conecte-se conosco


Cidade

Anel Viário: Má conservação e falta de sinalização representam riscos de graves acidentes

Publicado

Os frequentes acidentes de trânsito registrados no anel viário de Tangará da Serra e a má conservação da pista deixam autoridades e população em alerta na cidade. Nos últimos dias, dois acidentes graves foram registrados na perimetral, que leva o nome de Avenida André Maggi.

Além dos buracos na pista (um deles causou acidente entre carreta e caminhonete recentemente), há reclamações relacionadas ao matagal que acompanha o anel viário, tanto no canteiro central como nas laterais.

Recente ocorrência de trânsito no anel viário: Acidente foi causado por buraco na pista.

Vereadores já formalizaram pedidos de limpeza e conservação através de indicações ao governo do Estado. Niltinho do Lanche (MDB) é um dos vereadores que mais insistem numa melhor atenção ao anel viário. Ele apresentou indicação em fevereiro cobrando providências do governo, com cópia da propositura ao deputado estadual Doutor João, da mesma legenda.

Por ser responsabilidade do estado, o município não pode intervir com obras de melhorias na perimetral. A situação, que deixa o poder público local de mãos amarradas enquanto os usuários do anel viário correm riscos, chegou a render, dentro da própria Câmara, uma sinalização para que a municipalidade estude a possibilidade de assumir a manutenção da via.

Cruzamentos

Outra situação que oferece alto risco está relacionada aos cruzamentos do anel viário com ruas e avenidas urbanas. Ainda em 2017, o vereador Vagner Constantino Guimarães (PSDB), alertou sobre os riscos e encaminhou indicação ao governo estadual, então comandado por Pedro Taques. O pedido do vereador, no entanto, não foi atendido pelo então governador.

Ponto em que a Rua 07, do San Diego, se encontra com o Anel Viário: Riscos de acidentes trágicos

“É preciso um melhor cuidado com o anel viário e nas avenidas que chegam a ele. Há um tráfego intenso de caminhões, veículos leves e motocicletas e a todo momento há acessos das avenidas ao anel viário e vice-versa”, justificou, à época, o vereador.

Leia mais:  Morre jogador de Tangará que lutava contra câncer

Além de limpeza e correções na pista, Vagner Constantino alertou para necessidade de implantação de sinalizações e redutores de velocidade nos cruzamentos com vias de grande movimento, como as avenida Brasil, Ismael José do Nascimento, Virgílio Favetti e também no acesso ao bairro Morada do Sol.


Matagal no anel viário representa riscos de acidentes e potencializam queimadas na estiagem

Vagner destacou, ainda, que o município também precisa instalar dispositivos e melhorar a sinalização destas vias nas proximidades com a perimetral. “Estes dispositivos, tanto no anel viário como nas ruas e avenidas reduzirão significativamente os riscos de acidentes nestes cruzamentos. Já tivemos casos de tragédias que aconteceram nestes pontos e não podemos ignorar isso”, concluiu, à época, o vereador do PSDB.

Mais riscos: Queimadas são frequentes às margens do anel viário durante as estiagens.

Comentários Facebook

Cidade

Mais de 35 mil cidadãos e cidadãs atendidos em 2019 na AL

Publicado

por

Foto: MAÍRA NIENOW

“Nosso setor é uma das principais e mais diretas ferramentas de comunicação da Casa com a cidadania, por isso mesmo nossa equipe prima pela eficiência e qualidade, excelência do atendimento a todos aqueles que procuram nossos serviços”, define a ouvidora-geral da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, Uecileny Rodrigues Fernandes Vieira.

O número de cidadãos e cidadãs atendidos impressiona. Neste ano, foram 18.930 atendimentos pela Defensoria Pública, 15.867 pelo Espaço Cidadania com emissão de documentos de identidade e 519 reclamações ao órgão de defesa do consumidor (Procon), além de 221 manifestações de solicitação de informações ou sugestões recebidas. Em relação a 2018, houve um aumento de aproximadamente 20% no total de atendimentos.

Todo o trabalho é realizado em parceria com o Instituto de Identificação, Secretaria-Adjunta de Proteção e Defesa aos Direitos do Consumidor e Defensoria Pública, por meio de termos de cooperação técnica. A Casa cede espaço, estrutura física e pessoal e os órgãos parceiros, além de chancelar os serviços prestados, definem os protocolos e o formato de atendimento ao público.

Além do cuidado com que os serviços são prestados, outros fatores contribuem para o sempre crescente aumento na procura pelo atendimento na Assembleia Legislativa – desde a localização da Casa até a atenção despertada pelos trabalhos dos parlamentares, a exemplo da Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor e da CPI da Energisa.

Leia mais:  Operação resgata 14 trabalhadores em situação análoga à escravidão em Tangará

Foto: MAÍRA NIENOW

2020 – Natural de Poxoréu, bióloga e também bacharel em direito, Uecileny Vieira assumiu a Ouvidoria-Geral da Assembleia Legislativa de Mato Grosso em outubro do ano passado. Antes, havia iniciado seu trabalho no setor público entre os anos de 2005 e 2008 – à época titular da Secretaria de Meio Ambiente de sua cidade natal, sob a gestão do ex-prefeito Antonio Rodrigues da Silva, lá popularmente conhecido por “Tonho do Menino Velho”. Desde 2009, assessorou o deputado Sebastião Rezende (PSC) no Legislativo de Mato Grosso.

Para 2020, ela planeja ampliar a capacidade de atendimento do setor, assim como melhorar ainda mais a qualidade dos serviços prestados aos cidadãos e cidadãs mato-grossenses.


“Isso demanda maior número de servidores, assim como capacitação e qualificação destes, além da completa digitalização de nossa logística, melhora de nossas condições estruturais e até mesmo um novo layout visual do setor; tudo isso já está bem planejado e encaminhado com a Mesa Diretora, que tem nos dado todo o suporte necessário para nosso trabalho”, assinala a ouvidora-geral.

Fonte: ALMT
Comentários Facebook
Continue lendo

Cidade

Aplicativo Nota MT se consolida como app governamental melhor avaliado pelo cidadão

Publicado

por

O aplicativo do programa Nota MT, criado pelo Governo do Estado para estimular a inclusão do CPF na nota fiscal eletrônica, consolidou-se como o aplicativo governamental melhor avaliado pelo cidadão Em apenas cinco meses em que está disponível, o aplicativo já foi baixado 158.047 vezes em celulares com sistema Android e IOS.

Junto com o portal do programa Nota MT, o aplicativo foi desenvolvido por analistas da Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI), em parceria com a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz). Desde seu lançamento, o aplicativo do Nota MT foi baixado 134.616 nos celulares com sistema Android e 23.431 nos sistemas IOS.

De acordo com Ricardo Crudo, analista da MTI e superintendente de TI da Sefaz, apesar de o aplicativo ser novo, ele já está muito bem avaliado pelos usuários no comparativo com aplicativos de programas fiscais semelhantes, de outros Estados.

“O Nota MT possui notas de 4,7 em uma escala de 1 a 5 na Play Store e na Apple Store com, respectivamente, quase 4 mil e mil avaliações positivas. Outros programas similares e bem mais famosos de outros Estados, como o Nota Fiscal Paulista e o Nota Paraná, possuem notas de 3,3 e 3,7, por exemplo”, disse.

No aplicativo, o cidadão tem acesso com facilidade e agilidade às informações sobre as notas fiscais emitidas em nome dele, mês a mês e anualmente, tem acesso à legislação sobre o Nota MT, bem como a funcionalidade chamada “Meu CPF”, que disponibiliza o número do CPF da pessoa cadastrada no programa em formato de código de barras na tela do celular.

Leia mais:  Novas ambulâncias começam a operar em Tangará da Serra

O cidadão também consegue realizar o acompanhamento das datas programadas dos sorteios, dos resultados e das premiações. Somente neste ano, oito sorteios do programa foram realizados e já foram distribuídos R$ 3 milhões para 4.883 consumidores.  Ao todo, mais de 240 mil usuários estão cadastrados no Nota MT.

Além do aplicativo, de acordo com Crudo, todo o sistema desenvolvido pelo Nota MT é considerado de alta complexidade, pelos serviços que tiveram que ser implementados e entregues de forma muito ágil pela equipe envolvida.

“O processo de consulta de notas para a geração de bilhetes, a segurança e transparência do sorteio, da automação para a verificação de pendências de débito e da realização do pagamento, a validação cadastral, entre outros”, disse.


Crudo destacou ainda a elevada capacidade técnica da MTI para implementar grandes projetos de Governo, em tempo recorde, com qualidade e eficiência.  “Caso tivéssemos optado pelo desenvolvimento terceirizado, o prazo previsto de entrega seria dezembro de 2019. Ou seja, se não houvesse atraso, estaríamos começando o programa somente agora”, encerrou.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana