conecte-se conosco


Nacional

Amapá volta a ter apagão dois meses após crise de energia elétrica

Publicado


source
Novo apagão no Amapá deixa 13 cidades sem energia elétrica
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Novo apagão no Amapá deixa 13 cidades sem energia elétrica

O Amapá voltou a registrar falta de energia elétrica  dois meses após crise que deixou cidade em apagão durante três semanas. Dos 16 municípios do estado, 13 estão sem luz nesta quarta-feira (13).

Segundo a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), o problema ocorreu por volta das 16h e os sistemas estão sendo reestabelecidos. Até o momento da publicação desta matéria, ainda existem localidades sem o serviço.

O ONS pontuou que às 16h38 os sistemas já estava restabelecidos e que estava acompanhando o restabelecimento da energia nas unidades consumidoras, que estava na metade da carga às 17h15, ou seja, ainda havia localidades sem o serviço.

A companhia alega que houve alguma falha na linha de transmissão de energia elétrica.

A Linhas de Macapá Transmissora de Energia (LTME) declarou que sofreu uma “ocorrência na linha de transmissão de Laranjal à Macapá” e que “a questão já foi resolvida”. O concessionária informa ainda que “disponibilizou as linhas de transmissão instantaneamente (em um minuto)” e que os equipamentos funcionam sem intercorrências.

Posicionamento da ONS – Operador Nacional do Sistema Elétrico 

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), responsável pela coordenação da operação do Sistema Elétrico, incluindo o monitoramento do fornecimento de energia em todo o Brasil, informa que hoje, 13/01, às 15h53, houve o desligamento dos dois circuitos da linha de transmissão, em 230 kV, Laranjal – Macapá e das hidrelétricas de Ferreira Gomes, Cachoeira Caldeirão e Coaracy Nunes, com interrupção de 250 MW no estado do Amapá.

Às 16h38, toda a rede básica, ou seja, os sistemas que atuam em tensão igual ou superior a 230 kV, já estava restabelecida. O ONS continua acompanhando o restabelecimento por parte da distribuidora CEA. Até às 17h15, já tinham sido restabelecidos 110 MW de carga.

O ONS, em conjunto com os agentes envolvidos, irá elaborar o Relatório de Análise da Perturbação (RAP) para um diagnóstico desta nova ocorrência no estado do Amapá.

Comentários Facebook

Nacional

MP: Governo do Amazonas sugeriu abrir valas no interior por falta de oxigênio

Publicado

por


source
cova
Michael Dantas/Divulgação

MP: Governo do Amazonas sugeriu abrir valas no interior por falta de oxigênio

O governo do Amazonas orientou uma prefeitura da região metropolitana de Manaus a abrir valas no cemitério local porque não havia previsão para a chegada de oxigênio hospitalar no município, de acordo com um relato feito ao Ministério Público e à Defensoria Pública do estado.

O relato foi reproduzido em uma ação que pede que o governo estadual seja obrigado a enviar oxigênio para a cidade de Itacoatiara, que fica a cerca de 250 quilômetros de Manaus. O pedido foi aceito pela Justiça.

A ação foi apresentada neste sábado. O MP e a Defensoria pediram a não interrupção do fornecimento de oxigênio para o Hospital Regional José Mendes, em Itacoatiara. Eles relataram que atualmente existem 77 pacientes internados, com uma média de 20 novas internações por dia, e que o fornecimento de oxigênio é insuficiente desde o início de janeiro.

Os órgãos também alegam que os planos do governo estadual para enfrentar a crise no estado, como a transferência de paciente para outros estados, não beneficiaram pacientes do interior.

Você viu?

O MP e a Defensoria dizem que o prefeito de Itacoatiara, Mário Jorge Abrahim, relatou uma reunião em que foi orientado “a abrir valas no cemitério local, uma vez que não havia previsão para o fornecimento de oxigênio para o município de Itacoatiara”.

O relato foi feito pelo prefeito em uma reunião “com a presença de diversas autoridades, dentre elas, de representantes do Ministério Público e da Defensoria Pública do Estado”.

A orientação teria partido do “secretário do Interior” — a Secretária de Saúde do Amazonas tem uma Secretaria-Executiva Adjunta de Atenção Especializada do Interior, comandada por Cássio Roberto do Espírito Santo. Ele também teria oferecido câmeras frigoríficas para a cidade.

O juiz Rafael Almeida Cró Brito atendeu os pedidos feitos e determinou que o governo estadual deve regularizar o fornecimento de oxigênio medicinal em Itacoatiara e apresentar um plano de abastecimento, sob pena de multa diária de R$ 100 mil. O governo também terá que elaborar uma plano de transferência para Manaus ou outros estados de pacientes da cidade.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Ministério da Saúde tem publicação no Twitter marcada como enganosa

Publicado

por


source
post
Reprodução

Post do ministério

Twitter  marcou como enganosa e potencialmente prejudicial uma publicação do Ministério da Saúde sobre o chamado “tratamento precoce” como estratégia de combate à Covid-19.

A publicação, que já foi deletada, estimulava as pessoas a procurarem uma unidade de Saúde ao apresentarem sintomas e, então, solicitarem o tratamento precoce, que, segundo cientistas, não existe para a Covid-19. 

O Twitter já havia colocado o mesmo aviso em uma publicação do presidente Jair Bolsonaro  e da  deputada bolsonarista Carla Zambelli, ambas sobre o mesmo tema: o “tratamento precoce” contra a doença.

O governo federal e seus apoiadores começaram uma nova ofensiva em defesa dessas medicações sem eficácia comprovada no momento em que Manaus atravessa colapso de seu sistema de saúde, com falta de leitos e de oxigênio.

O que é o tratamento precoce?

O tratamento precoce é composto da utilização de medicamentos como cloroquina e ivermectina,  que não têm eficácia comprovada contra a Covid-19, mas que são constantemente lembrados pelo governo federal como método de prevenção e cura para a doença.

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana