou 9 policiais militares sob tenente-coronel Jorge Luiz de Almeida, comandante do 12º Batalhão.

E.S.G. (47), suposto arrendatário da fazenda e dono dos produtos apreendidos, ainda não foi preso.

Leia mais:  Homem morre afogado após cair de moto aquática em lago no município de Jucimeira

 

 

 

Fonte: Secom

Comentários Facebook
Continue lendo

Jurídico

Desembargador que vendia sentenças em MT deixará a prisão após 7 meses

Publicado

A Justiça concedeu a progressão para o regime semiaberto para o desembargador aposentado compulsoriamente, Evandro Stábile, que desde o ano passado, está preso em Cuiabá. Stábile foi condenado a seis anos de reclusão em regime inicialmente fechado, por aceitar e cobrar propina em troca de decisão judicial, quando atuava no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em Mato Grosso.

A decisão de progredir a pena é do juiz Geraldo Fidelis, da Segunda Vara Criminal, que deve estabelecer medidas cautelares, como colocação de tornozeleira eletrônica, para que o desembargador deixe a cadeia. Evandro deve passar por audiência nesta segunda-feira (20), conforme informações divulgadas pelo portal Midia News.

O crime de corrupção passiva foi descoberto no curso das investigações da operação Asafe, na qual a Polícia Federal apurou um esquema de venda de sentenças. Na época da condenação, em 2015, a relatora da ação penal, ministra Nancy Andrighi, apontou que o desembargador aceitou e cobrou propina para manter a prefeita de Alto Paraguai no cargo. Ela perdeu as eleições, mas o vencedor teve o mandato cassado por suposto abuso de poder econômico.

O desembargador aposentado está preso desde o mês de setembro de 2018, por determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Foi a segunda vez que Stábile acabou atrás das grades. A primeira foi em abril de 2016, quando o desembargador se entregou acompanhado de advogados, em cumprimento ao mandado de prisão expedido pela ministra Nancy.

Leia mais:  PM leva palestra sobre violência contra a mulher para trabalhadores de empresas

Evandro Stábile foi afastado de suas funções da magistratura em dezembro de 2010 e depois, em junho de 2016 foi punido pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso com a aposentadoria compulsória. O que inclui o recebimento de salário proporcional ao tempo de serviço de 51 anos, 1 mês e 21 dias. Na época da aposentadoria, o salário que o magistrado continuaria a receber correspondia a R$ 38 mil.

 

 

 

 

Fonte:Só Notícias

 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana