conecte-se conosco



BemRural

Aprosoja apresenta realidade do roubo de defensivos agrícolas em curso da GCCO

Publicado

Defesa Agrícola

Aprosoja apresenta realidade do roubo de defensivos agrícolas em curso da GCCO

Policiais que participaram de curso puderam entender por que os produtos são tão visados por quadrilhas

GCCO

06/12/2018

A importância dos defensivos agrícolas nas culturas da soja e milho em Mato Grosso e porque os mesmos se tornaram alvo de quadrilhas armadas nos últimos anos foi o tema de palestra apresentada nesta semana, pelo gerente de Defesa Agrícola da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Daniel Pasculli. 
 
A palestra ocorreu em Cuiabá, durante o segundo curso de “Operações Antissequestro”, da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), órgão ligado à Polícia Judiciária Civil. Cerca de 30 policiais civis, que passarão a atuar na GCCO, estiveram na palestra. 
 
Além de traçar um histórico sobre a criação da Aprosoja, suas comissões e ações ao longo dos últimos 13 anos, Pasculli também falou a respeito de parceria firmada entre a associação e a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) com foco no combate ao crime organizado com foco em propriedades rurais. 
 
Mais conhecido como “Projeto Monitor de Segurança”, a parceria entre Aprosoja e Sesp foi possível graças a um Termo de Cooperação, assinado no fim de 2016. O objetivo é que seja feito um monitoramento maior na área rural, uma vez que os roubos de defensivos agrícolas e gado estavam crescendo anualmente em Mato Grosso. 
 
“Mostrei que a parceria foi e continua sendo fundamental para que ambas as instituições tenham força para não apenas combater, mas também punir quem pratica roubos, furtos e receptação de produtos ilícitos na área rural, especialmente de defensivos agrícolas. Por isso mesmo, mostramos a importância destes produtos durante o ciclo de plantio das safras de soja e milho”, completou Daniel Pasculli. 
 
Placas – Outra ação da Aprosoja apresentada durante o curso foi sobre a instalação de placas, na entrada das fazendas, informando que aquela propriedade é monitorada pela “Operação Combate ao Roubo”, que faz parte do termo de cooperação do Projeto Monitor de Segurança. 
 
Na placa também é informado o número do disque-denúncia: (65) 99811-2033. É possível denunciar via WhatsApp e, tanto a Sesp como a Aprosoja, garantem o sigilo dos denunciantes. Até o fim deste ano serão mais de mil placas instaladas. A associação espera continuar com a instalação também nos próximos anos.

Comentários Facebook
publicidade

BemRural

Sistema de poda e tutoramento aumenta produtividade do cacau

Publicado

por

Pesquisadores do Centro de Pesquisa do Cacau da Ceplac testam técnica de poda e tutoramento que aumenta o número de plantas por hectare e, consequentemente, a produtividade. Os pesquisadores obtiveram resultados favoráveis com o uso da técnica no cacaueiro, também conhecido como sistema candelabro pela aparência que a planta apresenta.

Este sistema de manejo, desenvolvido no semiárido da Bahia, permite o gerenciamento da planta buscando o equilíbrio entre a parte vegetativa e a parte frutífera da planta.

De acordo com os pesquisadores do centro, George Andrade Sodré e José Basílio Vieira Leite, este manejo tem se mostrado adequado para plantas de pequeno porte, com plantio com densidade acima de 1.600 plantas por hectare.

O cultivo candelabro, de acordo com os pesquisadores, apresenta potencial para a produção intensiva comercial de cacaueiros. Entretanto, necessita ser validado em áreas maiores e também precisa da realização de estudos de viabilidade econômica, definição de clores, mecanização da poda e outras práticas associadas ao uso do sistema.

Mais informações à ImprensaCoordenação Geral de Comunicação Social
Inez De Podestà
[email protected]

Comentários Facebook
Leia mais:  Secretaria de Defesa Agropecuária completa 41 anos e lança livro sobre controle de pragas e doenças
Continue lendo

BemRural

Cartilha de Boas Práticas na Gestação de Suínos é lançada pelo Mapa

Publicado

por

O Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) lança nesta terça-feira (11), em Brasília, a cartilha digital de Boas Práticas na Produção de Suínos voltada para a Gestação Coletiva. Também serão apresentadas as conclusões recebidas na consulta pública sobre boas práticas na produção comercial de suínos.

Esta publicação é a primeira de uma série de materiais técnicos para estimular as boas práticas de produção junto à cadeia de suínos. O objetivo das ações é apoiar o produtor para uma atitude proativa com relação ao bem estar na gestação e maternidade das matrizes.

O material é fruto da parceria entre o Mapa e o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA). Segundo a chefe de Divisão de Bem Estar Animal e Equideocultura do ministério, Liziè Buss, a publicação de materiais técnicos informativos para a cadeia é fundamental para facilitar a disseminação de conhecimentos e adoção de melhores práticas. A estratégia atende aos objetivos da Área de Boas Práticas e Bem-estar Animal (BEA), que são a sensibilização, capacitação e sustentabilidade da cadeia produtiva.

Liziè lembra que no mundo todo existe uma forte movimentação acerca do BEA. “Desde 2013, a União Europeia proíbe o alojamento de fêmeas em gaiolas na totalidade do período gestacional. Outros países também possuem orientações sobre este tema: Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, e África do Sul”. “Em outubro deste ano, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) publicou o capítulo internacional para boas práticas na produção de suínos. E o Brasil, como signatário e um dos maiores players na produção e exportação de suínos, deve fomentar a adoção destas práticas”, completa a especialista.

Leia mais:  ARROZ/CEPEA: Indicador está na casa dos R$ 40,00/sc há uma semana

Mais informações à ImprensaCoordenação Geral de Imprensa
[email protected]

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana