conecte-se conosco

  • banner_Lorenzetti_1250x250

Política Nacional

Após Twitter, Instagram e Youtube também bloqueiam páginas de Allan dos Santos

Publicado


source
Blogueiro bolsonarista Allan dos Santos
Alessandro Dantas/ PT no Senado

Blogueiro bolsonarista Allan dos Santos


Após o Twitter tirar os perfis do blogueiro bolsonarista Allan dos Santos e do blog dele, Terça Livre, do ar, o Youtube e o Instagram adotaram a mesma medida nesta terça-feira (12). O ato obedece a uma decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

O magistrado é relator do inquérito sobre a existência de milícias digitais que promovem ataques às instituições e à democracia. Santos é um dos investigados. 

Segundo a Folha de S. Paulo, os encontros dele com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) são analisados pela Polícia Federal (PF). Eles estiveram juntos no mês passado durante a viagem da comitiva presidencial à Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), nos Estados Unidos.

Santos mora no país desde que passou a ser investigado por Moraes. Ele também é alvo no inquérito das fake news.

Comentários Facebook

Política Nacional

Sérgio Camargo xinga jornalistas e diz que se intitular “Black Ustra” foi ironia

Publicado

por


source
Presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo
Reprodução/ Estado de Minas

Presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo

presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, emitiu um esclarecimento em suas redes sociais após se intitular como “Black Ustra” na última quinta-feira (21). Em publicação, Camargo chamou os jornalistas de burros e disse que não entendem ironia.  

O chefe da fundação faz referência ao torturador na época da ditadura militar, o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, ex-chefe do DOI-Codi. Camargo escreveu: “Vou torturar sim, já que não posso nomear. Black Ustra”.

Sérgio Camargo deu essa declaração após a Justiça do Trabalho o impedir de postar conteúdo intimidatório ou vexatório contra servidores, ex-servidores e representantes da Justiça nas redes sociais. Desde então, ele despreza a restrição.

Na tarde desta sexta-feira (22), o presidente do órgão escreveu em sua conta no Twitter: “Notinha de esclarecimento: uso a risada de vilão (muuuuwhahahaha) para que as crias do Paulo Freire que infestam as redações percebam que é zoeira e ironia quando falo em “reino de terror”, “tortura”, “pelourinho”… Mas não adianta. São muito burros!”.

Desde a segunda-feira (11) até essa sexta (22), Camargo já fez mais de 15 postagens em relação a sua restrição. “A aberração jurídica a que a Palmares foi submetida precisa ser anulada, removida, derrubada!”, respondeu em um tweet. “Juiz do trabalho, vá catar coquinho”, xingou em outro post.

Não é a primeira vez que algum chefe do governo cita o coronel Ustra em uma declaração. Em 2016, durante a votação do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), o então deputado Jair Bolsonaro (sem partido) , exaltou o torturador em seu voto afirmativo para a destituição de Dilma. 

Leia Também

Em 2019, na saída do Palácio do Alvorada, Bolsonaro afirmou que Ustra foi um “herói nacional”. Carlos Alberto Brilhante Ustra foi reconhecido pela Justiça como torturador da ditadura militar em 2008.



Continue lendo

Política Nacional

Rodrigo Pacheco diz que PSD pode ter ‘proposta alternativa’ a Lula e Bolsonaro

Publicado

por


source
Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, se filiou ao PSD
Marcos Brandão/ Senado Federal

Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, se filiou ao PSD


Pouco após anunciar, oficialmente, sua filiação ao PSD , o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (MG), sugeriu a presença direta do partido na próxima eleição presidencial. Para ele, a legenda pode ter uma “proposta alternativa” à esperada disputa entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“No momento certo, o PSD vai tomar suas decisões. Mas eu acredito muito que o PSD possa ter uma proposta alternativa, moderna, nova, de futuro, que possa olhar o Brasil para frente. Eu acredito muito que o partido será protagonista dessa proposta de Brasil”, disse Pacheco, segundo a Folha de S. Paulo.

Desde que sua mudança do DEM para o PSD passou a ser especulada, meses atrás, o senador é apontado como um  possível candidato para representar a terceira via no pleito de 2022. De acordo com a publicação, o presidente do partido, Gilberto Kassab, endossa essa ideia, mas o parlamentar mantém o discurso cauteloso.


“A minha posição política em 2022 será decidida em 2022”, adiantou, acrescentando que não se permite “antecipar a discussão da eleição”.

Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana