conecte-se conosco


Entretenimento

Autora de “After” espera que filme ajude jovens mulheres a assumir sexualidade

Publicado

 “Fallen” (2016), “Dezesseis Luas” (2013) e “Se Eu Ficar” (2014) são produções que miram o público infanto-juvenil e que tentaram reproduzir o grande fenômeno cultural que foi “Crepúsculo”. A série cinematográfica adaptada da obra de Stephenie Meyer gerou algumas fanfics – como são conhecidas as histórias criadas por fãs inspiradas por uma determinada obra. Assim nasceu “50 Tons de Cinza”, outro gigantesco fenômeno cultural que migrou dos livros para os cinemas e que agora suscita comparações com “After”, fanfic que rendeu quatro livros e cujo filme estreia em 11 de abril no Brasil.


A autora Anna Todd no centro com os protagonistas de After, Hero Fiennes Tiffin e Josephine Langford
Divulgação

A autora Anna Todd no centro com os protagonistas de After, Hero Fiennes Tiffin e Josephine Langford

Em “After” , Tessa Young (Josephine Langford) é uma estudante dedicada, filha obediente e namorada fiel, em seu primeiro semestre na faculdade, experiência que irá descortinar uma série de novas possibilidades para ela. É lá, por exemplo, que ela conhece Hardin Scott (Hero Fiennes-Tiffin), um encantador e rebelde garoto que a leva a questionar tudo o que ela pensava que sabia sobre si mesma e sobre o que ela quer para sua vida.

Leia também: “Homem-Aranha no Aranhaverso” investe na linguagem da HQ e moderniza personagem

No Brasil para promover o filme e seu novo livro “Stars – As Estrelas Entre Nós”, o primeiro volume de uma nova trilogia protagonizada por uma jovem mulher, a autora Anna Todd bateu um papo com o iG Gente  sobre as expectativas para o lançamento, como é escrever sobre sexo para jovens mulheres no mundo de hoje e como ela se parece mais com o rebelde Hardin do que com a heroína de sua obra mais famosa.

Leia mais:  Fernanda Gentil aparece dançando agarradinha com a mulher

Anna Todd, em passagem anterior pelo Brasil, quando veio para a 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo para divulgar After
Reprodução/Instagram

Anna Todd, em passagem anterior pelo Brasil, quando veio para a 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo para divulgar After

“Eu não me incomodo com as comparações com ’ 50 Tons de Cinza ’, observa de pronto a americana de 29 anos, casada e mãe de um garoto. “Eu adoro escrever sobre questões que envolvem sexo e eu absolutamente amo ‘50 tons’. Amo o que ele fez pelas mulheres.  Eu não teria esse trabalho como escritora e não veria meu livro virar filme se não fosse por ele”.

Todd argumenta que apesar de perpassar temas de natureza sexual o filme não tem tantas cenas de sexo como o teaser sugere. “Isso é uma coisa do marketing”, revela ela. Todd diz que já assistiu ao filme e está muito feliz com o resultado. Ela admite que possa haver uma ou outra mudança em relação à versão que ela já assistiu e aquela que chegará às telas de cinema em alguns meses.

Leia também: “Avatar”, “Os Simpsons” e outros aniversariantes da cultura pop em 2019

A americana diz que sua obra e o filme, no qual ela participou ativamente desde o processo de roteirização até a escolha do elenco, tem o objetivo de ser progressista em relação à maneira como as meninas lidam com sua sexualidade. “Hollywood e toda a indústria cultural sempre permitiram que os meninos fossem meninos, mas geralmente recrimina um comportamento sexual mais liberal das garotas”, explica Todd novamente evocando os efeitos positivos de um best-seller como o dela e o de E.L James. 

Leia mais:  Juntos? Adnet e Calabresa voltam em especial de humor da Globo

A autora reconhece que há sim elementos autobiográficos em Tessa, mas diz ser mais parecida com Hardin do que com a protagonista da série. “Eu simplesmente tenho muito da impulsividade dele e de sua inquietação”.


Cena do filme After, que estreia em 11 de abril nos cinemas
Divulgação

Cena do filme After, que estreia em 11 de abril nos cinemas

Leia também: “Cinquenta Tons de Liberdade” põe fim à série sem abrir mão dos erros do passado

Todd argumenta que tinha consciência de que muita coisa do livro seria deixada de fora ou adaptada para o cinema, mas que ficou muito feliz de participar da produção do filme e de ser ouvida. “After” , que também é dirigido por uma mulher, Jenny Gage, representa uma das maiores expectativas da Diamond Films, distribuidora independente de filmes independente em países latinos, para 2018. A série já vendeu mais 11 milhões de exemplares em todo mundo.

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

Acusado de estupro, Chris Brown é liberado e responderá processo em liberdade

Publicado

por

O rapper americano Chris Brown, ex-namorado da cantora Rihanna, foi libertado nesta terça-feira (22) pela Justiça francesa, um dia após ter sido preso em Paris devido a uma acusação de estupro.  Um amigo e um segurança de Brown que são suspeitos do mesmo crime também foram soltos. Todos eles poderão deixar a França durante as investigações.

Leia também: Chris Brown é preso em Paris após ser acusado de estupro


Chris Brown é solto na França após acusação de estupro
Reprodução/Instragram

Chris Brown é solto na França após acusação de estupro

Leia também: “Foi brutal e violento”, diz suposta vítima de Chris Brown; cantor nega acusação

O suposto abuso sexual envolvendo Chris Brown teria ocorrido na noite de 15 de janeiro, em um quarto de hotel em Paris, na França, onde uma jovem de 24 anos convidada pelo rapper teria sido violentada.

Relato sobre suposto estupro envolvendo Chris Brown

A jovem que acusou o artista de estupro deu mais detalhes sobre a noite em que teria diso violentada pelo cantor, seu amigo e segurança para a revista francesa  Closer . A entrevista traz alguns trechos da mulher idenficada como Karima, que retrata que o cantor a arrastou para um armário do hotel, a atacou brutalmente e violentamente por meia hora. 

De acordo com a publicação, a mulher contou que estava na suíte do hotel Mandarin Oriental Hotel, em Paris, no dia 16 de janeiro, com outros amigos e mais 15 meninas, usando maconha e cocaína, quando o artista agarrou seu braço enquanto ela ia ao banheiro e a fez entrar em uma espécie de closet. “Ele fechou a porta…durou de 25 a 30 minutos”, completando dizendo que ainda é difícil explicar em detalhes o que aconteceu. 

Leia mais:  Altiva e sensual, Paolla Oliveira garante vaga entre as musas de 2018

Mulher que acusa o cantor Chris Brown de estupro fala comportamento agressivo do artista, revelando também que foi violentada por um amigo e segurança
Reprodução/Instagram

Mulher que acusa o cantor Chris Brown de estupro fala comportamento agressivo do artista, revelando também que foi violentada por um amigo e segurança

“Ainda é muito difícil explicar em detalhes o que ele fez comigo. Mas foi brutal e violento. Ele era agressivo e me ameaçava. Eu estava com muito medo. Após o estupro, a mulher disse que gostaria de ter seu celular de volta e ir embora.

No entato, segundo o relato, um dos amigos de Chris apareceu e ela pensou que ele estava ali para levá-la para caso, mas, o rapaz a levou para um quarto, tranvou a porta e a abusou sexualmente. O guarda-costa do cantor também foi citado e Karima também o acusa de estupro. 

“Tudo que eu queria era ir para casa. Eu estava com tanto medo”, disse Karima. “Eles eram três homens fortes, agressivos e ameaçadores. Não havia nada que eu pudesse fazer”, completa. 

A mulher disse que coseguiu explicar para o astro aos prantos que precisava ir embora porque tinha aula no dia seguinte. O cantor devolveu seu celular e logo após ela foi embora e fez a denúncia alguns dias depois do acontecimento. 

“Eu não queria que eles fizessem a mesma coisa com outras garotas”, explicou. “Chris Brown é o tipo de pessoa que acha que eles estão acima da lei, mas não. Eu vou até o final. Ser abusada três vezes na mesma noite por três homens diferentes. É insuportável viver”, completou a mulher.

Leia mais:  Ben Kingsley vive criminoso de guerra refém de seu passado em “Um Homem Comum”

Leia também: Chris Brown dá detalhes de agressão à Rihanna: “Ela me batia, eu batia nela”

Através do perfil oficial do Instagram, a equipe de  Chris Brown  compartilhou a mensagem se defendendo das acusações: “Quero deixar bem claro que isso é falso e um monte de m*rda. Nunca! Isso é muito desrespeitoso à minha filha e família, e vai contra meu caráter e minha moral”. 

* Texto com informações agência ANSA

Comentários Facebook
Continue lendo

Entretenimento

“Foi brutal e violento”, diz suposta vítima de Chris Brown; cantor nega acusação

Publicado

por

A jovem que acusou Chris Brown de estupro deu mais detalhes sobre a noite em que teria diso violentada pelo cantor, seu amigo e segurança para a revista francesa Closer . A entrevista traz alguns trechos da mulher idenficada como Karima, que retrata que o cantor a arrastou para um armário do hotel, a atacou brutalmente e violentamente por meia hora. Chris foi preso nesta terça-feira (22) pela polícia francesa em Paris, na França, e está detido até o momento. 

Leia também: Chris Brown é preso em Paris após ser acusado de estupro


Mulher que acusa o cantor Chris Brown de estupro fala comportamento agressivo do artista, revelando também que foi violentada por um amigo e segurança
Reprodução/Instagram

Mulher que acusa o cantor Chris Brown de estupro fala comportamento agressivo do artista, revelando também que foi violentada por um amigo e segurança


De acordo com a publicação, a mulher contou que estava na suíte de Chris Brown no Mandarin Oriental Hotel, em Paris, no dia 16 de janeiro, com outros amigos e mais 15 meninas, usando maconha e cocaína, quando o artista agarrou seu braço enquanto ela ia ao banheiro e a fez entrar em uma espécie de closet. “Ele fechou a porta…durou de 25 a 30 minutos”, completando dizendo que ainda é difícil explicar em detalhes o que aconteceu. 

“Ainda é muito difícil explicar em detalhes o que ele fez comigo. Mas foi brutal e violento. Ele era agressivo e me ameaçava. Eu estava com muito medo. Após o estupro, a mulher disse que gostaria de ter seu celular de volta e ir embora. No entato, segundo o relato, um dos amigos de Chris apareceu e ela pensou que ele estava ali para levá-la para caso, mas, o rapaz a levou para um quarto, tranvou a porta e a abusou sexualmente. O guarda-costa do cantor também foi citado e Karima também o acusa de estupro. 

Leia mais:  Juntos? Adnet e Calabresa voltam em especial de humor da Globo

Leia também: Chris Brown dá detalhes de agressão à Rihanna: “Ela me batia, eu batia nela”

“Tudo que eu queria era ir para casa. Eu estava com tanto medo”, disse Karima. “Eles eram três homens fortes, agressivos e ameaçadores. Não havia nada que eu pudesse fazer”, completa. 

A mulher disse que coseguiu explicar para o astro aos prantos que precisava ir embora porque tinha aula no dia seguinte. O cantor devolveu seu celular e logo após ela foi embora e fez a denúncia alguns dias depois do acontecimento. 

“Eu não queria que eles fizessem a mesma coisa com outras garotas”, explicou. “Chris Brown é o tipo de pessoa que acha que eles estão acima da lei, mas não. Eu vou até o final. Ser abusada três vezes na mesma noite por três homens diferentes. É insuportável viver”, completou a mulher. 

Chris Brown nega caso de estupro

Detino nesta terça-feira (22) em Paris, na França, após ser acusado de estupro, uma fonte próxima ao astro disse ao TMZ que Chris não estava sozinho com a mulher, sua namorada, Ammika Harris, também estava presente entre as mais de 20 pessoas que estavam com o cantor enquanto ele tocava música. 

Leia também: Chris Brown é processado por facilitar prática de abuso sexual em sua casa

Através do perfil oficial do Instagram, a equipe de Chris Brown compartilhou a mensagem se defendendo das acusações: “Quero deixar bem claro que isso é falso e um monte de m*rda. Nunca! Isso é muito desrespeitoso à minha filha e família, e vai contra meu caráter e minha moral”. 

Leia mais:  HBO aposta no hype em 2019 com “Game of Thrones”, “Watchmen” e “Big Little Lies”

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana