conecte-se conosco


Mato Grosso

Após trabalhar em apoio, professora passa em concurso e assume sala de aula

Publicado

A professora de Ciências Físicas e Biológicas, Suelen da Veiga Borges Leão, conhece como ninguém o chão da escola. Ela é um exemplo de profissional da educação, que vem de outro setor, até chegar à sala de aula. Suelen tomou posse no mês de setembro como professora efetiva na Escola Estadual Rodolfo Augusto Trechaud Curvo, em Cuiabá, onde já trabalhava como apoio atuando na limpeza há cerca de um ano e meio.

Além de licenciatura em Ciências, Suelen concluiu o mestrado na área ambiental reforçando a sua meta de estar preparada para ser professora, não só habilitada, mas sempre atualizada.

A professora afirma que o investimento em educação é recomepensador, pois só através dela, é possível alcançar lugares mais altos. “Vale a pena a pessoa colocar todas as fichas na educação, pois ela é fundamental para tudo. Saí do cargo de apoio para professora. Todo mundo pode conseguir. Basta investir em educação”, assegura.

Suelen relata que a experiência como apoio administrativo é única, pois quando o profissional inicia a carreira como professor, não conhece como funciona a engrenagem da educação, os demais segmentos dos profissionais da educação. A professora explica que durante 18 meses que atuou na limpeza, teve chance de conhecer o pensamento das pessoas que estavam ao seu redor e ocupando o mesmo cargo.

“Ao trabalhar como apoio, descobri que, em muitas ocasiões, em reuniões, o professor é colocado em primeiro lugar e as opiniões dos demais profissionais são sempre esquecidas”, conta.

Suelen ressalta que, a diferença mesma é sentida no comportamento do aluno no pátio, no momento do intervalo, pois da sala do professor, não dá para perceber o que o aluno faz. “É na função de apoio que notamos como agem os alunos no pátio. Como professora agora é possível comparar esse comportamento com o que faz em sala de aula”, avalia.

Outro ponto que chamou a atenção de Suelen é o desconhecimento dos alunos em relação aos demais profissionais da escola. Ao assumir um cargo de professora, Suelen leciona para cerca de 300 alunos. Desse total, somente três perceberam que ela largou o balde e rodinha para entrar em sala de aula.

“Para mim foi uma surpresa. Três alunos me parabenizaram e falaram comigo. Os demais nem sabiam. Isso comprova que a equipe de apoio não é vista pelos alunos. Falta comunicação entre a sala de aula e a equipe de apoio”.  

Suelen explica que agora, o maior desafio é enfrentar a disciplina e também se adequar com o conteúdo, uma vez que ficou quase dois anos sem lecionar. “A educação evolui e é preciso acompanhar e, por isso, estou participando de todos os cursos de formação”.

Comentários Facebook

Mato Grosso

Mato Grosso evolui para "ótimo" em novo ranking de transparência das aquisições emergenciais

Publicado

por


.

O nível de transparência do Estado de Mato Grosso em relação às compras emergenciais para o enfrentamento da pandemia do coronavírus evoluiu do conceito “bom” para “ótimo”. É o que indica nova avaliação divulgada nesta sexta-feira (31.07) pela organização não-governamental “Transparência Internacional – Brasil”.

De uma pontuação de 0 a 100, a nota de Mato Grosso passou de 71,5 para 90,5 entre a avaliação anterior e a atual. Com isso, o Estado subiu da 20ª para a 13º posição no ranking de como os 26 estados brasileiros e o Distrito Federal trazem informações sobre aquisições emergenciais de forma fácil e ágil.

No período de 20 a 23 de julho de 2020, foram avaliados, não somente o conteúdo, a atualização e o formato de apresentação das compras emergenciais disponibilizados no Portal Transparência, como também no portal oficial, no portal de compras e nas redes sociais (Facebook e Instagram) do Governo do Estado.

Os dados encontrados foram categorizados em quatro dimensões de análise: informações disponíveis, formato das informações, legislação; e controle social. Em seguida, as informações foram separadas em diversas categorias, conferindo pontuações de acordo com pesos de valorações pré-definidas.

A evolução de Mato Grosso no ranking se deve à implementação do plano de providências elaborado pela Controladoria Geral do Estado (CGE-MT) para adequação dos pontos avaliados pela “Transparência Internacional – Brasil” nos rankings divulgados nos meses de maio e junho de 2020. 

O plano, com as medidas, os prazos e os responsáveis por cada ação, foi implementado em força-tarefa articulada entre a CGE, a Casa Civil/Secretaria Adjunta de Comunicação (Secom), a Secretaria de Estado de Saúde (SES), a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) e a Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI).

Uma das medidas foi prever a participação de organizações da sociedade civil no Gabinete de Situação montado para monitoramento e adoção de medidas de enfrentamento da pandemia. Passaram a compor o Gabinete de Situação representantes da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB/MT), Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt), Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM) e Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (ALMT).

Outra ação foi a disponibilização de campo específico, no formulário do sistema de atendimentos da Rede de Ouvidorias, para que o cidadão informe se a demanda dele é relacionada ao coronavírus.

Também foram disponibilizados, em espaço próprio no Portal Transparência, as normas, os informes, as orientações, os relatórios, os boletins e o dicionário de dados relacionados à Covid-19.

O ranking divulgado nesta sexta-feira (31.07) pela “Transparência Internacional – Brasil” é a terceira edição da série de avaliações sobre a transparência das aquisições emergenciais decorrentes da pandemia. Confira AQUI o novo ranking e a metodologia utilizada.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Governo investe R$ 14,6 milhões em manutenção preventiva e corretiva de escolas estaduais

Publicado

por


.

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) vai investir R$ 14,6 milhões em obras de manutenção preventiva e corretiva de escolas estaduais. Até agora, já foram demandadas à Seduc manutenção de 205 unidades educacionais. Das escolas, para 86 já foram emitidas ordens de serviço, totalizando um investimento de R$ 8,75 milhões.

Conforme explica o secretário executivo da Seduc, Alan Porto, a obras de manutenção incluem reparos, adequação e revisão dos telhados, cobertura e forro, banheiros, reparos na parte elétrica e hidráulica, serviços de pintura, troca de pisos, janelas e portas, entre outros.

As 86 obras de manutenção estão distribuídas em 33 municípios do Estado. A Escola Estadual Plena Antônio Epaminondas, no bairro Lixeira, em Cuiabá, que a partir de agora, vai atender alunos da antiga Escola Estadual Nilo Póvoas, é uma das beneficiadas.

Com recursos superiores a R$ 418 mil, a escola está sendo beneficiada com manutenção nos banheiros, ampliação da biblioteca e adequação de algumas salas, como laboratório de ciências e sala dos professores, além de pintura e acessibilidade para alunos com deficiências.

A diretora da escola, Cleonice Maria Wobeto, não poupa elogios as ações da Seduc para melhorar a qualidade física das unidades de ensino. “Não tenho dúvida de que é uma mudança significativa para a escola. No final vai ficar muito bom”, avalia.

A Escola Estadual Antônio Epaminondas, que funciona em tempo integral, atende 205 alunos, do 7º ano fundamental ao 3º ano do Ensino Médio.

No município de Sorriso (a 500 quilômetros de Cuiabá) os prédios onde funcionam as escolas da Polícia Militar Tiradentes Cabo Antônio Dilceu da Silva Amaral e 13 de Maio estão recebendo reparos na cozinha, divisórias e na parte elétrica.

A Escola Estadual Tiradentes possui dez salas de aula e atende 447 alunos. “A mudança de espaço da escola foi imprescindível. A equipe da Seduc viu como nossas instalações antigas eram precárias e hoje estamos bem melhor do que antes”, destaca o comandante-diretor da Escola Tiradentes, major Ilton Botelho da Costa Campos.

Já a Escola Estadual 13 de Maio conta com oito salas de aula que devem comportar 500 estudantes no retorno das aulas presenciais. 

Conforme o fiscal de obras da Seduc, engenheiro civil Rodrigo Cabral, o raio de atuação da Seduc nas manutenções abrange reparos indicados pelos órgãos de fiscalização e nos formulários encaminhados a diretores de cada escola, em 2019, que possibilitaram um diagnóstico dos problemas pela gestão.   

 

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana