conecte-se conosco


Polícia

Acadepol inicia curso de formação de 15 novos delegados que atuarão no interior do Estado

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Os quinze novos delegados da Polícia Judiciária Civil iniciaram nesta segunda-feira (11.02), o XV Curso de Formação Inicial Técnico Profissional. A aula inaugural aconteceu na Academia de Polícia (Acadepol), onde os alunos serão preparados para atuarem à frente das delegacias no interior do Estado de Mato Grosso.

No curso de formação, com duração de pouco mais de dois meses, os alunos recém empossados receberão instruções e informações refente à estrutura organizacional, diretrizes, identidade organizacional da Polícia Civil, legislação, entre outros assuntos relacionados a função e atribuições do cargo de delegado de polícia.

Na abertura os alunos foram recebidos pelo diretor da Acadepol, Welber Batista Franco, que enfatizou a satisfação de iniciar os trabalhos com os novos servidores que reforçarão o trabalho da Polícia Judiciária Civil. “O XV curso de formação terá uma turma de quinze alunos e mais três colegas que farão algumas disciplinas complementares”, lembrou o diretor.

Na cerimônia o secretário adjunto de inteligência da Sesp, Wylton Massao Ohara, falou sobre o início de um novo ciclo dos novos delegados. “Vocês perceberão que nosso Estado possui uma dimensão territorial enorme, além do calor MT que é muito acolhedor. Vocês irão para interior do Estado e vão encontrar dificuldades, mas isso, com certeza, fortalecerá o lado profissional de cada um”, destacou o secretário.

Leia mais:  Homem é encontrado decapitado no Assentamento Antônio Conselheiro

Em seguida o diretor adjunto, Gianmarco Paccola Capoani, contou suas experiências de quando ingressou na PJC iniciando sua carreira em Apiacás, município a mais de mil quilômetros da Capital. Falou sobre a importância de construir boa relação profissional com toda equipe (investigadores e escrivães), da necessidade de se apresentar ao Ministério Publico e Poder Judiciário quando assumir a unidade policial visando estreitar parcerias, além da valiosa aproximação com a comunidade.

“O delegado de polícia precisa ir para rua, conhecer os moradores e passar confiança. Essas ações trazer como consequência a riqueza de informações e levantamentos que é crucial para resoluções de crimes”, aconselhou o diretor adjunto.

Para a nova delegada, Carla Evangelista Linderbeg Nogueira, a qual já integrava a instituição desde o ano 2008 como investigadora de polícia, e agora empossada no novo cargo, sua expectativa é a melhor possível.

“Essa é a segunda vez que faço o curso de formação. A primeira foi de grande valia, acredito que dessa vez também será, pois temos excelentes professores, boas instruções, que considero fundamental para aprimorar e desempenhar da melhor forma a nossa função. Considero esse fase essencial”, disse ela.

“Os professores são bastante didáticos, pacientes e percebo que eles tem empenho para estar nos passando parte das experiências. Tenho certeza que tudo que aprendemos aqui em algum momento será aplicado la fora”, concluiu a aluna.


Também participaram do evento de abertura o presidente da Associação dos Delegados de Polícia, José Lindomar Costa, o diretor metropolitano de criminalística da Politec, Emivan Batista de Oliveira, o corregedor geral da PJC, Jesset Arilson Munhoz, o diretor adjunto da Acadepol, Bruno Lima Barcelos, entre outros convidados. 

Leia mais:  Polícia Militar prende suspeito de tentativa de homicídio no Bairro Vila Horizonte

 

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
publicidade

Polícia

Mulher é detida por apropriação de celular achado

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

Uma jovem na posse de um aparelho celular furtado foi presa pela Polícia Judiciária Civil, na manhã desta terça-feira (20.08), no município de Confresa (1.160 km a Nordeste), durante investigação do furto.

M.C.A.N., 24 anos, responderá pelo delito de apropriação de coisa achada. A suspeita foi surpreendida em uma residência no bairro Setor Genoveva, em poder o telefone móvel que foi recuperado.

Em diligências para elucidar o furto do celular da marca Samsung, ocorrido no mês de maio, em uma residência no bairro Jardim Vitória, os policiais civis conseguiram identificar o local onde o aparelho estava, em um imóvel no bairro Setor Genoveva

Em checagem pelo número de IMEI foi constatado se tratar do produto de furto. Na ocasião, uma encontrada na posse do aparelho celular e alegou que havia achado o telefone caído em um canteiro de plantas, nas proximidades de um cartório, bem como acabou se apropriando do objeto sem procedência. 

Diante dos fatos, M.C.A.N. foi conduzida à Delegacia de Confresa para esclarecimentos. Ela foi ouvida  e será indiciada por apropriação de coisa achada, conforme artigo 169 do CP, com pena de detenção de 1 mês a 1 ano ou multa. Já o aparelho celular recuperado será restituído para vítima.


A Polícia Civil destaca a importância do cidadão, que vier a apropriar-se de coisa alheia, tem o prazo de 15 dias para devolução do objeto, sendo assim para não incorrer no crime.

Leia mais:  Ações de repressão ao tráfico de drogas prendem cinco em Água Boa

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia

Órgãos de defesa do consumidor fiscalizam posto de combustível alvo de denúncia

Publicado

por

Assessoria | PJC-MT

Mais um posto de combustível da Capital foi alvo de fiscalização em uma ação conjunta da Delegacia Especializada do Consumidor, da Polícia Civil, em parceria com Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso (Ipem/Inmetro) e Procon Municipal, realizada na manhã desta terça-feira (20.08), na Capital.

A ação de fiscalização tinha o objetivo de averiguar uma denúncia referente a erros de vazão na bomba de combustível, ou seja, quando o abastecimento no tanque do carro é menor do que o registrado na bomba,

Segundo o delegado da Decon, Antonio Carlos de Araújo, a denúncia foi realizada via Centro Integrado de Operações Especiais (Ciosp) contra um posto de combustível de bandeira Shell, no bairro Jardim Petrópolis, em Cuiabá.

As bombas de combustível do estabelecimento apresentaram vazão regular dentro dos limites, sendo que o erro máximo admissível para as bombas de -0,5% (que apesar de negativo, tem efeito em favor do consumidor) e 0,3% (positvo, mas em prejuízo ao consumidor).


“As equipes foram até o local, onde foram realizadas as devidas vistorias, não sendo encontrada nenhuma irregularidade no estabelecimento, porém ficando demonstrado que os órgão de Defesa do Consumidor estão atentos e vigilantes a qualquer prejuízo ao cliente”, disse o delegado.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Leia mais:  Estão abertas inscrições para curso em gestão de documentos
Continue lendo

Polícia

Mato Grosso

Política MT

Mais Lidas da Semana