conecte-se conosco


Polícia

Acadepol inicia curso de formação de 15 novos delegados que atuarão no interior do Estado

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Os quinze novos delegados da Polícia Judiciária Civil iniciaram nesta segunda-feira (11.02), o XV Curso de Formação Inicial Técnico Profissional. A aula inaugural aconteceu na Academia de Polícia (Acadepol), onde os alunos serão preparados para atuarem à frente das delegacias no interior do Estado de Mato Grosso.

No curso de formação, com duração de pouco mais de dois meses, os alunos recém empossados receberão instruções e informações refente à estrutura organizacional, diretrizes, identidade organizacional da Polícia Civil, legislação, entre outros assuntos relacionados a função e atribuições do cargo de delegado de polícia.

Na abertura os alunos foram recebidos pelo diretor da Acadepol, Welber Batista Franco, que enfatizou a satisfação de iniciar os trabalhos com os novos servidores que reforçarão o trabalho da Polícia Judiciária Civil. “O XV curso de formação terá uma turma de quinze alunos e mais três colegas que farão algumas disciplinas complementares”, lembrou o diretor.

Na cerimônia o secretário adjunto de inteligência da Sesp, Wylton Massao Ohara, falou sobre o início de um novo ciclo dos novos delegados. “Vocês perceberão que nosso Estado possui uma dimensão territorial enorme, além do calor MT que é muito acolhedor. Vocês irão para interior do Estado e vão encontrar dificuldades, mas isso, com certeza, fortalecerá o lado profissional de cada um”, destacou o secretário.

Leia mais:  Polícia Civil prende homem que matou companheiro em Pontes e Lacerda

Em seguida o diretor adjunto, Gianmarco Paccola Capoani, contou suas experiências de quando ingressou na PJC iniciando sua carreira em Apiacás, município a mais de mil quilômetros da Capital. Falou sobre a importância de construir boa relação profissional com toda equipe (investigadores e escrivães), da necessidade de se apresentar ao Ministério Publico e Poder Judiciário quando assumir a unidade policial visando estreitar parcerias, além da valiosa aproximação com a comunidade.

“O delegado de polícia precisa ir para rua, conhecer os moradores e passar confiança. Essas ações trazer como consequência a riqueza de informações e levantamentos que é crucial para resoluções de crimes”, aconselhou o diretor adjunto.

Para a nova delegada, Carla Evangelista Linderbeg Nogueira, a qual já integrava a instituição desde o ano 2008 como investigadora de polícia, e agora empossada no novo cargo, sua expectativa é a melhor possível.

“Essa é a segunda vez que faço o curso de formação. A primeira foi de grande valia, acredito que dessa vez também será, pois temos excelentes professores, boas instruções, que considero fundamental para aprimorar e desempenhar da melhor forma a nossa função. Considero esse fase essencial”, disse ela.

“Os professores são bastante didáticos, pacientes e percebo que eles tem empenho para estar nos passando parte das experiências. Tenho certeza que tudo que aprendemos aqui em algum momento será aplicado la fora”, concluiu a aluna.

Também participaram do evento de abertura o presidente da Associação dos Delegados de Polícia, José Lindomar Costa, o diretor metropolitano de criminalística da Politec, Emivan Batista de Oliveira, o corregedor geral da PJC, Jesset Arilson Munhoz, o diretor adjunto da Acadepol, Bruno Lima Barcelos, entre outros convidados. 

Leia mais:  Traficante foragido de Alto Araguaia é preso pela Polícia Civil na Capital

 

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Polícia Civil investiga prática de crimes fiscais envolvendo o comércio de grãos em Sapezal

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

Uma possível fraude de sonegação de impostos, envolvendo o comércio de grãos com emissão de notas fiscais frias, é investigada pela Polícia Judiciária Civil, na cidade de Sapezal (480 km a Noroeste). Nesta sexta-feira (15), cargas de três caminhões carregados com milho foram apreendidas, após os policiais flagrarem a troca das notas fiscais, na saída da cidade.

A suspeita começou a ser apurada depois de denúncia sobre possível fraude praticada por uma empresa corretora e distribuidora de cereais, supostamente de fachada ou “laranja”, que foi constituída para fraudar a compra de grãos de produtores rurais da região.  

“A ação da empresa corretora de grãos, nesse formato,  reforça suspeitas de prática de crimes fiscais, visando fraudar a fiscalização tributária”, disse o delegado Valmon Pereira Silva.

Foi apurado que corretora e distribuidora de cereais comprou grãos de uma fazenda produtora da região, que emitiu nota fiscais no dia 15 de fevereiro, mas quando abordados os motoristas apresentaram nota fiscal do dia 14 de fevereiro, um dia antes de terem carregado o caminhão.

As notas fiscais da fazenda tinham como destino a corretora localizada em Sapezal, no entanto, nos documentos apresentados aos policiais o produto era destinado aos estados de Rondônia e Amazonas.

Em checagem ao endereço da sede da empresa distribuidora, localizada no município de Sapezal, os policiais encontraram apenas um barracão abandonado, sem nenhum vestígio de ter sediado a empresa cerealista naquele local.  

Leia mais:  Polícia Civil prende homem que matou companheiro em Pontes e Lacerda

Os três caminhões que saíram carregados de milho da fazenda foram emplacados no estado de Rondônia, local de emissão das notas fiscais das cargas destinada ao endereço da corretora inexistente, ‘fantasma’ ou de fachada.

Na apuração, os caminhões foram monitorados pelos investigadores desde a saída da propriedade rural. Os policiais observaram que na saída de Sapezal para Campos de Júlio, os caminhões pararam em um ponto da estrada e um veículo Uno prata se aproximou. Após alguns minutos de conversa, um homem que dirigia o Uno entregou as notas fiscais para os três motoristas dos caminhões.

A ação foi filmada pelos investigadores, que logo em seguida realizaram a abordagem dos caminhões. Os três motoristas foram encaminhados à Delegacia de Sapezal, que manteve contato com a Delegacia Fazendária, em Cuiabá, e foi orientada a proceder com a apreensão da carga e efetuar depósito à empresa originária, além da apreensão das notas e outras documentações para prosseguimento das investigações de possível fraude tributária contra o Estado de Mato Grosso.

A Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) também será oficializada.

 

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Polícia Civil prende integrante de facção criminosa em Alto Taquari

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Judiciária Civil prendeu um integrante de organização criminosa que vinha impondo medo em comunidades de Alto Taquari. O suspeito Jonathan Juliano dos Santos Correia, conhecido por Morcegão ou Morcego, foi preso na tarde de sexta-feira (15).

Desde janeiro de 2017 ele alvo de investigação por envolvimento com uma facção criminosa, cujas lideranças agem de dentro de presídios e Mato Grosso. O faccionado tinha a função de estabelecer uma suposta atmosfera de poder paralelo, promovendo uma pseudo-ordem dos traficantes de drogas nos bairros de Alto Taquari.

Diante do fatos, depois de vários meses de levantamentos de provas, a Polícia Civil representou pela prisão preventiva do suspeito, que foi expedido pelo Poder Judiciário.

O preso será encaminhado a cadeia pública da região, à disposição da Justiça.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Leia mais:  Homem suspeito de abusar da filha e da sobrinha em Tangará da Serra é preso em Nova Lacerda
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana